Centro-Oeste de Minas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para a mesorregião, veja Mesorregião Central Mineira.
Disambig grey.svg Nota: Para a mesorregião, veja Mesorregião do Oeste de Minas.

O Centro-Oeste de Minas é uma das dez regiões de planejamento do estado de Minas Gerais, na Região Sudeste do Brasil.[1] Está situado entre o Rio Grande, Rio Pará e o Alto São Francisco, o que faz da região uma potência hidrográfica, pois está banhada pelo Lago de Furnas, ao sul, e pela Represa de Três Marias, ao norte. É constituído pelo agrupamento de grande parte dos municípios das Mesorregiões Central Mineira e Oeste de Minas.

Bom Despacho, Divinópolis, Formiga, Nova Serrana e Itaúna são as principais cidades do Centro-Oeste de Minas.[1]

Centro-Oeste de Minas
Região Sudeste
Regiões de Planejamento Vizinhas Norte: Central, Sul: Sul de Minas, Leste: Central, Oeste: Alto Paranaíba
Municípios 56
Cidades mais populosas 1º- Divinópolis, 2º- Itaúna, 3º- Nova Serrana, 4º- Bom Despacho
População 1 865 579 hab. (IBGE 2012)
PIB R$ 42,897 bilhões (2009)
Renda Per Capita R$ 17 690,00 (IBGE 2007)

Economia[editar | editar código-fonte]

O Centro-Oeste de Minas é uma das regiões mais ricas do estado, com a economia voltada ao vestuário, calçados, pecuária leiteira e extração de cal. As principais indústrias ali instaladas relacionam-se aos setores de fabricação de roupas e de calçados, além do cultivo de grãos e pecuária. Nos últimos anos o Centro-Oeste de Minas é a região que mais cresce no estado de Minas Gerais, haja vista a grande evolução da cidade de Nova Serrana e o crescimento populacional da cidade de Bom Despacho. Enquanto aquela é o pólo industrial da América Latina em fabricação de calçados, esta é a maior produtora de leite do estado, gerando assim mais empregos.[2]

Divinópolis é o município polo da região.[3] Segundo estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sua população era de 230 848 habitantes em 2015, sendo o mais populoso município da Mesorregião do Oeste de Minas e o 12º mais populoso do estado de Minas Gerais, ocupando uma área de pouco mais de 708 quilômetro quadrados. A cidade é reconhecida como pólo da moda do estado de Minas Gerais, devido à alta concentração de indústrias do ramo confeccionista e têxtil.

Itaúna: Além de fazer parte do Oeste de Minas, Itaúna compõe o chamado colar metropolitano da região metropolitana de Belo Horizonte, estando a apenas 76 km da capital, com uma afinidade industrial alicerçada na indústria metalúrgica, também destaca dentro da região como uma provedrora de ensino superior de qualidade. É a segunda cidade mais populosa da região, com cerca de 90.000 habitantes.

Em Nova Serrana são realizadas na cidade três feiras, que movimentam o setor e a economia do município que mais cresce no estado. A cidade se tornou importante na produção de calçados, sandálias e artigos calçadistas masculino, feminino e infantil, devido a instalação de fábricas e a grande migração de povos oriundos do Norte de Minas, o que, vertiginosamente, aumentou a população do município de 37.447 habitantes para 89.859 em 2015.[4]

Bom Despacho é conhecida como Capital Mineira do Leite, por ser a cidade de maior produção do produto, posto este que ocupa desde 2009. Além de gerar vários empregos, exporta leite para todo o Brasil, o que ajuda a fazer de Bom Despacho a cidade que mais cresce no Centro-Oeste Mineiro, tendo uma população de 49.236 habitantes, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sendo a 72º cidade de maior população do estado e a maios populosa da microrregião de mesmo nome[5]. Numa altitude de 768 metros e possuindo uma área de 1.213,5 km², é considerada polo para algumas cidades de pequeno porte próximas, ganhando o apelido de Metrópole do Interior, tendo recebido em 2015 o título de 4ª melhor cidade de pequeno porte de Minas Gerais[6]. Está interligada aos principais centros urbanos da região por rodovias asfaltadas como a BR-262 e MG-164, esta última liga o município a BR-040. Devido a sua proximidade com Belo Horizonte, distanciadas apenas 156 km, recebeu grande influência da capital mineira, tendo um ótimo planejamento urbano, passeios e ruas largas e grande número de faixa de pedestres. Bom Despacho possui o maior Índice de Desenvolvimento Humano do Centro-Oeste Mineiro, tendo o 3º maior do estado. É uma cidade de ambiente tranquilo, agradável, familiar, clima típico do interior Mineiro. Tem também uma forte economia com agricultura de grãos e outros produtos agrícolas, como milho, mandioca, cana-de-açúcar, soja e feijão.

Arcos, Córrego Fundo e Pains são responsáveis pela maior extração de pedra calcaria do estado. A cal é produzida a partir do carbonato de cálcio, em fornos industriais, num processo conhecido como calcinação, que dá origem a cal. Usada em siderúrgicas e metalúrgicas, em estações de tratamento de água, em indústrias de papel, na construção civil e indústria alimentícia.

Outros destaques da economia centralina, é a diversificação do setor de serviços, destacando-se Campo Belo, e as ricas histórias do tesouro arquitetônico, que vai do Barroco ao Gótico, do Germânico ao Clássico, da cidade de Oliveira. Também destaca-se a produção de fogos de artifício, na cidade de Santo Antônio do Monte, que é polo da América Latina.

A região é marcada por eventos de grande importância nacional como a ExpoBom em Bom Despacho, a ExpoDivinópolis em Divinópolis, a Festa do Frango em Itaúna e Carnaval de Lagoa da Prata.

Tem como destaque na indústria as cidades de Divinópolis, Nova Serrana, Bom Despacho e Lagoa da Prata.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Aérea[editar | editar código-fonte]

O Centro-oeste Mineiro tem apenas um aeroporto administrado pelo governo do estado, o de Divinópolis, com capacidade de 150 mil passageiros por ano,[7] e o de Uberaba com capacidade de 200 mil passageiros por ano.[8]

O aeroporto de Bom Despacho tem pista de 2.100 metros com balizamento noturno e 17 hangares para cargas. É administrado pela Prefeitura Municipal.

Os aeroportos de Oliveira, administrados pelo governo de Minas Gerais, foram ampliados e melhorados com investimentos superiores a 1,3 milhões de reais. O aeroporto de Campo Belo também recebeu investimentos do estado.[9]

Hidroviária[editar | editar código-fonte]

O Centro-Oeste de Minas está na região de dois grandes rios navegáveis, o Grande e o São Francisco. O governo do estado de Minas Gerais está promovendo o desenvolvimento do sistema hidroviário nesses rios.[10] Os principais portos da região são o de Formiga e de Pimenta.[11]

Comunicação[editar | editar código-fonte]

O Centro-Oeste de Minas é referência nacional em qualidade nos serviços de telecomunicações. Oferece cobertura de várias operadoras de telefonia móvel. Todos os municípios têm pelo menos duas operadoras atuantes. As mais importantes são: Vivo, Oi, Tim, Algar Telecom, Nextel e Claro. Várias cidades já contam com a tecnologia 2G e 3G, e em 2014 foi instalada a nova rede 4G, que opera nas principais cidades da região.[12]

Logística[editar | editar código-fonte]

O Centro-Oeste Mineiro recebeu investimentos para a pavimentação e restauração das rodovias, melhorias nos aeroportos e construção de portos.[13]. Bom Despacho vem se tornando um pólo logístico, além de ser entroncamento rodoviário, pois o município está entre a BR-262 e a BR-040, ligando estas pela MG-164, a cidade vem crescendo no aspecto geográfico. O comércio atacadista se destaca na região e é referência nacional. Das 20 maiores empresas atacadistas distribuidoras do Brasil, 10 estão localizadas aqui.[14]

Esportes[editar | editar código-fonte]

As cidades que mais se destacam esportivamente são Divinópolis, Itaúna, Nova Serrana e Bom Despacho. Divinópolis possui o Estádio Municipal Waldemar Teixeira de Faria, o Farião, com capacidade para 4.181 pessoas, onde é sede do Guarani Esporte Clube. Itaúna é a sede do Esporte Clube Itaúna, onde tem o Estádio Municipal José Flávio de Carvalho, com capacidade 1.900 torcedores. Já em Nova Serrana, o Estádio Senador Zezé Perrella, conhecido como Arena do Calçado, com capacidade para 8.197 espectadores, está sem um time mandante, desde a transferência do Nacional Esporte Clube Ltda para a cidade de Patos de Minas.[15][16]

Bom Despacho, referência no futebol amador, tem o Estádio Municipal Chico Marques com capacidade para 1 200 pessoas.

Geografia[editar | editar código-fonte]

A região está localizada em um ponto privilegiado do estado de Minas Gerais, pois, além de estar entre as principais represas do estado, Lago de Furnas e Represa de Três Marias, tendo como pontais as cidades de Formiga e Martinho Campos respectivamente, localiza-se em sua circunscrição a Serra da Canastra, no município de São Roque de Minas, onde tem a nascente histórica do Rio São Francisco, onde sua nascente geográfica também está na região, em Medeiros.

Clima[editar | editar código-fonte]

Predomina-se na região o clima Tropical e Tropical de Altitude, com temperaturas variando entre 9 °C e 23 °C mais ao sul, como Cana Verde e Aguanil, entre 15 °C e 31 °C mais ao centro, como Lagoa da Prata e Bom Despacho, e entre 21 °C e 33 °C mais ao norte, como Luz e Moema.

Relevo[editar | editar código-fonte]

O revelo predomina-se pelo cerrado, com ondulações e trechos montanhosos.

Divinópolis: Maior cidade do Centro-Oeste de Minas, com cerca de 230.848 habitantes.
Itaúna: Segunda maior cidade do Centro-Oeste de Minas, com cerca de 92.091 habitantes.
Bom Despacho: Quarta maior cidade do Centro-Oeste de Minas, com cerca de 77 346 habitantes, e a cidade de maior IDH da mesma região.
Campo Belo: sexta maior cidade do Centro-Oeste de Minas, com cerca de 54 272 habitantes.

Municípios[editar | editar código-fonte]

O Centro-Oeste de Minas é formado por 56 municípios e 8 microrregiões:

Posição Município População
1 Divinópolis 230 848
2 Itaúna 92 091
3 Nova Serrana 89 859
4 Bom Despacho 50 042
5 Formiga 68 236
6 Campo Belo 54 272
7 Lagoa da Prata 50 714
8 Oliveira 41 739
9 Arcos 39 537
10 Piumhi 34 306
11 Cláudio 28 063
12 Santo Antônio do Monte 27 938
13 Bambuí 23 936
14 Itapecerica 22 134
15 Carmo do Cajuru 21 941
16 Perdões 21 344
17 Carmópolis de Minas 18 812
18 Luz 18 347
19 Bom Sucesso 17 883
20 Santo Antônio do Amparo 17 349
21 Candeias 14 592
22 Dores do Indaiá 13 952
23 Martinho Campos 13 376
24 Cristais 12 444
25 São Gonçalo do Pará 11 823
26 Carmo da Mata 11 518
27 Perdigão 10 637
28 Igaratinga 10 286
29 Conceição do Pará 9 488
30 Araújos 8 885
31 Pimenta 8 688
32 Pains 8 371
33 Passa Tempo 8 336
34 Iguatama 8 182
35 Moema 7 487
36 São Roque de Minas 6 686
37 São Francisco de Paula 6 671
38 São Sebastião do Oeste 6 512
39 Piracema 6 406
40 Córrego Fundo 5 821
41 Cana Verde 5 589
42 Santana do Jacaré 4 845
43 Aguanil 4 406
44 Japaraíba 3 950
45 Pedra do Indaiá 3 878
46 Medeiros 3 737
47 Estrela do Indaiá 3 593
48 Quartel Geral 3 537
49 Córrego Danta 3 374
50 Leandro Ferreira 3 299
51 Camacho 3 086
52 Ibituruna 2 966
53 Vargem Bonita 2 163
54 Tapiraí 1 873
55 Doresópolis 1 526
56 Serra da Saudade 815

População[editar | editar código-fonte]

Com uma população de quase de 2 milhões de habitantes, suas principais cidades são Divinópolis, Itaúna, Nova Serrana e Bom Despacho.

Bom Despacho, Capital Mineira do Leite, é a maior cidade da Microrregião de Bom Despacho, e a 72ª do estado de Minas Gerais
Oliveira, a Princesinha do Oeste, ligado diretamente as antiguidades góticas e barroco, sendo a oitava maior cidade do Centro-Oeste de Minas.

IDH[editar | editar código-fonte]

IDH de 0,816 alto PNUD/2000

Classificação das cidades de maior IDH da Região[editar | editar código-fonte]

Posição Município IDH-M
1 Bom Despacho 0,799
2 Divinópolis 0,764
3 Itaúna 0,758
4 Formiga 0,755
5 Arcos 0,749
6 Perdões 0,744
7 Bambuí 0,741
8 Piumhi 0,737
9 Lagoa da Prata 0,732
10 Pains 0,728

IDH renda[editar | editar código-fonte]

IDH renda de 0,998 alto [IBGE/2006]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b «Regiões de Planejamento». Portal Minas Gerais. Consultado em 26 de julho de 2016 
  2. Notícia original inaccessível em 2012-4-1: «Investimentos em Minas», Governo de Minas Gerais, Portal 
  3. «Caracterização econômica das regiões de planejamento». Associação Mineira de Municípios. Consultado em 31 de agosto de 2017 
  4. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2015). «Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data referência em 2015» 
  5. «Estimativa da População 2015». Estimativa Populacional 2015. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 7 de fevereiro de 2014. Consultado em 5 julho de 2016 
  6. «Melhores cidades do Brasil de 2015». Melhores Cidades do Brasil 
  7. «Aeroporto de Uberlândia», Infraero, Aeroportos Minas Gerais .
  8. «Aeroporto de Uberaba, Histórico», Infraero, Aeroportos Minas Gerais .
  9. «Proaero: Programa de adequação, ampliação, melhoria e revitalização da malha aeroportuária do Estado de Minas Gerais», Governo de Minas Gerais, Ações do Governo .
  10. «Prohidro: Incrementar o transporte por hidrovias no Estado», Governo de Minas Gerais, Ações do Governo .
  11. «Infra-estrutura», Governo de Minas Gerais, Ações do Governo .
  12. «Desenvolvimento econômico», Governo de Minas Gerais, Minas Comunica .
  13. «Prover infra-estrutura multimodal de transporte, contribuindo para a redução dos custos logísticos de empreendimentos agrícolas e agroindustriais instalados ou em instalação no Triângulo», Governo de Minas Gerais, Agronegócio - Potencialização da Infra-Estrutura Logística da Fronteira Agroindustrial .
  14. Parceria entre estados cria entreposto em Uberlândia, Agência Minas, 30 de julho de 2008 .
  15. " «Federação Mineira Libera e o Estádio Farião esta apto a receber jogos.». Globoesporte.com. 2014. Consultado em 19 de janeiro de 2014 
  16. guarani de divinopolis sem campo joga campeonato mineiro em nova serrana «exame: Guarani de Divinópolis, sem campo, joga Campeonato Mineiro em Nova Serrana» Verifique valor |url= (ajuda). Site de Notícias DiviNews. 2015. Consultado em 2 de Janeiro de 2015