Chih Tun

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Chih Tun (em chinês: 支遁; pinyin: Zhī Dùn; Wade-Giles: Chih Tun) foi um monge budista e filósofo do sul da China que viveu no século IV (314-366), duranta a Dinastia Jin Oriental.

Interagiu com o movimento neo-taoísta durante toda a sua vida.[1] Ele usou-se de ideias budistas para corrigir o que considerou erros dentro da visão taoísta de mundo, e é conhecido por escrever um comentário sobre um capítulo do Zhuangzi, um texto clássico do taoísmo. Nele, Chih Tun argumenta que as pessoas não são prisioneiras de seu próprio destino e que, assim, a felicidade não pode ser encontrada apenas em inclinações próprias, mas em aperfeiçoar-se através de seu cultivo ativo.[1] Foi o fundador da escola budista de Prajna.[2]

Referências

  1. a b Oxford Dictionary of Buddhism: Chih-tun (em inglês). Answers.com. Página visitada em 1 de janeiro de 2012.
  2. Glossário de Termos: letra C. Colegiado Buddhista Brasileiro (CBB). Página visitada em 1 de janeiro de 2012.