Chaïm Perelman

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Chaïm Perelman
Nascimento 20 de maio de 1912
Varsóvia
Morte 22 de janeiro de 1984 (71 anos)
Uccle
Cidadania Bélgica, Polónia
Cônjuge Felicie Perelman
Ocupação filósofo, professor universitário
Prêmios Prêmio Francqui
Empregador Universidade de Lieja, Universidade Livre de Bruxelas
Título Barão

Charles Perelman (Varsóvia, 20 de maio de 1912Bruxelas, 22 de janeiro de 1984) foi um filósofo do Direito que viveu e ensinou durante a maior parte de sua vida na Bélgica. É um dos mais importantes teóricos da Retórica no século XX. Sua obra principal é o Traité de l'argumentation - la nouvelle rhétorique ("Tratado da argumentação - a nova retórica"), de 1958, escrito em conjunto com Lucie Olbrechts-Tyteca. Outro livro muito importante do autor, principalmente no meio universitário é o intitulado "Lógica Jurídica". No Brasil, a obra foi traduzida para o português pela Editora Martins Fontes (1996).

A nova retórica[editar | editar código-fonte]

Perelman e Olbrechts-Tyteca iniciaram suas pesquisas sobre lógica de argumentos não formais em 1948. Seguindo um estudo de Frege sobre matemática, eles coletaram uma série de escritos e teses nos campos religioso, acadêmico e profissional para verificar e aplicar suas teorias. Após uma “redescoberta” da Retórica Grego-Latina, o projeto tomou uma forma definitiva. Perelman teorizou que a lógica governante de argumentos não formais poderia ser derivada de princípios de teoria retórica e de considerações sobre os valores de uma audiência em particular.

Tais considerações afetariam a estrutura específica dos argumentos, incluindo as bases de concordância ou de "contato de espíritos" entre o comunicador e a audiência. A análise de Perelman também permitiu-lhe adicionar à sua obra uma visão geral das várias técnicas coletadas durante o curso de sua pesquisa.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Sobre a justiça – 1945;
  • Retórica e filosofia: por uma teoria da argumentação na filosofia – 1952 (em colaboração com Lucie Olbrechts-Tyteca);
  • Tratado da argumentação: a nova retórica – 1958 (em colaboração com Lucie Olbrechts-Tyteca);
  • O campo da argumentação – 1970;
  • Lógica jurídica: nova retórica – 1976;
  • Retóricas – 1989;
  • Ética e Direito – 1990.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]