Charles Leonard Lafontaine

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Charles Lafontaine
Lafontaine, divulgador do Magnetismo Animal
Conhecido(a) por É considerado por inpirar James Braid, e por auxilia a fundamentar a hipnose.
Nascimento 27 de março de 1803
Vendôme, Loir-et-Cher, França
Morte 13 de agosto de 1892 (89 anos)
Genebra, Suiça
Nacionalidade francês
Ocupação escritor que viveu a vida como magnetizador
Movimento literário Magnetista
Magnum opus L'art de magnétiser, ou Le magnétisme animal considéré sous le point de vue théorique, pratique et thérapeutique

Charles Leonard Lafontaine ou simplesmente Charles Lafontaine, (Vendôme, Loir-et-Cher, França, 27 de março de 1803 - Genebra, Suiça, 13 de agosto de 1892,[1] foi um magnetizador franco-suíço estudioso dos possessos de morzine, e influenciador de James Braid.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Charles Lafontaine nasceu no início da primavera da francesa, dia 27 de março do ano de 1803 em Vendôme, Loir-et-Cher.[1]

Descendente de escritores, tentou manter a linhagem mas só foi realmente reconhecido como escritor após direcionar seus escritos ao tema Magnetismo animal.

Ele escreveu uma autobiografia, que pode ter influenciado o Dr. George du Maurier em sua escrita de seu romance Trilby.[2]

Encontro com o magnetismo animal[editar | editar código-fonte]

Após ter estudado obras do Marquês de Puységur e de François Deleuze ele se fez magnetizar para conhecer a ação do mesmerismo no organismo, após perceber alteração em seu estado normal resolveu dedicar-se seriamente a sua prática[3]

Lafontaine, participou da segunda geração de magnetizadores juntamente com o Barão du Potet, Aubin Gautier, J.Charpignon, Foissac, entre outros.

Foi um grande divulgador magnetizador, através das suas demonstrações itinerantes.[4]

Ele permaneceu em Londres durante os anos de 1840 e 1841, onde, segundo os jornais e revistas de localidade de Londres, ele criou uma grande sensação na cidade magnetizando um leão no Jardim Zoológico em Londres.[5] Seguido com sucesso por suas magnetizações em animais, ele repetiu as performances em várias outras cidades da Inglaterra. onde tinha a prática de chamar um dentre seu públicos para obter magnetização, que funcionava todas as vezes.[6]

Suas demonstrações de palco do magnetismo animal em Manchester chamou atenção e influenciou o cirurgião James Braid que prosseguiu o estudo, do que veio a ser conhecido como o hipnotismo [nota 1].

Braid viu pela primeira vez Lafontaine em 13 de novembro de 1841,[8] e foi ainda com ele, que fez ainda suas primeiras anotações[9].

James Braid não aceitava qualquer coisa relacionada ao Mesmerismo, porém, após contemplar os feitos daquele magnetizador, não tinha mais como rejeitar; "os fenômenos magnéticos eram definitivamente reais"[10]. Entretanto ele deu a estes fenômenos outra explicação, destituindo os fluidos como efetivador dos mesmos[10].

Ao retornar a França em 1848, resolveu partir para Itália onde obteve audiência com o Papa Pio IX. Este felicitou-o, encorajando-o em sua jornada, e assim se desloca para Genebra para se instalar por definitivo[9]. Em Genebra e publicou um jornal chamado Le magnétiseur.

Foi mandado pelas autoridades de Sardenha para ir curar os doentes em Morzine em 1858, mas não pôde fazê-lo por motivo do veto paroquial[11]

Referencial de tratamentos[editar | editar código-fonte]

Charles Lafontaine tinha uma elevada taxa de sucesso em sua prática. Aqui está uma tabela com os casos que ele tratados enquanto escrevia seu livro "L'art de magnetizador" e viajou pela Inglaterra[12].

A arte de magnetizar Lafontaine
Ilustração do frontispício da segunda edição do Charles Lafontaine deA arte de magnetismo de magnetização ou animal (1847). A primeira edição contém a frase"Estado de insensibilidade e catalepsia" debaixo da imagem.
Tratados Doenças Curado ou Melhora consideravel
84 Surdez e mudez 67
22 Surdez 16
19 Cegueira 15
41 Paralisia 35
7 Contraturas dos membros 6
1 Movimento convulsivo contínuo 1
15 Dor reumática 13
20 Epilepsias 16
22 Histerias 21
3 Coreias ou dança de são Guido 3
35 Crises nervosas 35
7 Neuralgia 5
5 Vómito crônico 4
2 Vómito de sangue 2
11 Tosse nervosa 8
10 Febres intermitentes 7
1 Febre escarlatina 1
7 Febre cerebral 5
1 Febre tifoide 1
11 Febres nervosas 11
7 Inflamações da matriz 6
12 Supressões 10
12 Hemorragias 11
5 Palpitações cardíacas 5
1 Vertigens 1
7 Clorose ou cor empalidecida 7
1 Contusão no seio 1
3 Anquilose 1
3 Prolapso 2
2 Gagueira 2
1 Inchaço de todo o corpo 1
4 Úlceras 3
9 Queimaduras 7
14 Dor de dente 13
38 Enxaqueca 35
9 Insônia 2
7 Gastrite 2
2 Hipocondria 2
7 Pitiríase 5
7 Expressão idiomática 2
3 Hipertrofia cardíaca 2
5 Doenças inominadas 5
4 Inflamações intestino 3
1 Rigidez 1
2 Cânceres (dor) 2
3 Congestionamento Sinovia 3
3 Apoplexias 3
6 Acesso Loucura 6

Suas memórias nos oferecer um relato muito detalhado das experiências que teve, as pessoas que conheceu, e que foi feito a cada dia[12]. Sua taxa de sucesso (curas e/ou melhoria completas) é superior a 80%. É consistente com pesquisas análogas feitas cientificamente no século XX em magnetizadores que usavam as mesma metodologia[12]. Lafontaine produziu pouca teoria, dentre suas Obras se destaca L'Arte de Magnetiseur(A arte de magnetizar) pelo ponto de vista prático.

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • L'art de magnétiser ou le magnétisme animal considéré sous le point de vue théorique, pratique & thérapeutique, Germer Baillière, Paris, 1847.
  • Mémoires D'Un Magnétiseur: Suivis de L'Examen Phrénologique de L'Auteur Published by Nabu Press, United States (2014), ISBN 1295611627 - ISBN 9781295611621
  • Journal Le Magnétiseur

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. "hipnotismo" da NB Braid foi significativamente diferente do "magnetismo" de Lafontaine[2]

Referências

  1. a b França Espiritualista
  2. a b netlibrary.net Visitado em 15/02/2015.
  3. DURVILLE, Hector "Teoria e procedimentos do magnetismo", editora CELD, 2012, pág.173 ISBN 9788572975100
  4. Alison Winter (1998). «Mesmerized, Powers of Mind in Victorian Britain». press.uchicago.edu. Consultado em 15 de fevereiro de 2015 
  5. Richard Harte - Hypnotism and the doctors- 1902
  6. Charles Lafontaine - Memoires.
  7. Harte, Richard, Hipnotismo e os médicos’’
  8. See Yeates (2013),passim.
  9. a b DURVILLE, Hector "Teoria e procedimentos do magnetismo", editora CELD, 2012, pág.174,ISBN 9788572975100
  10. a b c Adilson Mota (Janeiro - 2015). «SONAMBULISMO x HIPNOSE» (PDF). Jornal Vortice,Ano VII, Nº 08 - p.10  Verifique data em: |data= (ajuda)
  11. Collective, Jean-Christophe Richard. "charles+lafontaine"+"succès"&source=bl&ots=EgUca31yOY&sig=BhdSoSGO8VXkSu8Dfo05ri_9CmM «O Morzine Possessed - Livro 1 - Coleção de documentos antigos». GoogleBooks. Consultado em 16 de fevereiro de 2015 
  12. a b c pnl.org PNL-NLP.ORG. Visitado em 16/02/2015

Outra leitura[editar | editar código-fonte]