Cephalotaxus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Como ler uma caixa taxonómicaCephalotaxus
Cephalotaxus harringtonia

Cephalotaxus harringtonia
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Pinophyta
Classe: Pinopsida
Ordem: Pinales
Família: Cephalotaxaceae
Género: Cephalotaxus
Siebold & Zucc. ex Endl.
Espécies
Cephalotaxus fortunei

Cephalotaxus griffithii
Cephalotaxus hainanensis
Cephalotaxus harringtonia
Cephalotaxus koreana
Cephalotaxus lanceolata
Cephalotaxus latifolia
Cephalotaxus mannii
Cephalotaxus oliveri
Cephalotaxus sinensis
Cephalotaxus wilsoniana

Cephalotaxus é um género de coníferas que engloba 11 espécies, incluídas quer na família Cephalotaxaceae, ou na família Taxaceae, quando esta família é considerada em sentido lato. O género é endémico da Ásia oriental, apesar das evidências fósseis mostrarem que no passado possuía uma distribuição mais ampla no hemisfério norte. As espécies são arbustos perenifólios e pequenas árvores com 1 a 10 metros (raramente até 20 metros) de altura.

Descrição[editar | editar código-fonte]

As folhas estão dispostas em espiral ao longo dos ramos, mas torcidas na base formando duas filas planas (exceto em ramos eretos de crescimento); são lineares, com 3 a 11 cm de comprimento e 3 a 4 mm de largura, com textura lisa e uma ponta romba; esta característica ajuda a distinguir este género de Torreya, um género aparentado, que possui folhas com terminações pontiagudas.

As espécies deste género podem ser monóicas ou dióicas; quando monóicas, os cones masculino e feminino encontram-se geralmente em ramos diferentes. Os cones masculinos, com 5 a 8 cm de comprimento, estão agrupados em linhas na face inferior dos caules. Os cones femininos são solitários ou agrupados em grupos de 2 até 15 em caules curtos; inicialmente minúsculos, maturam em cerca de 18 meses formando uma estrutura tipo drupa com uma única grande semente tipo noz com 1.5 a 4 cm de comprimento rodeada por uma cobertura carnuda, de cor verde a púrpura quando totalmente madura. Pensa-se que a dispersão natural seja ajudada por esquilos que enterram as sementes como fonte de alimento para o inverno; quaisquer sementes não consumidas podem então germinar.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]