Celina Guimarães Viana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Celina Guimarães
Celina Guimarães, primeira mulher mossoroense a tirar o título de eleitor, votando onde atualmente funciona a Biblioteca Municipal de Mossoró, em 1928.
Nome completo Celina Guimarães Viana
Conhecido(a) por Primeira eleitora brasileira
Nascimento 15 de novembro de 1890
Natal, RN
Morte 11 de julho de 1972 (81 anos)
Belo Horizonte, MG
Nacionalidade Brasileira
Ocupação Professora

Celina Guimarães Viana (Natal, 15 de novembro de 1890Belo Horizonte, 11 de julho de 1972)[1][2] foi uma professora brasileira,[3] primeira eleitora do Brasil,[nota 1][4][5][6][7] ao votar em 5 de abril de 1928 na cidade de Mossoró, no interior do Rio Grande do Norte.[8][9]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filha de José Eustáquio de Amorim Guimarães e Eliza de Amorim Guimarães. Estudou na Escola Normal de Natal, onde concluiu o curso de formação de professores. E foi nessa mesma escola que conheceu Elyseu de Oliveira Viana, um jovem estudante vindo de Pirpirituba, com quem se casou em dezembro de 1911 e seria seu companheiro para toda a vida. Em 1912 foi para Acari e em 13 de janeiro de 1914 mudou-se para Mossoró.[10]

Com o advento da Lei nº 660, de 25 de outubro de 1927, o Rio Grande do Norte foi o primeiro Estado que, ao regular o "Serviço Eleitoral no Estado", estabeleceu que não haveria mais "distinção de sexo" para o exercício do sufrágio. Segundo pesquisa do escritor João Batista Cascudo Rodrigues, o histórico despacho foi vazado nestes termos:

. Vale ressaltar, contudo, que a[11]inda no Império, D. Izabel Mattos Dillon, formada em Odontologia na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, solicitou sua inscrição na lista de eleitores do Rio Grande do Sul, em 1880. O juiz municipal indeferiu a petição, mas o juiz de direito, Dr. José Lomelino de Drummond, baseando-se no art. 4º da Lei Saraiva(“Serão eleitores todos os diplomados por qualquer faculdade do Império”), concedeu o título de eleitor à D. Izabel. Consta que ela exerceu seu direito e votou.

Aprovada a Lei, várias mulheres requereram suas inscrições e a 25 de novembro de 1927. As eleitoras compareceram às eleições de 5 de abril de 1928, mas seus votos foram anulados pela Comissão de Poderes do Senado. Somente com o Código Eleitoral de 1932, é que "o cidadão maior de 21 anos, sem distinção de sexo…" poderia votar efetivamente.

Notas

  1. Embora muitas fontes brasileiras citem também o voto de Celina como o primeiro voto feminino da América Latina, este ocorreu no Uruguai meses antes, em 3 de julho de 1927, na pequena localidade de Cerro Chato, num plebiscito que deveria decidir a qual departamento a pequena cidade deveria pertencer, já que esta fazia parte simultaneamente de três. Para este plebiscito, as mulheres que residiam no local foram convocadas a votar. Rita Ribera, uma brasileira de 90 anos, na época, que vivia em Cerro Chato, foi de fato a primeira mulher a votar na América Latina.

Referências

  1. Senado (ed.). «Celina Guimarães, a primeira eleitora». Senado.leg.br. Consultado em 19 de dezembro de 2016 
  2. «Voto Feminino». Câmara Legislativa. Consultado em 19 de dezembro de 2016 
  3. «Voto Feminino no Brasil». Al.ma. Consultado em 6 de julho de 2011 
  4. «El voto feminino cumple ochenta años en Uruguay». El País. 2007. Consultado em 6 de julho de 2011 
  5. «A mulher na politica nacional». Tre-rn.jus.br. Consultado em 19 de dezembro de 2016 
  6. «Professora Celina Guimarães Vianna, primeira eleitora do Brasil». Tribunal Superior Eleitoral. Consultado em 19 de dezembro de 2016 
  7. «Voto da Mulher». Justiça Eleitoral. Consultado em 19 de dezembro de 2016 
  8. «Voto feminino: professora nordestina foi primeira eleitora do Brasil». EBC. Consultado em 19 de dezembro de 2016 
  9. «Primeira eleitora brasileira». Fundaj. Consultado em 19 de dezembro de 2016 
  10. «Mulheres mossoroenses». Universo Online. Consultado em 19 de dezembro de 2016 
  11. Diário da Câmara dos Deputados, 22 de dezembro de 1916, p. 205

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.