Celina Turchi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Celina Maria Turchi Martelli
Nascimento 3 de julho de 1952 (69 anos)
Goiânia, GO, Brasil
Residência Brasil
Nacionalidade brasileira
Alma mater
Prêmios Comendadora da Ordem Nacional do Mérito Científico (2018)[1]
Orientador(es)(as) Euclides Ayres de Castilho
Instituições Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães
Campo(s) medicina, epidemiologia
Tese Associação entre hanseníase e infecção pelo vírus da hepatite B: estudo de caso-controle (1995)[2]

Celina Maria Turchi Martelli (Goiânia, 3 de julho de 1952) é uma epidemiologista, pesquisadora e professora universitária brasileira.

Comendadora da Ordem Nacional do Mérito Científico[1] e membro titular da Academia Brasileira de Ciências[3], Celina é professora aposentada e emérita da Universidade Federal de Goiás e pesquisadora visitante do Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães, em Recife, onde coordena o Grupo de Pesquisa de Epidemia em Microcefalia, com projetos na área de infecção pelo vírus Zika desde 2015.[4]

Especialista em epidemiologia das doenças infecciosas, é uma das dez cientistas mais importantes do mundo segundo a revista Nature em 2016[5] e selecionada pela revista "Time" como uma das 100 pessoas mais influentes em 2017.[6]

Celina coordenou a pesquisa sobre o vírus zika e sua equipe, em três meses, conseguiu identificar a associação do vírus com a microcefalia.[7][8]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Celina nasceu em Goiânia, em 1952. Leitora voraz desde jovem, foi a leitura que lhe fez tomar gosto pela ciência. Em 1975, ingressou no curso de medicina da Universidade Federal de Goiás. Fez mestrado em Epidemiologia na London School of Hygiene & Tropical Medicine (Reino Unido) e doutorado em Medicina Preventiva na Universidade de São Paulo (USP).[8]

Foi professora de Patologia Tropical e Saúde Pública da Universidade Federal de Goiás de 1985 a 2011, quando se aposentou. Mudou-se para o Recife, para trabalhar como pesquisadora do Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães.[8]

Em 2016, ganhou o Prêmio Faz Diferença O Globo de Personalidade do Ano por seu trabalho pioneiro a respeito do vírus da zika.[9]

Referências

  1. a b «Ordem Nacional do Mérito Científico - Agraciados». Canal Ciência. Consultado em 16 de março de 2021 
  2. Martelli, Celina Maria Turchi (1995). Associação entre hanseníase e infecção pelo vírus da hepatite B: estudo de caso-controle (Tese). São Paulo: Universidade de São Paulo (USP). Consultado em 23 de junho de 2021 
  3. «Celina Maria Turchi Martelli». Academia Brasileira de Ciências. Consultado em 23 de junho de 2021 
  4. «Celina Turchi recebe o título de professora emérita da Universidade Federal de Goiás». Academia Brasileira de Ciências. Consultado em 23 de junho de 2021 
  5. «'Nature' coloca brasileira entre os 10 cientistas mais importantes de 2016». O Estado de S. Paulo. 19 de dezembro de 2016. Consultado em 20 de dezembro de 2016 
  6. Millena Barbosa (ed.). «Médica goiana que coordenou pesquisa sobre o zika vírus é homenageada pela Turma da Mônica». G1. Consultado em 23 de junho de 2021 
  7. «Celina Turchi». Unicentro. Consultado em 23 de junho de 2021 
  8. a b c Bruno C. Dias (ed.). «Celina Turchi fala sobre a presença do Zika no país na SBPC». Abrasco. Consultado em 23 de junho de 2021 
  9. «Personalidades do ano no Prêmio Faz Diferença pedem mais investimentos para pesquisa científica». Academia Brasileira de Ciências. Consultado em 23 de junho de 2021