Caverna Voronya

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

A Caverna Voronya (também conhecida como Krubera-Vorónia) é a segunda caverna conhecida mais profunda no mundo. A sua entrada situa-se a 2.240 metros de altitude e a 15 quilômetros do mar Negro. Está localizada no Maciço Arabika, na Abecásia, uma república independente da Geórgia, na região do Cáucaso. Esta caverna bateu o recorde anterior de profundidade (2.080 metros), em 2004, por uma russo-ucraniana. Em outubro de 2005, uma parte nova, inexplorada, foi encontrada pelo CAVEX Team, ampliando a sua profundidade.

História da exploração[editar | editar código-fonte]

Os eventos principais na exploração desta caverna estão descritos a seguir:

  • 1960: Exploradores georgianos acharam a caverna e então a exploraram até -180 metros.
  • Meados dos anos 80: Clube de Kiev. A caverna foi explorada até -340 metros.
  • Agosto de 1999: Time ucraniano do Segundo Escalão. Eles acharam uma "janela" (na caverna) a -230 metros que os conduzia a -700 metros no salão 'Non-Kuibyshevskaya', uma filial para -490 metros.
  • Agosto de 2000: Segundo time do Escalão continuou a exploração até -1200 metros.
  • Setembro de 2000: UkrSA e time de MTDE continuaram a exploração até -1410 metros.
  • Janeiro de 2001: UkrSA e time da Cavex. Exploraram uma janela a -1350 metros, onde foram conduzidos para uma fossa a -1430 metros. Então uma passagem lateral a -1420 metros os conduziu a -1710 metros.
  • Agosto de 2003: Cavex e Clube de Kiev. Uma fossa a -1440 metros (também conhecida como Fossa 1) foi passada e foi conduzindo a passagens novas à profundidade de -1660 metros.
  • Julho de 2004: A equipe Cavex emparelhou. Continuando até uma fossa nova a -1810 metros.
  • Agosto de 2004: Equipe UkrSA. Passagem lateral a -1660 metros conduzindo-os para outra fossa a -1824 metros.
  • Outubro de 2004: Equipe UkrSA. Continuaram descendo a -2080 metros. Foi a primeira vez na história da espeleologia que esse time cruzou -2000 metros em uma caverna.
  • Fevereiro de 2005: Equipe UkrSA. Por uma fossa na marca de -1980 metros foi passada.
  • Julho de 2005: Equipe Cavex. Continuando 160 metros abaixo, e passando a fossa a -1980 metros, foram conduzidos a uma profundidade atual nova de -2140 metros que são para o momento o maior registro mundial. Durante esta exploração foram passados por 3 fossas debaixo de -2000 metros.
  • Julho-Agosto de 2012: Equipe Cavex. Realizaram os primeiros estudos biológicos, desde a entrada da cavidade até ao sifão final (Dva Kapitana), sob a coordenação dos biólogos Ana Sofia Reboleira e Alberto Sendra.[1][2]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]