Chafé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
 Portugal Chafé  
—  Freguesia  —
Localização no concelho de Viana do Castelo
Localização no concelho de Viana do Castelo
Chafé está localizado em: Portugal Continental
Chafé
Localização de Chafé em Portugal
Coordenadas 41° 38' 57" N 8° 46' 59" O
País  Portugal
Concelho VCT.png Viana do Castelo
Administração
 - Tipo Junta de freguesia
 - Presidente António Oliveira Lima (G.C.E.)
Área
 - Total 7,50 km²
População (2011)
 - Total 2 841
    • Densidade 378,8 hab./km²
Código postal 4935-XXX
Orago S.Sebastião
Sítio freguesia de chafé

Chafé é uma freguesia portuguesa, situada no limite sul do concelho de Viana do Castelo, com 7,50 km² de área e 2 841 habitantes (2011)[1]. A sua densidade populacional é 378,8 hab/km².

População[editar | editar código-fonte]

Evolução da População 1864 / 2011
População da freguesia de Chafé [2]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
1 979 2 507 2 841

Criada pela Lei nº 90/85, de 04 de Outubro, com lugares desanexados da freguesia de Anha

Evolução da População 1864 / 2011
Distribuição da População por Grupos Etários
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 474 327 1 364 342 18,9% 13,0% 54,4% 13,6%
2011 471 328 1634 408 16,6% 11,5% 57,5% 14,4%

Média do País no censo de 2001: 0/14 Anos-16,0%; 15/24 Anos-14,3%; 25/64 Anos-53,4%; 65 e mais Anos-16,4%

Média do País no censo de 2011: 0/14 Anos-14,9%; 15/24 Anos-10,9%; 25/64 Anos-55,2%; 65 e mais Anos-19,0%

História[editar | editar código-fonte]

A origem de Chafé parece confundir-se com uma estrutura administrativa civil e eclesiástica existente desde meados do século XI, a paróquia de S. João de Ester. Esta paróquia pertencia à Terra de Neiva, situada entre a de Santiago do Castelo de Neiva e a de São Romão de Neiva, a sul, e Santiago de Anha, a Norte.

A sua localização encontrava-se, em parte, dentro do Couto do Mosteiro beneditino de S. Romão do Neiva. Parte da paróquia de S. João de Ester - Lordelo ou Laordelo ou Dordelo - ficava, no entanto, fora do domínio dos monges beneditinos, pelo que pagava ao Rei, em 1220, 14 morabitinos, de acordo com as Inquisições de D. Afonso II, e no tempo de D. Afonso III, 8 maravediz e metade da importância das multas. Continuava, então, S. João de Ester a ser uma paróquia autónoma, mas incluída no couto do Mosteiro beneditino de S. Romão do Neiva.

Desde a sua fundação que possuía igreja própria, sendo seu orago S. João Baptista. A edificação da igreja estava localizada no lugar de Ester, no sopé setentrional do Monte de Castelo do Neiva, num local que hoje é chamado de Portelas. Actualmente, ainda há vestígios desta igreja.

No século XII, iniciou-se o fenómeno de invasão de areias que afectou as áreas mais litorais da paróquia de S. João de Ester. Deste fenómeno ficaram marcas na toponímia, dos quais o mais evidente é o nome do lugar da Areia. Lordelo e Ester foram soterrados pelas areias, as casas destruídas, entre elas a primeira igreja. E as pessoas tiveram de se deslocar mais para o interior, para o lugar de Xafede, onde se vão reorganizar.

A desorganização da vida paroquial provocada pela destruição da igreja vai provocar a necessidade de se proceder à anexação da paróquia de S. João de Ester a Santa Maria das Areias, no século XVI, o que tinha sucedido, igualmente, a outras paróquias da diocese de Braga.

Posteriormente, vão as paróquias de Santa Maria das Areias, que entretanto dá origem ao lugar de Darque, e São João de Ester ser anexadas à paróquia de Santiago de Anha. S. João de Ester não desapareceu paroquialmente, mas perdeu grande parte da sua importância. Eclesiástica e civilmente anexa a Santiago de Anha, este lugar da freguesia de Anha estava integrado no Julgado de Neiva do concelho da comarca de Barcelos, que superintendia toda a administração económica, política e judicial deste território, situação que se manteve até à afirmação do regime liberal português de meados do século XIX. Em 1835, o espírito reformador liberal alterou todo o edifício administrativo português, criando sete províncias, dezassete distritos e reformulando os concelhos. Assim, foram muitos os concelhos que desapareceram e muitos os que foram criados e alterados, como o caso dos concelhos de Barcelos e de Viana. As freguesias entre o Rio Neiva e o Rio Lima passam a pertencer ao concelho de Viana: Alvarães, Anha, Carvoeiro, Castelo de Neiva, Darque, Deocriste, Mazarefes, Mujães, Portela Suzã, São Romão, Subportela, Vila Franca, Vila Fria e Vila de Punhe.

A questão paroquial nunca foi esquecida pela população de Chafé. Em 1968 a paróquia de Chafé foi desanexada de S. Tiago de Anha, e em 1985, após um longo e conturbado processo social e político, foi criada a freguesia de Chafé.

Referências

  1. «População residente, segundo a dimensão dos lugares, população isolada, embarcada, corpo diplomático e sexo, por idade (ano a ano)». Informação no separador "Q601_Norte". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 5 de Março de 2014 
  2. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.