CentOS

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
CentOS
Logotipo

Captura de tela
Captura de tela do CentOS 8 com GNOME
Desenvolvedor The CentOS Project (projeto CentOS) Afiliado a Red Hat.
Arquiteturas x86 x86-64
Modelo do desenvolvimento Software Livre
Lançado em 1 de dezembro de 2003 (16 anos)
Versão estável 8.0.1905 / 24 de setembro de 2019; há 2 meses
Língua natural Multilíngue
Mercado-alvo Desktops, Estação de trabalho, Servidores
Família Red Hat Enterprise Linux
Núcleo Linux
Método de atualização yum, DNF
Gerenciamento de pacotes RPM
Interface GNOME, KDE, Minimal
Licença GPL e outras
Estado do desenvolvimento Corrente
Website www.centos.org
Posição no Distrowatch 14ª (em inglês, em castelhano, em francês, em alemão, em tcheco/checo, em japonês e em chinês).
Origem comum  Estados Unidos
Portal do Software Livre

O CentOS, abreviação de Community ENTerprise Operating System, é uma distribuição Linux de classe corporativa derivada de códigos fonte gratuitamente distribuídos pela Red Hat Enterprise Linux e mantida pelo CentOS Project.

A numeração das versões é baseada na numeração do Red Hat Enterprise Linux. Por exemplo, o CentOS 4 é baseado no Red Hat Enterprise Linux 4. A diferença básica entre um e outro é o fornecimento de suporte pago na aquisição de um Red Hat Enterprise Linux. Em termos de funcionalidade, podem ser considerados sistemas clones.

Embora o CentOS seja bem visado para seu uso em servidores devido a sua estabilidade e robustez, o CentOS não é um sistema exclusivo de servidores. Tem essa fama devido seu foco em recursos estáveis (semelhante ao que o Debian GNU/Linux faz) e as aplicações focados em estações de trabalho e redes por padrão. Ele pode ser usado como uso comum, porém, é necessário a adição de repositórios adicionais que não vem ativos por padrão. Os mais comuns são: RPMFusion[1] e o EPEL[2].

CentOS proporciona acesso aos softwares padrão da indústria, incluindo compatibilidade com os pacotes de softwares preparados especificamente para os sistemas da Red Hat Enterprise Linux. Isso lhe dá um bom nível de segurança e suporte.

É possivel também utilizar uma versão Live CD.

A versão em DVD o usuário pode escolher desktop de sua escolha. Podendo ser KDE, GNOME ou Minimal (apenas modo texto).

No dia 7 de janeiro de 2014 a Red Hat anunciou a incorporação do projeto e comunidade CentOS aos seus portfólios. Segundo anúncio essa incorporação trará benefícios para a comunidade de usuários de ambas as distribuições, gerando maiores inovações nos projetos livres adotados e para toda a arquitetura corporativa.[3]

Arquiteturas[editar | editar código-fonte]

O CentOS está disponível nas mesmas arquiteturas que o Red Hat Enterprise Linux:[4]

  • IA-32 (x86) - 32-bits (CentOS 7 e anteriores)
  • IA-64 (Intel Itanium) (CentOS 3 e 4)
  • x86-64 (AMD64 e Intel EM64T)
  • PowerPC/32 (Apple Macintosh e PowerMac com processador G3 ou G4 PowerPC) (CentOS 4)
  • IBM Mainframe (eServer zSeries e S/390), não suportado desde o CentOS 5

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre CentOS


Ícone de esboço Este artigo sobre software livre é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.