Centro Educativo Recreativo Associação Atlética São Mateus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros significados de São Mateus, veja São Mateus.
Associação Atletica São Mateus
Escudo Associação Atlética São Mateus.png
Nome Centro Educativo Recreativo Associação Atlética São Mateus
Alcunhas Alvianil do Sernamby
Gigante do Norte
Azulão
Associação
Sama
PitBull do Norte
Torcedor/Adepto Alvianil Mateense
Mascote Pitbull
Fundação 13 de dezembro de 1963 (53 anos)
Estádio Manoel Moreira Sobrinho
(Sernamby)
Capacidade 4.500 pessoas[1]
Localização Bairro Sernamby
São Mateus, ES
Mando de jogo em Manoel Moreira Sobrinho
(Sernamby)
Presidente Brasil Célio de Angeli
Treinador Brasil Bartolomeu dos Santos
Patrocinador Brasil Banestes
Brasil Faculdade Vale do Cricaré
Material (d)esportivo Brasil Icone Sports
Competição Espírito Santo (estado) Campeonato Capixaba
Divisão Espírito Santo (estado) Série A
Ranking nacional 217º, 50 pontos[2]
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

O Centro Educativo Recreativo Associação Atlética São Mateus, conhecido como São Mateus e chamado pelos torcedores por Associação, é um clube brasileiro de futebol de São Mateus, Espírito Santo. Foi fundado em 13 de dezembro de 1963 a partir de um time formado quase praticamente por seminaristas da Congregação Mariana, tendo por primeiro nome Associação Atlética Paroquial. Mais tarde, com a profissionalização do clube, o mesmo passa a se chamar Associação Atlética Desportiva e por fim Centro Educativo Recreativo Associação Atlética São Mateus. O nome do clube é em homenagem a cidade de mesmo nome e suas cores, azul e branco, são uma homenagem ao manto de Nossa Senhora.[3]

Disputou o primeiro Campeonato Capixaba no ano de 1976, ficando em terceiro colocado. Sagrou-se campeão capixaba em 2009 e 2011. O clube também é detentor de dois títulos da Série B do Campeonato Capixaba, nos anos de 1987 e 2008.[3]

Tem como maior artilheiro Marcelo Cabeção, que atuou no clube nas décadas de 1990 e 2000.

História[editar | editar código-fonte]

A história da Associação Atlética São Mateus começa no dia 13 de dezembro de 1963, quando a comunidade do Sernamby se reuniu a seus líderes e decidiu iniciar a construção de um centro recreativo. Oito dias após essa reunião, o grupo conseguiu a doação de um terreno para essa obra, uma área de 16 mil m2, cedida pelo prefeito Otívio de Almeida Cunha.

A campanha teve ampla repercussão entre outras autoridades da cidade. Uma delas, o então bispo Dom José Dalvit, colocando-se a inteira disposição da comunidade do Sernamby para ajudar. Com o trabalho incontestável de vários elementos do bairro e o dinamismo de Padre Antônio Pianca, o Centro Educativo e Recreativo foi inaugurado a 5 de março de 1965. As instalações do centro contavam com três salas de aula, uma sala para a escola de datilografia e um amplo salão para reuniões e festas da comunidade.

Com o nome de Associação Atlética Paroquial e com suas camisas benzidas na Catedral de São Mateus pelo Padre Antônio Pianca, o time estreou contra o Jaguaré Futebol Clube, vencendo seu adversário por 3 a 1. Na segunda partida, dando inicio a uma rivalidade que perdura até os atuais dias, a Associação derrotou o Leão de São Marcos, de Nova Venécia por 3 a 2. Contando com o inestimável apoio do padre Antônio Pianca e o trabalho de toda a comunidade, o clube seguiu sua vida e logo conseguiu sensibilizar grande número de adeptos. Os primeiros times da Associação eram formados basicamente por seminaristas da Congregação Mariana.

No início a agremiação era dividida nos setores educação, dirigido por João Nardoto, e futebol, que contava com a direção de Walter. Nardoto permaneceu no cargo até 1968, cedendo seu posto para Belmiro Barvin, com José Carlos Almeida sucedendo Walter no futebol, ficando no cargo até 1970. Concluindo a construção do muro do estádio na sua administração, sempre com o apoio do padre Antônio Pianca, Belmiro Bravin permaneceu na presidência até 1974, sendo substituído por Ebes Lima Guimarães.

No ano de 1971, o clube, que até então se chamava Associação Atlética Paroquial, mudou de nome e passou a ser conhecido como Associação Atlética Desportiva, nome que foi utilizado até 1975, quando o então presidente Ebes Lima deu personalidade jurídica ao clube e realizou a fusão do Centro Recreativo à Associação, passando a se chamar Centro Educativo Recreativo Associação Atlética São Mateus. Também foi no ano de 1975 que o primeiro lance de arquibancadas foi construído no estádio, que atualmente é conhecido como arquibancada velha.

Nesse mesmo ano de 1975, a Associação conquistou o primeiro Campeonato do Norte do Estado, fato que o credenciou a participar do Campeonato Capixaba do ano seguinte. A final desse campeonato foi disputada no dia 31 de agosto no Estádio Joaquim Calmon em Linhares contra a Ferroviária de João Neiva. Os gols da Associação foram marcados por Pelota e Pelezinho. Nesse ano, o time base era formado por Mazinho, Joelson, Lesly, Gilberto, Gilson, Chicão, Ribon, Paulinho, Pavão, Pelezinho, Pelota, Sonha, Dirceu, Ariberto, Jorge e Rossi. Com a conquista desse ano, o São Mateus passou a ser conhecido como O Gigante do Norte. Também em 1975 o clube sagrou-se campeão do primeiro Torneio de Verão, realizado pela extinta Liden (Liga Desportiva do Norte), em finais disputadas contra o Santos de Barra de São Francisco.

No primeiro Campeonato Capixaba da Primeira Divisão que disputou, em 1976, o clube ficou em terceiro colocado, sendo eliminado nas semifinais pelo Rio Branco. Neste campeonato o clube conquistou o troféu de Campeão Estadual do Interior.[3]

Em 1979, a diretoria do clube decidiu voltar a disputar torneios amadores, por serem mais rentáveis. Nesse período o São Mateus foi tricampeão do Campeonato Estadual de Amadores (1984, 1985 e 1986) e bicampeão do Campeonato do Norte Capixaba (1984 e 1985). Nessa época, a diretoria do então presidente José Geraldo de Andrade entrou com uma ação na justiça reivindicando a posse do estádio. A justiça entendeu que era correta a reivindicação e a posse do estádio foi dada ao clube por usucapião.

Devido as conquistas no cenário amador e ao temor à camisa alvi-anil que os adversários tinham, em 1987 o clube voltou ao cenário profissional, sendo o campeão da primeira edição do Campeonato Capixaba da Segunda Divisão, retornando assim a Primeira Divisão em 1988.

Década de 1990[editar | editar código-fonte]

No ano de 1994, a Associação foi vice-campeã capixaba, após a Desportiva Ferroviária conquistar ambos os turnos da competição.

No ano de 1995, a Associação disputou o seu primeiro campeonato nacional, o Campeonato Brasileiro da Série C, vaga conquistada com o vice-capixaba do ano anterior. Nessa competição, a Associação foi a 89º colocada no geral, com quatro pontos conquistados, decorrentes de quatro empates.

Em 1999, disputou sua primeira Copa Centro-Oeste, aplicando a maior goleada da competição naquele ano, 8 a 0 em cima do Ivinhema-MS. Nesta competição, a Associação também teve a defesa menos vazada, com apenas 2 gols sofridos, terminando em 6º lugar.[4]

Década de 2000[editar | editar código-fonte]

No ano de 2000, o clube realizou a maior façanha de sua história, ao ser terceiro colocado Copa Centro-Oeste, após empatar, nas semi-finais, em ambos os jogos por 1 a 1 com o Vila Nova-GO, que conquistou a vaga por ter melhor campanha que a Associação. Vale ressaltar também que o São Mateus classificou-se às semi-finais como primeiro do seu grupo (grupo B).[5] Neste mesmo ano, devido a esse feito, o clube passou a ser conhecido como O Pit Bull do Norte.

Após o terceiro lugar na Copa Centro-Oeste, a Associação passou por um período de estagnação, com resultados medianos no Campeonato Capixaba, o que gerou certa insatisfação da torcida.

No ano de 2005, o clube montou uma das equipes mais fortes do Capixabão, sendo terceira colocada na competição. Nesse mesmo ano, o São Mateus fechou uma parceria com o Fluminense, do Rio de Janeiro. Para comemorar a iniciativa, foi marcado um jogo amistoso entre a equipe capixaba e a categoria sub-23 do clube carioca. O São Mateus, para cerca de 5 mil pessoas, debaixo de forte chuva e com direito a apagão dos refletores venceu o Fluminense por 3 a 1.

No ano de 2006, foi montada uma equipe em parceria com uma empresa de Ibiraçu. O projeto não rendeu como esperado e o clube foi rebaixado com apenas um ponto conquistado no Campeonato Capixaba.

Após o rebaixamento em 2006 e ter ficado em quinto lugar na Segunda Divisão de 2007, o São Mateus entra como umas das equipes favoritas ao título na Segunda Divisão de 2008, conseguindo se classificar às semifinais da competição em primeiro lugar.

Nas semifinais o São Mateus enfrentou a equipe do Vitória-ES, empatando por 2 a 2 o primeiro jogo em Bento Ferreira e goleando por 3 a 0 no Sernamby, garantindo assim vaga na Primeira Divisão em 2009. Nas finais encarou o Grêmio Laranjeiras (GEL), que havia derrotado a equipe do Estrela do Norte. O primeiro jogo, no município da Serra, terminou em 2 a 2. No jogo de volta, em São Mateus, a equipe alvi-anil saiu na frente do marcador, deixando o GEL virar para 2 a 1, placar que persistia até 37 minutos do segundo tempo, quando Ferrugem empatou o jogo com um chute de fora da área. O resultado, que se manteve até o fim da partida, dando o título ao São Mateus, por ter feito melhor campanha que o GEL.

Após ser campeão capixaba da Segunda Divisão, a diretoria do São Mateus chegou a ameaçar não disputar o Campeonato Capixaba de 2009 alegando falta de recursos para a disputa da competição. Caso isso tivesse acontecido, o clube seria novamente rebaixado à Segunda Divisão. Mas faltando apenas poucas semanas para o início do Capixabão, o presidente Joelson de Oliveira incumbiu Pedro Artur (supervisor), Bartô (gerente de futebol) e Vevé (técnico) de formarem uma equipe às pressas e que era composta de jogadores desconhecidos até então no cenário capixaba. Sua proposta e principal meta era não deixar novamente o clube ser rebaixado. Mas a desconhecida equipe e que até então levantava desconfiança da torcida, realizou uma das melhores campanhas da história do Campeonato Capixaba, classificando em primeiro lugar para as semifinais na penúltima rodada, enfrentando assim o Vilavelhense, sendo derrotado no Estádio Salvador Costa por 1 a 0 e vencendo no Sernamby por 2 a 0, classificando-se assim às finais do certame estadual.

Nas finais, o São Mateus enfrentou a segunda melhor equipe da competição, o Rio Branco, que vinha de um jejum de 24 anos sem ser Campeão Capixaba. No primeiro jogo, no Estádio Engenheiro Araripe para mais de 8.000 pessoas, o Rio Branco venceu pelo placar de 2 a 1, com direito até a contusão do juiz no segundo tempo.

Na partida de volta, no Sernamby, a equipe Capa Preta saiu na frente do placar, colocando uma vantagem de 2 a 0, iniciando assim uma série de eventos duvidosos por parte da equipe de Vitória.

Troféu Durval Soares

Após o primeiro gol da equipe mateense a confusão se instalou e após alguns minutos de violência, o árbitro Devarly do Rosário deu continuidade a partida, que não durou muito tempo, pois exatamente após o reinício, Bombom empatou para o São Mateus, o que novamente acarretou em paralisação.

Após quase 20 minutos de vandalismo, novamente o árbitro deu continuidade ao jogo, que não continuou por muito tempo. O senhor Devarly do Rosário viu-se obrigado a encerrar a partida com apenas 16 minutos de bola rolando no segundo tempo, após o atleta do Rio Branco Elder contundir-se após cobrar um lateral.

O campeão capixaba acabou sendo decido nos tribunais. O Pleno do TJD da Federação de Futebol do Estado do Espírito Santo decidiu que o título deveria ser dado ao São Mateus pelo Artigo 33 do Regulamento Geral da Campeonato e após alguns meses, o Pleno do STJD decidiu o mesmo, sagrando definitivamente o São Mateus como campeão capixaba de 2009.[6]

No mês de agosto, decidiu-se que o São Mateus deveria disputar a Copa Espírito Santo numa parceria com o Veneciano de Nova Venécia. Os jogos seriam mandados no Estádio Zenor Pedrosa Rocha, naquela cidade, mas os planos esbarraram na capacidade do estádio, que era de apenas 1.600 pessoas, sendo que o regulamento exigia no mínimo 2.000.

Década de 2010[editar | editar código-fonte]

Em 2010, a equipe disputou sua primeira Copa do Brasil, contra o Remo, do Pará, sendo eliminada na primeira fase, ao ser derrotada por 2 a 1 e por 4 a 1 na partida de volta. No Campeonato Capixaba, fez uma campanha fraca, trocando de técnico três vezes e terminando a competição em oitavo colocado.

No ano de 2011, a equipe conquistou pela segunda vez o título de campeão capixaba, levando para o Sernamby o Troféu Durval Soares e tendo Vevé como técnico novamente. Devido a problemas com FES sobre a real capacidade do Sernamby, ambas as finais foram realizada no Estádio Justiniano de Melo e Silva em Colatina, já que no regulamento exigia capacidade mínima de 5.000 pessoas para a final do campeonato. No primeiro jogo o placar foi de 1 a 1, mas na segunda partida o São Mateus venceu a equipe do Linhares por 2 a 0.[7][8]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Regional
Competição Títulos Temporadas
CBF - Taça Brasil.svg Taça da Amizade 1 1988Cscr-featured.png
Estaduais
Competição Títulos Temporadas
Espírito Santo (estado) Campeonato Capixaba 2 2009 e 2011
Espírito Santo (estado) Campeonato Estadual do Interior 1 1976
Espírito Santo (estado) Campeonato Capixaba - Série B 2 1987 e 2008
Espírito Santo (estado) Torneio Início 1 2003Cscr-featured.png
Outras Conquistas
Competição Títulos Temporadas
Espírito Santo (estado) Campeonato Estadual de Futebol Amador 3 1984, 1985 e 1986
Espírito Santo (estado) Copa Norte Capixaba 3 1975, 1984 e 1985
Espírito Santo (estado) Campeonato Centro-Norte 2 1984 e 1985
Espírito Santo (estado) Torneio de Verão 1 1975
Espírito Santo (estado) Torneio 1 de maio 1 1994
Espírito Santo (estado) Taça Cinquentenário de A Gazeta 1 1978
Espírito Santo (estado) Taça Cidade de São Mateus 1 2004
Divisões de Base
Competição Títulos Temporadas
Espírito Santo (estado) Campeonato Capixaba de Futebol Sub 20 1 2013
Espírito Santo (estado) Copa A Gazetinha Sub 19 1 1978
Brasil Taça Nacional São Mateus Sub 17 2 2000 e 2001
Espírito Santo (estado) Campeonato Capixaba de Futebol Sub 17 2 2003 e 2012
Espírito Santo (estado) Copa A Gazetinha Sub 17 1 1995
Espírito Santo (estado) Campeonato Capixaba de Futebol Sub 17 da Série B 2 1982 e 1988
Espírito Santo (estado) Campeonato Capixaba de Futebol Sub 15 1 2013
Brasil Búzios Cup sub 15 1 2012

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Últimas temporadas[editar | editar código-fonte]

Associação Atlética São Mateus
Ano Campeonato Brasileiro Copa do Brasil Campeonato Capixaba[9] Copa Espírito Santo
Div. Pos. J V E D GP GC Fase Máxima Div. Pos. J V E D GP GC Pos.
2002 - - - - - - - - A 18 8 3 7 22 25
2003 - - - - - - - - A 18 5 5 8 19 28
2004 - - - - - - - - A 18 5 3 8 22 28
2005 - - - - - - - - A 18 9 4 5 28 22
2006 - - - - - - - - A 10º 9 0 1 8 10 28
2007 - - - - - - - - B 6 2 2 2 7 8
2008 - - - - - - - - B 10 4 5 1 23 14
2009 - - - - - - - - A 22 13 3 6 33 23
2010 - - - - - - - - 1ª Fase A 18 4 3 11 20 29
2011 D 40º 8 0 3 5 7 19 A 18 9 5 4 35 21


Legenda:
     Campeão
     Vice-campeão
     Rebaixado
     Acesso

Participações em Campeonatos Nacionais[editar | editar código-fonte]


Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Legenda

Captain.: Atual Capitão

Goleiros
Brasil Hiran Captain.
Brasil Renan
Brasil Gregory
Laterais
Brasil Kennio
Brasil Elder
Brasil Pigmeu
Zagueiros
Brasil Fabiano
Brasil Felipe Almeida
Brasil Eron
Brasil Gustavo Mendes
Volantes
Brasil Adriano
Brasil Bismark
Brasil Léo Gonçalves
Brasil Gustavo Paulista
Brasil Tim
Meio-campistas
Brasil Ronicley
Brasil Leleu
Brasil Paulo Roberto
Brasil Bombom
Atacantes
Brasil Paulinho Pimentel
Brasil Armando Maranhão
Brasil Julio Cezar
Brasil Boneco
Comição Técnica
Brasil Pedro Artur (Técnico)
Brasil Dr. Mauro Peruchi (Médico)
Brasil Merivaldo (Preparador de Goleiros)
Brasil Vitor Almeida (Preparador Físico)
Brasil Jamil (Massagista)
Brasil Jeguinha (Massagista)


Símbolos[editar | editar código-fonte]

Escudo[editar | editar código-fonte]

Ao longo se sua história, o São Mateus possui cinco escudos. O primeiro foi utilizado no período que compreende os anos de 1963 até o ano de 1970. A alteração do modelo do escudo se deu em decorrência da alteração do nome do clube, que deixava de se chamar Associação Atlética Paroquial para se chamar Associação Atlética Desportiva.

O segundo brasão foi utilizado no período de 1970 até 1975. A mudança foi necessária pois novamente o clube mudara de nome em decorrência da fusão com o Centro Recreativo, passando então a ser conhecido pelo atual nome. O terceiro escudo foi utilizado de 1970 até o ano de 2009.

No ano de 2009, em função das conquistas do clube nesse período, fora adicionadas três estrelas ao escudo, que significavam o título capixaba de 2009 (a estrela central) e os dois títulos da série B do campeonato capixaba conquistados em 1987 e 2008 (as outras duas estrelas).

No ano de 2011, com a conquista do título capixaba do ano em questão, foi adicionada mais uma estrela ao escudo.

5º escudo do clube

Uniformes[editar | editar código-fonte]

Temporada 2017[editar | editar código-fonte]

  • Primeiro Uniforme: Camisa, calção e meias azuis.
  • Segundo Uniforme: Camisa, calção e meias brancas.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro

Temporada 2016[editar | editar código-fonte]

  • Primeiro Uniforme: Camisa listrada azul e branco, calção e meias azuis.
  • Segundo Uniforme: Camisa, calção e meias brancas.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo

Temporada 2015[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo

Temporada 2011[editar | editar código-fonte]

  • Primeiro Uniforme: Camisa listrada azul e branco, calção e meias azuis.
  • Segundo Uniforme: Camisa, calção e meias brancas.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • Uniforme de treino: Camisa verde, calção e meias verdes;
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'

Temporada 2010[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo

Temporada 2009[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro

Temporadas anteriores[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2008
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2005
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1999
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1992
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1987
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1985
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1976
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1968

Hino[editar | editar código-fonte]

Letra: Horaldo Coelho

Azul e Branco, com muita raça pintei meu coração
Sou São Mateus, uma história de amor e tradição.
São Mateus, desde o início em 63
Com páginas de glória, escreve um livro que traduz a sua história.
Bola na rede, gol grita a torcida, esse time é campeão
Posso sorrir, posso chorar,
São Mateus é São Mateus,
Pra sempre vou te amar.

Estádio do Sernamby[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Estádio do Sernamby
Sernamby

O Estádio Manoel Moreira Sobrinho, mais conhecido como Estádio do Sernamby é um estádio de futebol com capacidade para 4.500 pessoas, localizado no Bairro Sernamby.[1]

Ranking da CBF[editar | editar código-fonte]

Ranking atualizado em dezembro de 2016

  • Posição: 217º
  • Pontuação: 50 pontos[2]

Ranking criado pela Confederação Brasileira de Futebol para pontuar todos os clubes do Brasil.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Sernamby é liberado e São Mateus pode jogar em casa do Capixabão». globoesporte.com. 6 de fevereiro de 2017. Consultado em 6 de fevereiro de 2017 
  2. a b «RNC - Ranking Nacional dos Clubes 2017» (PDF). CBF. 12 de dezembro de 2016. Consultado em 13 de dezembro de 2016 
  3. a b c «História do CERAA São Mateus». FES. Consultado em 31 de janeiro de 2017 
  4. Bola na Área. «Copa Centro Oeste 1999». Consultado em 23 de setembro de 2009 
  5. Bola na Área. «Copa Centro Oeste 2000». Consultado em 23 de setembro de 2009 
  6. «São Mateus é o Campeão Capixaba de 2009». gazetaonline.com. 1 de junho de 2010. Consultado em 7 de fevereiro de 2017 
  7. «Após um empate no primeiro jogo, Linhares e São Mateus decidem o Campeonato Capixaba 2011». gazetaonline.com. 28 de maio de 2011. Consultado em 8 de fevereiro de 2017 
  8. «São Mateus vence o Linhares e conquista o Campeonato Capixaba». globoesporte.com. 29 de maio de 2011. Consultado em 7 de fevereiro de 2017 
  9. RSSSF Brasil. «Resultados Históricos - Região Sudeste». Consultado em 23 de junho de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]