Cerboga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Iluminura do cerco de Cerboga a Antioquia em 1098

Cerboga (em árabe: كربغا; transl.: Kerbogha; em turco: Kürboğa), ou Corbaran segundo um cronista franco, foi um atabegue, ou governador, de Moçul durante a Primeira Cruzada.

Vida[editar | editar código-fonte]

Em 1098, quando este general de renome soube que os cruzados tinham cercado Antioquia, juntou o seu exército para auxiliar a cidade. Quando chegou ao local, a 7 de junho, descobriu que os cristãos tinham tomado a cidade quatro dias antes, massacrando os habitantes muçulmanos. Incapazes de reabastecer a cidade antes da chegada de Cerboga, este agora cercava os há bem pouco sitiadores de Antioquia.

Pedro, o Eremita terá sido enviado como emissário pelos líderes cristãos ao general Cerboga para sugerir que a posse da cidade fosse decidida em duelo, mas Cerboga terá recusado, uma vez que estava em situação de vantagem militar.

Durante o cerco, o monge e místico Pedro Bartolomeu afirmou ter descoberto a Santa Lança que feriu o flanco de Cristo na cruz depois de ter visões de Santo André. Muitos, incluindo o legado papal Ademar de Monteil, bispo de Le Puy, e o líder cruzado Boemundo de Taranto, acreditavam que Pedro era um charlatão e que trouxera um pedaço de ferro, fingindo encontrá-lo na igreja de São Pedro. Mas no geral esta descoberta foi aceite, inclusivamente por Raimundo IV de Tolosa, outro líder, e aumentou o moral dos cruzados.

Ao mesmo tempo ocorreram desentendimentos e lutas internas no exército muçulmano. A 28 de junho, quando Boemundo de Taranto decidiu atacar, Cerboga foi surpreendido porque tinha recebido informações de um exército cristão fraco e desorganizado. Em vez disso, enfrentou forças motivadas e unidas, em parte devido ao misticismo da relíquia cristã, enquanto o seu próprio exército mostrava sinais de dissensão. Forçado a retirar voltou para Moçul em desgraça.