Chin (povo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Chim
ChinWoman.jpg
Mulher Chim, área do Rio Lemro, Estado de Raquine
População total
Regiões com população significativa
Mianmar
(Birmânia)
1.500.000
(~2,7%)
India 2.500.000 (1 Milhão em Mizorão)
Bangladexe Dados não disponíveis
Línguas
Línguas Kukish
Religiões
Budismo teravada
Cristianismo
Animismo

Os chins (em birmanês: ချင်း လူမျိုး; MLCTS: hkyang lu myui:. e pronunciado [tɕɪɴ lu MJO]), conhecido como kuki em Assã, são um dos grupos étnicos de Mianmar (Birmânia).[1] São um grupo étnico sino-tibetano. Os chins são encontrados principalmente na parte ocidental de Mianmar (o Estado Chim) e numerados em cerca de 1,5 milhão. Eles também vivem nas proximidades dos estados indianos de Nagalândia, Mizorão, Manipur e Assã.

Devido à influência do povo Mizo e intervenção de missionários Batistas, 80% -90% da população são cristãos. No entanto, uma minoria considerável dos chins aderem às suas crenças tribais tradicionais, bem como o budismo Theravada. Um pequeno grupo de indivíduos de Mizorão afirmou que eles são uma das tribos perdidas de Israel, a tribo de Bnei Menashe, alguns deles foram reassentados no país.

Os chins são um dos maiores grupos de minorias étnicas em Mianmar. As pessoas chim provavelmente vieram para Mianmar, especialmente o vale Chindwin, no fim do século IX. A maioria dos chins continuou para o oeste e provavelmente chegaram no atual estado Chim em torno de 1300-1400 AD. O significado original de "Chim" permanece obscuro, embora os estudiosos tenham proposto várias teorias, nenhum consenso foi atingido.

Referências

  1. Head, Jonathan, Burma's 'abused Chin need help', BBC News, Jan 28, 2009, Accessed Jan 28, 2009

Ligações externas[editar | editar código-fonte]