Cessna 172

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cessna 172 Skyhawk
Avião
Cessna 172M
Descrição
Tipo / Missão Avião de treinamento civil
País de origem  Estados Unidos
Fabricante Cessna
Desenvolvido de Cessna 170
Desenvolvido em Cessna 175
Primeiro voo em 1956 (63 anos)
Tripulação 1
Passageiros 3
Especificações (Modelo: C172R)
Dimensões
Comprimento 8,28 m (27,2 ft)
Envergadura 11 m (36,1 ft)
Altura 2,72 m (8,92 ft)
Área das asas 16,2  (174 ft²)
Alongamento 7.5
Peso(s)
Peso vazio 743 kg (1 640 lb)
Peso máx. de decolagem 1 110 kg (2 450 lb)
Propulsão
Motor(es) 1x Lycoming IO-360-L2A
Potência (por motor) 160 hp (119 kW)
Performance
Velocidade máxima 302 km/h (163 kn)
Velocidade de cruzeiro 222 km/h (120 kn)
Alcance (MTOW) 1 270 km (789 mi)
Teto máximo 4 120 m (13 500 ft)
Razão de subida 3.65 m/s
Notas
Os dados apresentados são baseados no modelo C172R e podem variar de acordo com o modelo de comparação.

O Cessna 172 Skyhawk é um avião americano de quatro lugares, monomotor, asa alta e asas fixas, fabricado pela Cessna Aircraft Company.[1] Voado pela primeira vez em 1955, mais 172s foram construídos do que qualquer outra aeronave.[2]

Medido por sua longevidade e popularidade, o Cessna 172 é a aeronave de maior sucesso na história. A Cessna entregou o primeiro modelo de produção em 1956 e, a partir de 2015, a empresa e seus parceiros haviam construído mais de 44.000 unidades. A aeronave permanece em produção até hoje.[3]

Os principais concorrentes do Skyhawk foram a série Beechcraft Musketeer e Grumman AA-5, o Piper Cherokee e, mais recentemente, o Diamond DA40 e o Cirrus SR20.[4]

Descrição e Características de Voo[editar | editar código-fonte]

Interior de um Cessna 172.

O Cessna 172 tem reputação de aeronave extemamente fácil de pilotar e robusta. Bastante estável, é apreciada para voo de lazer e viagem. Com baixa carga alar (peso / área das asas) e asas de perfil convencional de alta sustentação, pode operar em pistas curtas e mal preparadas (saibro, cascalho, grama, etc).

Os flaps são do tipo slotted (fenda), e defletem em ângulo de até 40 graus. A atuação dos mesmos é elétrica, com motor instalado na asa direita comandado através de switch no painel.

As asas são do tipo alta semi-cantilever e o trem de pouso é do tipo triciclo, fixo, com amortecedores do tipo lâmina no trem principal e hidráulico no trem do nariz e rodas carenadas.

O design do Cessna 172 transpira simplicidade e praticidade. O alarme de perda de sustentação, que em outras aeronaves é um dispositivo elétrico, neste Cessna é um mecanismo aerodinâmico, um apito no bordo de ataque accionado pela sucção do ar para fora da asa, sucção esta causada pela depressão barometrica no bordo de ataque da asa acontecimento característico da perda de sustentação. As asas altas, por sua vez, abrigam os tanques de combustível. Isto permite a alimentação do motor por gravidade, sem a necessidade de uma bomba de combustível adicional (boost pump ou auxiliary pump) elétrica. Os amortecedores também mostram a simplicidade do design da Cessna. Do tipo lâmina de aço, os amortecedores do trem de pouso principal não possuem nenhum mecanismo hidráulico como em outras aeronaves da mesma categoria, como os monomotores de asa baixa da Piper Aircraft.

Serviço Americano[editar | editar código-fonte]

A Patrulha de Fronteira Norte Americana opera uma frota que consiste em alguns C-172. Eles são utilizados para patrulha aérea ao longo da fronteira com o México.

Operadores Militares[editar | editar código-fonte]

  • Angola, Bolívia, Chile, Colômbia, República Dominicana, Equador, El Salvador, Grécia, Guatemala, Honduras, Indonésia, Irlanda, Libéria, Nicarágua, Paquistão, Panamá, Peru, Filipinas, Arábia Saudita, Coreia do Sul, Tailândia, Trinidad e Tobago, Turquia, Estados Unidos (Força Aérea, Exército).

Conteúdo relacionado[editar | editar código-fonte]

Aeronaves da mesma "família":

Ver também[editar | editar código-fonte]

Aeronaves Similares

Referências

  1. «Cessna Skyhawk». cessna.txtav.com. Consultado em 16 de novembro de 2019 
  2. Staff, Editorial (4 de outubro de 2007). «Cessna to Offer Diesel Skyhawk». AVweb (em inglês). Consultado em 16 de novembro de 2019 
  3. «Cessna 172: Still Relevant». Flying (em inglês). Consultado em 16 de novembro de 2019 
  4. «Cirrus vs. Cessna: A student pilot's comparative analysis by Patricio Puga | Coastflight». web.archive.org. 11 de maio de 2018. Consultado em 16 de novembro de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.