Estação Ferroviária de Chão de Maçãs-Fátima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Chão de Maçãs (Gare))
Ir para: navegação, pesquisa
Chão de Maçãs-Fátima
Linha(s) Linha do Norte
(PK 129,563)
Coordenadas 39° 39′ N 8° 29′ W
Concelho Tomar
Serviços Ferroviários Intercidades, Regional
Serviços Telefones públicos Sala de espera Lavabos Acesso para pessoas de mobilidade reduzida Elevadores Caixas de correio Parque de estacionamento Serviço de táxis Lavabos adaptados

A Estação Ferroviária de Chão de Maçãs-Fátima, originalmente conhecida apenas por Chão de Maçãs e posteriormente por Fátima, é uma plataforma ferroviária de passageiros da Linha do Norte, que está situada na Freguesia de Sabacheira, no Concelho de Tomar, em Portugal, servindo toda a população do concelho de Tomar, dos concelhos vizinhos e ainda os milhares de turistas que anualmente por ali passam. Embora esta interface detenha o nome de Fátima, a localidade de Fátima situa-se ainda a mais de 20 quilómetros de distância, sendo mesmo assim a estação mais próxima. Em maio de 2012, com a abertura no IC9, junto à Estação de Fátima em Vale dos Ovos, esta passou a ser uma via privilegiada de acesso a Fátima, percorrida em menos de 15 minutos.

Anúncio de 1873, onde esta estação surge com o nome original, Chão de Maçãs.

História[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: História da Linha do Norte

Inauguração[editar | editar código-fonte]

Esta estação situa-se no troço entre Entroncamento e Soure da Linha do Norte, que abriu à exploração em 22 de Maio de 1864, epal Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses.[1]

Século XX[editar | editar código-fonte]

Em 10 de Julho de 1937, foi autorizada a concessão de um serviço rodoviário de passageiros e mercadorias, ligando esta estação às localidades de Vila Nova de Ourém e Seiça.[2] Em 1939, um comboio especial entre Lisboa e o Porto, para regular a marcha dos serviços rápidos, fez uma paragem rápida nesta estação.[3]

Em Novembro de 1915, estavam em construção casas para a habitação de pessoal, nesta estação.[4]

Em 1982, o papa João Paulo II viajou de comboio entre Lisboa - Santa Apolónia, Fátima e Braga, durante uma visita a Portugal.[5]

Em 2000, foi inaugurado um sistema de articulação intermodal por via rodo e ferroviária, servindo as localidades de Caxarias, Ourém e Fátima.[6]

Caracterização[editar | editar código-fonte]

Localização e acessos[editar | editar código-fonte]

Esta interface situa-se junto à localidade de Chão de Maçãs, possuindo acesso rodoviário pela Estrada Nacional 113.[7]

Descrição física[editar | editar código-fonte]

Em Janeiro de 2011, possuía 4 vias de circulação, com comprimentos entre os 269 e 338 m; as plataformas tinham todas 308 de extensão, e 90 cm de altura.[8]

Serviços[editar | editar código-fonte]

A operadora CP - Comboios de Portugal serve Chão de Maçãs/Fátima com os seguintes serviços:

  • Regional, que efectua a ligação entre Coimbra e o Entroncamento.
  • Intercidades, do eixo Beira Alta (Lisboa - Guarda - Lisboa).
  • InterRegional, serviço de fim-de-semana Entroncamento-Porto.

Transportes complementares[editar | editar código-fonte]

A operadora Rodoviária do Tejo estabelece algumas carreiras de serviço interurbano com passagem nesta estação ferroviária. A designação da paragem é "Vale d'Ovos (Fat.Est.)" na qual efetuam passagem as carreiras:

  • Abrantes - Tomar - Ourém - Nazaré.
  • Abrantes - Tomar - Ourém - Leiria.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. TORRES, Carlos Manitto (1 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1681). p. 9-12. Consultado em 2 de Março de 2014 
  2. «Parte Oficial» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 49 (1192). 16 de Agosto de 1937. p. 413-414. Consultado em 2 de Março de 2014 
  3. «A Futura Marcha dos Combóios» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 51 (1232). 16 de Abril de 1939. p. 208. Consultado em 2 de Março de 2014 
  4. «Efemérides» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 51 (1231). 1 de Abril de 1939. p. 202-204. Consultado em 2 de Março de 2014 
  5. REIS et al, 2006:170
  6. REIS et al, 2006:202
  7. «Chão de Maçãs - Fátima - Linha do Norte». Infraestruturas de Portugal. Consultado em 14 de Maio de 2017 
  8. «Linhas de Circulação e Plataformas de Embarque». Directório da Rede 2012. Rede Ferroviária Nacional. 6 de Janeiro de 2011. p. 71-85 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • REIS, Francisco; GOMES, Rosa; GOMES, Gilberto; et al. (2006). Os Caminhos de Ferro Portugueses 1856-2006. Lisboa: CP-Comboios de Portugal e Público-Comunicação Social S. A. 238 páginas. ISBN 989-619-078-X 

Leitura recomendada[editar | editar código-fonte]

  • CERVEIRA, Augusto; CASTRO, Francisco Almeida e (2006). Material e tracção: os caminhos de ferro portugueses nos anos 1940-70. Col: Para a História do Caminho de Ferro em Portugal. 5. Lisboa: CP-Comboios de Portugal. 270 páginas. ISBN 989-95182-0-4 
  • QUEIRÓS, Amílcar (1976). Os Primeiros Caminhos de Ferro de Portugal: As Linhas Férreas do Leste e do Norte. Coimbra: Coimbra Editora. 45 páginas 
  • SALGUEIRO, Ângela (2008). A Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses: 1859-1891. Lisboa: Univ. Nova de Lisboa. 145 páginas 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ícone de esboço Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.