Cerro Azul (Paraná)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outras cidades com este nome, veja Cerro Azul.
Município de Cerro Azul
"Terra da laranja"
Bandeira de Cerro Azul
Brasão de Cerro Azul
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 27 de outubro
Fundação 1882 (135 anos)
Gentílico cerroazulense
Prefeito(a) Patrik Magari (PMDB)
(2017–2020)
Localização
Localização de Cerro Azul
Localização de Cerro Azul no Paraná
Cerro Azul está localizado em: Brasil
Cerro Azul
Localização de Cerro Azul no Brasil
24° 49' 26" S 49° 15' 39" O24° 49' 26" S 49° 15' 39" O
Unidade federativa  Paraná
Mesorregião Metropolitana de Curitiba IBGE/2008 [1]
Microrregião Cerro Azul IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Curitiba
Municípios limítrofes Adrianópolis, Tunas do Paraná, Doutor Ulysses, Bocaiúva do Sul, Castro, Rio Branco do Sul e Itaperuçu.
Distância até a capital 92 km
Características geográficas
Área 1 341,187 km² [2]
População 16 948 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 12,64 hab./km²
Altitude 318 m
Clima Subtropical ST
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,684 médio PNUD/2000 [4]
PIB R$ 138 939,196 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 7 526,50 IBGE/2008[5]
Página oficial

Cerro Azul é um município brasileiro do estado do Paraná pertencente ao Vale do Ribeira. Conhecida como a terra da laranja, pelas inúmeras produções desse gênero de fruta, fica a 92 quilômetros da capital do estado. Sua população em 2007 era de 17.693 habitantes.

Cercada de montanhas, seus bairros afastados constituem de população rural e urbana, encontrando na agricultura sua principal fonte de renda, complementado pelas riquezas do Rio Ribeira.

Uma de suas maiores atrações é a Festa da Laranja que apresenta ao Estado os produtos produzidos pela agricultura local.

Cerro Azul possui o segundo mais baixo índice de desenvolvimento humano (IDH) do estado do Paraná.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O termo "Cerro" é expressão de origem espanhola e designa morro (elevação montanhosa).[6] A denominação provém da existência de um morro nas cercanias do município. Este cerro em certas ocasiões oferece um perfil de tom azulado, daí a incorporação pelos fundadores do povoado, do nome Cerro Azul.[6]

História[editar | editar código-fonte]

Um forte movimento de colonização foi sentido desde 1853, quando a Província do Paraná foi emancipada de São Paulo.[7][8] Foi naquele tempo que a criação de uma colônia agrícola nas regiões dos rios Ponta Grossa e da Ribeira foi vislumbrada pela princesa Isabel Cristina, filha do imperador Pedro II.[8]

Um contingente de engenheiros agrônomos e técnicos ali se postaram com a missão de analisarem a qualidade do solo, que ofereceram resultados altamente satisfatórios. Surgiu então, a partir de 1860, a Colônia Açungui, cuja sede administrativa localizava-se às margens do Rio Ponta Grossa, nas proximidades de um morro conhecido por Cerro Azul.[8]

A área estabelecida pelo Governo Imperial foi de 59.681,4 hectares, divididos em quatrocentos lotes, distribuídos a imigrantes alemães, ingleses, franceses, suíços e italianos.[8]

A comunidade prosperou e sua consolidação como núcleo habitacional ficou fortalecida com a construção de vários prédios públicos, destacando-se o da administração pública, residência do administrador, igreja matriz, casa paroquial e outros.[8]

A princesa Isabel continuava na tarefa de ajudar Açungui, que no período imperial foi um dos núcleos de maior projeção na Província.[8]

"Os primeiros administradores da Colônia Açungui foram Barata Ribeiro, Manoel Nabuco e José Borges, que muito contribuíram para que o núcleo fosse elevado à categoria de freguesia em 2 de abril de 1872, sob a invocação de Nossa Senhora da Guia. Segundo o historiador Romário Martins "...em 1875 tinha a Colônia Assungui 1.824 habitantes, sendo 875 brasileiros, 338 franceses, 221 ingleses, 202 italianos, 171 alemães, 16 espanhóis e apenas um sueco".[8]

Nesta época houve dispersão de muitas famílias de imigrantes, principalmente por acharem a colônia muito isolada e de difícil acesso à capital. Isto de fato seria fator de empecilho para o crescimento econômico da região.[8]

A lei provincial nº 680, de 27 de dezembro de 1882 dá foros de vila à Açungui, devidamente instalada em 20 de fevereiro de 1883.[8]

A lei provincial nº 816, de 7 de novembro de 1885, determina que Açungui passe a se chamar Cerro Azul. Pela lei nº 259, de 27 de dezembro de 1897, o lugar passa a ser município, sendo que o primeiro prefeito municipal foi o sr. Francisco Miguel Hennes.[8][9]

A República não soprou bons ventos para Cerro Azul. Sem o apoio imperial iniciou-se período de declínio econômico. A situação agravou-se com a construção da Estrada de Ferro São Paulo-Rio Grande, deixando a região ao largo do movimento de transportes regionais. Outro fator determinante de isolamento foi a construção da estrada ligando Curitiba a São Paulo. A situação sói foi melhorar a partir da década de 1940, quando o Interventor Manoel Ribas ordenou que fizesse uma estrada ligando Cerro Azul à rodovia Curitiba-São Paulo.[8]

Atualmente uma rodovia liga o município aos principais centros produtores do estado.[8]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. a b FERREIRA, João Carlos Vicente (1996). O Paraná e seus municípios. Maringá: Memória Brasileira. 232 páginas 
  7. FERREIRA, João Carlos Vicente (1996). O Paraná e seus municípios. Maringá: Memória Brasileira. 230 páginas 
  8. a b c d e f g h i j k l FERREIRA, João Carlos Vicente (1996). O Paraná e seus municípios. Maringá: Memória Brasileira. 231 páginas 
  9. Marshall, Oliver (2005). English, Irish and Irish-American Pioneer Settlers in Nineteenth-Century Brazil. Oxford: Centre for Brazilian Studies, University of Oxford 


Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Paraná é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.