Centro Internacional de Tecnologia e Inovação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O Centro Internacional de Tecnologia e Inovação (CITI) é um projeto criado pelo governo João Doria e realizado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico em parceria com a Prefeitura de São Paulo cujo intuito é a promoção de ciência, tecnologia e inovação. Localizado na cidade de São Paulo, o projeto foi desenvolvido para se tornar o "Vale do Silício da América Latina", conectando empresas, startups e pesquisadores em um único local, incentivando o desenvolvimento econômico do estado, além de tornar a cidade uma referência global nesses setores.[1][2]

O CITI será dividido em quatro etapas, tendo a primeira sido concluída no final de 2020 com o lançamento do IPT Open Experience, no Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), destinado a empresas de diferentes portes e setores econômicos que requisitem soluções com alta intensidade tecnológica (hardtech).[3]

História e lançamento[editar | editar código-fonte]

A concepção do projeto se deu no ano de 2018, momento em João Doria ainda era prefeito de São Paulo. A ideia seria que o distrito de tecnologia e inovação fosse implantado na área da Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo). Porém, no ano seguinte, quando Doria assumiu o governo do estado de São Paulo, houve uma divergência entre o governo do estado e o governo federal com relação à área da Ceagesp. Desse modo, com intuito de acelerar a implantação da proposta, o projeto precisou ser adaptado, o que levou Doria a aproveitar instalações já existentes do governo estadual.[4]

A primeira das quatro fases do projeto, intitulada IPT Open Experienc, foi lançada em novembro de 2020 no espaço do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT). Nesse lançamento, a empresa de biotecnologia GranBio já deu início às atividades em suas instalações no campus, atuando na modalidade Centro de Inovação, e houve adesão de quatro multinacionais ao projeto: Siemens, Siemens Energy, Kimberly Clark e 3M, na categoria Hub de Inovação.[2] Naquele momento, o projeto havia atraído investimentos de mais de meio bilhão de reais.[4]

Em abril de 2021, André Esteves e Roberto Sallouti, do BTG Pactual, anunciaram a criação do Instituto de Tecnologia e Liderança (Inteli), que tem como inspiração o Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, o qual será focado em inovações e empreendedorismo na área da computação. A instituição, cuja fundação concretizou-se após a família de Esteves ter feito uma doação de 200 milhões de reais, localizada no Prédio 5 do Instituto de Pesquisas Tecnológicas, integra o IPT Open e oferecerá, em primeiro ano letivo (em 2022), quatro cursos de bacharelado: Engenharia da Computação, Engenharia de Software, Ciência da Computação e Sistemas de Informação.[5]

"O Vale do Silício brasileiro para ter escala global precisa atrair talentos de todo país e de todo o mundo. O que os investidores precisam hoje no Brasil é estabilidade, é respeito das instituições e é isso que esse tipo de contrato nos permite fazer, uma parceria onde nós temos regras claras, todo modelo transparente de gestão. Estamos dando um próximo salto em investimento e tecnologia", Patricia Ellen, Secretária de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo.[5]

Na segunda etapa, será inaugurado o Parque Tecnológico do Jaguaré, que será aglutinado ao IPT. Já nas terceira e a quarta etapas, haverá ampliação dos espaços para que laboratórios e centros de inovação de empresas, startups e incubadoras sejam instalados.[6]

Referências

  1. «Vale do Silício brasileiro ganha faculdade com cursos de tecnologia e inovação». Governo do Estado de São Paulo. 7 de maio de 2021. Consultado em 27 de outubro de 2021 
  2. a b «Governo de SP inaugura primeira etapa do CITI no espaço do IPT Open Experience». Governo do Estado de São Paulo. 25 de novembro de 2020. Consultado em 27 de outubro de 2021 
  3. Alisson, Elton (9 de junho de 2021). «Projeto para criação de distritos de inovação em São Paulo avança». AGÊNCIA FAPESP. Consultado em 27 de outubro de 2021 
  4. a b «Com CITI, Doria quer criar em São Paulo o Vale do Silício da América Latina». OVALE. 24 de setembro de 2021. Consultado em 27 de outubro de 2021 
  5. a b «Com foco em inovação e empreendedorismo digital, Inteli quer se tornar o 'MIT brasileiro'». Época Negócios. 26 de setembro de 2021. Consultado em 27 de outubro de 2021 
  6. «Caso USP: como o mercado financeiro cerca a Ciência». Outras Palavras. 12 de agosto de 2021. Consultado em 27 de outubro de 2021