Cemitério de Santo Amaro (Recife)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cemitério de Santo Amaro
País
Endereço
Superfície
145.000 metros quadrados
Tipo
Público
Entrada em serviço
1 de março de 1851 (168 anos)
Coordenadas

O Cemitério Senhor Bom Jesus da Redenção, mais conhecido como Cemitério de Santo Amaro, é o maior cemitério do Recife, Pernambuco, Brasil.[1]

Com projeto do engenheiro José Mamede Alves Ferreira,[2] teve suas obras iniciadas no governo de Francisco do Rego Barros. Foi inaugurado em 1 de março de 1851, tendo se destinado, inicialmente, ao sepultamento de pessoas vitimadas pelo surto de febre amarela, que não podiam ser sepultadas em igrejas, como era o costume da época.

Sua arquitetura é radial, com túmulos distribuídos ao longo de ruas que partem de um ponto central.

É a maior exposição de arte ao ar livre de Pernambuco, com centenas de mausoléus de grande porte.

Capela[editar | editar código-fonte]

No ponto de confluência de suas ruas, está erguida uma capela, também projetada por Mamede Ferreira, mandada construir pela Câmara Municipal do Recife em 1853.

Trata-se de um monumento de puro estilo gótico de cruz grega, fechada por uma só abóbada, de uma belíssima e arrojada construção, e de grandeza proporcional ao fim a que é destinada, sem campanário e sem dependências.

Foi restaurada e melhorada em 1899 e 1930.

Sepulturas[editar | editar código-fonte]

Mausoléus

Vários mausoléus se destacam no cemitério:


Comuns

Além dos mausoléus que se destacam, e de centenas de outros, há no cemitério sepulturas simples.

Encontram-se sepultados, entre outros, os corpos de:

Túmulos visitados

No cemitério, dois túmulos são visitados por pessoas à procura de bênçãos. Um é o de "Alfredinho", o menino que morreu em 1959, aos 11 anos, e passou a ser cultuado como santo pela população. O outro é o da "Menina Sem Nome" , que foi encontrada morta em 1970 no bairro do Pina e nunca foi idenficada. Os devotos oferecem promessas a eles e acreditam que podem alcançar milagres.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. «Cemitério de Santo Amaro». Fundação Joaquim Nabuco. Consultado em 10 de julho de 2019 
  2. José Mamede Alves Ferreira também projetou o Hospital Pedro II, o Ginásio Pernambucano, a Casa de Detenção do Recife (hoje Casa da Cultura) e o Cemitério de Igarassu.
  3. Anais da Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco, pág. 25 (242), requerimento n.º 3721

Fonte[editar | editar código-fonte]

  • FRANCA, Rubem. Monumentos do Recife. Recife: Governo do Estado de Pernambuco/Secretaria de Educação e Cultura, 1977.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre patrimônio histórico no Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.