Caxinas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde junho de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

As Caxinas são uma zona piscatória que faz fronteira com a cidade de Póvoa de Varzim. Núcleo piscatório carregado de tradições, tem um médio areal.

E uma cidade portuguesa na Região Norte e sub-região do Grande Porto situada numa planície costeira arenosa, a meio caminho entre o Rio Ave com 28.320 habitantes no seu perímetro urbano. É a sétima maior aglomeração urbana em Portugal e a terceira do Norte. É um dos pólos urbanos do Norte de Portugal e centralidade dos concelhos vizinhos de Povoa de Varzim.

As primeiras populações fixaram-se no seu território entre quatro a seis mil anos atrás. Por volta de 900 a.C., a instabilidade na região levou à fundação de uma Vila, Vila do Farol que desenvolveu rotas de comércio marítimo com as civilizações da antiguidade clássica. Caxinas moderna emergiu depois da conquista da cidade pela República Romana por volta de 138 a.C., a pesca e unidades de processamento de peixe desenvolveram-se pouco depois, constituindo as bases da economia local. A importância das Caxinas reemergiu com a Época dos Descobrimentos devido à competência e riqueza dos seus construtores navais e navegantes, que negociavam à volta do mundo em rotas comerciais complexas. Pelo século XVII, a indústria de transformação de pescado tomou novo alento e, algum tempo mais tarde, a caxinas tornou-se no porto pesqueiro dominante no Norte de Portugal.

A cidade das Caxinas é uma reconhecida praia balnear desde há três séculos. É uma das poucas zonas de jogo legal em Portugal e possui industrias têxtil e alimentar significativas. A cidade mantém uma identidade cultural própria, uma cozinha piscatória rica e tradições antigas.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Em conjunto com Poça da Barca, lugar vizinho com a mesma identidade, Caxinas possuiu 1,3 km² e no censo de 1991 já habitavam no lugar 9 752 pessoas, com uma densidade populacional bastante elevada de 7388 hab/km², contra 3000 no restante da freguesia. A paróquia das Caxinas é a maior do concelho de Vila do Conde, sendo que os lugares de Poça da Barca, Portas Fronhas, Casal do Monte, Alto de Pêga e Regufe(São Brás) pertencem à dita paróquia. Predominam entre a população as actividades ligadas à pesca quer directamente na actividade piscatória quer nas industrias derivadas (conserveira e congelados). No entanto, isso tem vindo a mudar, pois há já uma boa parte da população dedicada a outras áreas.

Uma parte muito significativa da população das Caxinas é composta por pescadores originários da Póvoa de Varzim que se fixaram, inicialmente, em Poça da Barca e que se cresceram para o lugar das Caxinas na segunda metade do século XIX, e em especial no século XX, e eram maioritariamente pescadores pobres. Até recentemente, o lugar era constituído por dunas e pequenos campos agrícolas e a sua única via asfaltada era apenas para a Póvoa.

Actualmente, é uma zona bastante desenvolvida, não havendo distinção com as zonas envolventes, entre elas o restante da freguesia e Póvoa de Varzim. É servida por uma rede de transportes locais, mas também por uma rede mais alargada, figurando diversas linhas de autocarro e a linha B do metro do Porto.

Elevação a freguesia[editar | editar código-fonte]

Dadas as diferenças significativas, de movimento demográfico e cultural, com o centro da cidade, existe há muito a ideia da criação de uma freguesia para as Caxinas e Poça da Barca, surgindo movimentos com esse propósito. Em 2005, a CDU de Vila do Conde propôs a criação da freguesia.[1] Em 2009, o partido comprometeu-se a relançar a ideia. Durante uma visita de Francisco Louçã, uma comissão de utentes entregou-lhe a "Proposta de elevação das Localidades de Caxinas/Poça de Barca a freguesia", para obter também o apoio do Bloco de Esquerda. Apesar disso, popularmente, o lugar já é visto como freguesia.

Paróquia[editar | editar código-fonte]

O lugar é famoso pela chamada Igreja do Barco, Igreja Paroquial das Caxinas e Poça da Barca, devido à forma em barco. O nome oficial do templo é Igreja Paroquial do Nosso Senhor dos Navegantes, sendo a demonstração da grande fé e religiosidade dos caxineiros.

A paróquia foi fundada em 1944 por desanexação da paróquia de Vila do Conde. A paróquia das Caxinas é a maior do concelho de Vila do Conde, sendo que os lugares de Poça da Barca, Portas Fronhas, Casal do Monte, Alto de Pêga e Regufe (São Brás) pertencem à dita paróquia.

Personalidades célebres[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. http://www.amigosdomindelo.pt/democracia/autarquicas2005.htm
Ícone de esboço Este artigo sobre Lugares e Bairros, integrado no Projecto Grande Porto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.