Chão de Maçãs

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de caixa informativa ou a usada não é a mais adequada. Foi sugerido que adicionasse esta.
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2018). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Capela de Santa Marta.
Chafariz.
Lavadouro Público ("Tanque").
Cruzeiro de Chão de Maçãs.
Viaduto de Chão de Maçãs.
Passeio de BTT na aldeia.

Chão de Maçãs (em português: arcaico Cham de Massans ), é uma pequena aldeia no distrito de Santarém, Portugal. Tem como curiosidade principal o facto de pertencer a dois concelhos: o de Tomar[1] e o de Ourém[2].[3] Ou seja, a aldeia está "dividida a meio" por uma estrada que serve de limite entre as duas sedes de concelho. É portanto uma aldeia que pertence a duas freguesias: Seiça e Sabacheira, a dois concelhos (Ourém e Tomar) e a um distrito (Santarém).

Geografia[editar | editar código-fonte]

Passa por esta localidade a principal linha ferroviária do país, a linha do Norte, que liga Lisboa ao Porto. Por esse motivo foram construídas, em 1864, duas obras ferroviárias. O túnel de Chão de Maçãs e a ponte ferroviária de Seiça, na localidade de Seiça, Ourém. Foram consideradas na época (1864) como importantes obras de arte. O túnel tem um comprimento aproximado de 650 metros, a ponte tem cerca de 90 metros.

A travessia rodoviária e pedonal sobre a linha ferroviária fazia-se, por uma passagem de nível com guarda que foi desactivada no dia 10 de Julho de 2004 pelas 24 horas. Depois desta data o tráfego passou-se a fazer por duas alternativas desniveladas construídas para o efeito:

Passa por esta localidade a estrada nacional EN113-1, que liga a localidade de Chão de Maçãs (Gare) a Ourém, sendo uma alternativa à estrada nacional EN113.

A aldeia é limitada a Norte e a Oeste pela freguesia de Seiça. É banhada a Norte pela Ribeira de Seiça, que é afluente do Rio Nabão e este do Rio Zêzere.

Património[editar | editar código-fonte]

Lendas[editar | editar código-fonte]

Segundo habitantes da aldeia, existem pelo menos duas lendas acerca do nome da aldeia, que podem explicar a sua origem. Diz a primeira que outrora, este local era habitado ou visitado frequentemente por um vendedor de maçãs que se chamava João. Daí surgiu o nome João das Maçãs que deu em Chão de Maçãs. A segunda defende que foi numa visita que El Rei, passando pela centenária aldeia (antes ponto de paragem e dormida dos prisioneiros em viagem entre Lisboa e Porto) e vendo as enormes extensões de macieiras plantadas e seus frutos cobrindo o solo, terá afirmado estar perante um verdadeiro "chão de maçãs".

Outras lendas existem sobre a aldeia, como está inscrito no seu cruzeiro: "Chão de Maçãs, seus séculos e suas lendas".

Turismo[editar | editar código-fonte]

A aldeia acolhe actualmente a Casa dos Pinheiros - Turismo Rural, uma das três "casas de charme" do concelho de Ourém, a qual é valorizada pelos extensos terrenos do engenho (legado da família Pinheiro passado de geração em geração) e a situação geográfica privilegiada entre a estação "Chão de Maçãs - Gare" e as cidades de Tomar e Fátima.[parcial?]

Desporto[editar | editar código-fonte]

Apesar da sua dimensão foi, desde 2005 até Janeiro de 2010, sede de um dos mais antigos grupos organizadores de eventos BTT do concelho: o BTT Clube dos Pinheiros, que organiza entre dois a três eventos por ano com partida ou passagem obrigatória pelo coração da aldeia.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.