Centro de Instrução Almirante Graça Aranha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2017). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Brasão do CIAGA.png

O Centro de Instrução Almirante Graça Aranha ou CIAGA, também conhecido como "Universidade do Mar", é o complexo de instalações que mantém a Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante (EFOMM).

Histórico[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 1892, em Belém do Pará, foram criados a Escola de Maquinistas e o Curso de Náutica, visando a formação de Oficiais para a Marinha Mercante Nacional. Tais instituições foram anexadas num só organismo em fevereiro de 1907, quando nasceu a Escola de Marinha Mercante do Pará.

Os jovens da época, que tinham dificuldade de ir até Belém para a sua iniciação, formavam-se no Rio de Janeiro, através de aulas particulares, ministradas por Oficiais da Marinha de Guerra, e de aulas práticas, a bordo de navios mercantes.

Com o advento da Segunda Guerra Mundial, os contingentes da Marinha de Guerra foram mobilizados para o adequado preparo das Forças Navais, causando necessidade de criação, em 10 de novembro de 1939, da Escola de Marinha Mercante do Lloyd Brasileiro, a qual passou a funcionar no prédio da empresa, tendo como seu primeiro Diretor o Almirante Graça Aranha.

Em junho de 1956, foi extinta a Escola do Lloyd e criada a Escola de Marinha Mercante do Ministério da Marinha, em dependências próprias, na Avenida Brasil, nº 9020, a beira mar, em terreno com área de 97.500m2.

Até 1964, para as 500.000 tpb de embarcações de que dispunha a Marinha Mercante Nacional, a formação dos Oficiais foi bastante satisfatória, com o mercado de trabalho absorvendo, adequadamente, a oficialidade forjada na nova Escola.

O crescimento da Marinha Mercante, a expansão da construção naval, os corredores de exportação e os terminais portuários especializados, provocaram conseqüências imediatas e irreversíveis no comércio marítimo e na economia da nação.

Para guarnecer os grandes e modernos navios que surgiram era necessário o preparo de homens capazes, dotados de conhecimentos adequados à manobra de navios e qualificados para acompanhar o desenvolvimento da tecnologia naval.

Por decisão do governo, a solução mais apropriada para a formação de pessoal capacitado coube à Marinha de Guerra, através da Diretoria de Portos e Costas, que passou a ser responsável pelo ensino técnico-profissional a todos os marítimos, inclusive o pessoal subalterno que até então não dispunha de uma escola para seu aprendizado.

A resposta para esse desafio foi a criação do Centro de Instrução Almirante Graça Aranha, o CIAGA, verdadeira Universidade do Mar, orgulho da nossa Comunidade Marítima, cuja construção foi iniciada em 1971 e concluída em 1973, sendo inaugurado no dia 12 de janeiro de 1971.

O Centro de Instrução Almirante Graça Aranha vem, desde então, formando Oficiais, atualizando-os e aperfeiçoando-os nas várias fases da carreira, bem como técnicos graduados e subalternos, além de ministrar um vasto programa de cursos especiais a todos os marítimos.

Heráldica[editar | editar código-fonte]

Em um escudo boleado, encimado pela coroa naval e envolto por uma elipse feita de um cabo de ouro terminado em nó direito, em campo azul um navio antigo, de três mastros, vestido e aparelhado de ouro, vogante num contrachefe feixado-ondado de prata e azul de cinco peças; chefe ondado, de vermelho com três setas de ouro com as pontas voltadas para cima, duas passadas em aspa e uma disposta em pala e partido de verde com uma esfera armilar de ouro.

O presente distintivo, outrora pertencente à Escola de Marinha Mercante do Rio de Janeiro, foi adotado pelo Centro de Instrução Almirante Graça Aranha a fim de que fique sempre lembrado o tradicional estabelecimento de ensino do qual teve origem o Centro.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]