Central Brasileira de Comercialização

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
CBC - Central Brasileira de Comercialização
Logotipo da CBC - Central Brasileira de Comercialização
Razão social Central Brasileira de Comercialização - CBC LTDA
205-4 - Sociedade Anônima Fechada
Slogan O maior site de comercialização do Agronegócio
Fundação dezembro de 2012 (6 anos)
Sede São Paulo, Brasil
Empregados ±30 (2017)
Website oficial www.cbcagronegocios.com.br

A CBC - Central Brasileira de Comercialização é uma plataforma online destinada a comerciantes e produtores rurais de todos portes, permitindo que negociem commodities e insumos agrícolas entre si[1][2][3][4][5][6][7][8][9][10][11][12]. E empresa aposta que a comercialização digital no setor agro será um grande diferencial para os comerciantes que buscam comercializar com mais agilidade, segurança e eficiência. A CBC Agronegócios conta com mais de 500 produtos cadastrados na plataforma e mais de 4.000 empresas. A plataforma foi estruturada pela CMA, empresa multinacional de soluções de alta tecnologia aplicadas aos mercados financeiros e de commodities, educacionais, telecomunicações e data center.

A Empresa[editar | editar código-fonte]

A CBC Agronegócios foi fundada por Francisco Lavor, que atua há 35 anos no segmento agro com a União Corretora, uma das mais respeitadas do setor, e é também um dos pioneiros no mercado de biodiesel e leilão de energia. O conselho da CBC Agronegócios também é composto por Sérgio Barroso, o primeiro presidente brasileiro da Cargill, multinacional processadora de alimentos. A empresa hoje conta com milhares de empresas cadastradas, sendo a grande maioria produtores rurais. Dentre os produtos comercializados, o principal mercado é o de grãos: milho, soja e farelos são os grandes carros chefes da empresa, mas há diversos outros mercados com forte presença na plataforma, como a indústria química, pecuária, maquínas e equipamentos, e alimentícia.

A CBC Agronegócios também conta com diversos parceiros, como o Canal Rural. O Canal Rural é uma emissora de televisão e uma plataforma de comuniação especializada em Agronegócio no Brasil, cujo foco principal é a cobertura e oferta de serviços informativos sobre agricultura e pecuária. Além de TV segmentada, a marca realiza leilões, fóruns temáticos, notícias e educação para o agronegócio

A Brasil Fretes é um marketplace de logística. Uma startup do grupo econômico da CBC Agronegócios, que apresenta sinergia e complementaridade com o perfil dos clientes da CBC Agronegócios, pois o frete faz parte das operações das empresas do mercado agro.

A Biofílica, empresa focada na gestão e conservação de florestas, trabalha com Compensação de Reserva Legal e desenvolve Projetos de Conservação Amazônica (REDD+). A CBC Agronegócios e a Biofílica acreditam na preservação ambiental e procuram comunicar a importância da regularização para produtores rurais e empresas. Juntas, buscam atentar todos a uma comercialização e produção sustentável.

A Plataforma[editar | editar código-fonte]

A plataforma da CBC Agronegócios é um ambiente onde os comerciantes podem negociar seus insumos entre si. Ela funciona como um marketplace, disponibilizando apenas o espaço e não sendo responsável pelas transações. Dentro da plataforma, o comerciante pode anunciar se está comprando ou vendendo um produto e, automaticamente, todas as empresas e produtores rurais com interesse nesse produto recebem notificações sobre a nova oferta. Quando uma parte se interessar pela oferta, ela pode aceitar a proposta ou renegociar, como já funciona no mercado agro tradicional. Quando as partes chegam a um acordo, elas fecham o negócio, gerando automaticamente um contrato e todo o histórico de conversa e interações que elas tiveram. É uma maneira do produtor se sentir seguro e ter documentado aquilo concordado pela parte.

A empresa pode inserir o preço de seu produto, a quantidade, o local de entrega ou retirada e quaisquer outras informações que julgar ser importante para a negociação. Há também a opção de filtrar as ofertas por Estado, Produto e outros para facilitar e agilizar o processo de comercialização.

A empresa também quebra a barreira de se comercializar cobrando comissão. Para utilizar a plataforma, é preciso fazer um cadastro gratuito e, após um tempo determinado de uso, será cobrado uma mensalidade para continuar comercializando. A empresa defende que, em um período de crise como o Brasil está passando, a comissão é um grande custo para as empresas, e que este é um dos seus grandes diferenciais. Outro ponto defendido é que a plataforma expande o mercado dos comerciantes, pois com a plataforma é possível se conectar com outros produtores além daqueles que já era hábito se comercializar.

A plataforma também tem um espaço destinado aos corretores do mercado agro chamada de Sala do Corretor, onde o corretor pode alugar uma sala e apenas incluir as partes que está intermediando para conversarem entre si.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «CBC Negócios muda a forma de negociar commodities agrícolas no país». Grupo Cultivar. 21 de setembro de 2016. Consultado em 21 de Setembro de 2017 
  2. «Empresa lança plataforma online para vendas de commodities e insumos agrícolas». GLOBO RURAL. 26 de fevereiro de 2016. Consultado em 21 de Setembro de 2017 
  3. «Plataforma digital pretende revolucionar as negociações de commodities agrícolas no Brasil». www.empreendedor.com.br. 27 de setembro de 2016. Consultado em 21 de Setembro de 2017 
  4. «CBC negócios revoluciona a forma de negociar commodities agrícolas no País». AGROLINK. 26 de agosto de 2016. Consultado em 21 de Setembro de 2017 
  5. «Conheça plataforma digital para negócios agrícolas». www.meuagronegocio.com.br. 31 de agosto de 2016. Consultado em 21 de Setembro de 2017 
  6. «CBC negócios revoluciona a forma de negociar commodities agrícolas no país». www.portaldoagronegocio.com.br. 5 de setembro de 2016. Consultado em 21 de Setembro de 2017 
  7. «CBC negócios revoluciona a forma de negociar commodities agrícolas no país». Paranatinga News. 5 de setembro de 2016. Consultado em 21 de Setembro de 2017 
  8. «CBC Negócios leva transações sem comissão ao agronegócio». Folha do Sudoeste. 7 de outubro de 2016. Consultado em 21 de Setembro de 2017 
  9. «EX-ENGRAXATE INOVA COM MARKETPLACE PARA ITENS AGRÍCOLAS». Pequenas Empresas & Grandes Negócios. 5 de abril de 2018. Consultado em 10 de Abril de 2018 
  10. «Startups agregam tecnologia ao agronegócio». GloboNews. 21 de março de 2018. Consultado em 10 de Abril de 2018 
  11. «O agronegócio e a internet no Brasil». CANAL RURAL. 19 de fevereiro de 2018. Consultado em 16 de Abril de 2018 
  12. «Clique em toneladas». Dinheiro Rural. 11 de agosto de 2016. Consultado em 16 de Abril de 2018