Chipre otomano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Eyalet-i Ḳıbrıṣ
Eyalet de Ḳıbrıṣ

Vilaiete
(Império Otomano)

Flag of Most Serene Republic of Venice.svg
1571 – 1878 Blank.png
Localização de Chipre otomano
Chipre otomano em 1609
Continente Europa
Capital Nicosia
Governo Não especificado
História
 • 1571 Fundação
 • 1878 Domínio britânico

Chipre otomano refere-se ao período de domínio do Império Otomano a Chipre. O Vilaiete de Chipre foi criado em 1571, e alterou o seu estatuto com frequência. Foi um sanjak do Vilaiete do Arquipélago entre 1660 e 1703, e novamente de 1784 em diante; um feudo do grão-vizir (1703-1745 e 1748-1784), e novamente um vilaiete durante um curto período 1745 a 1748.[1]

Durante o período de domínio da República de Veneza, os turcos realizaram incursões e atacaram a população de Chipre à vontade. Em 1489, durante o primeiro ano de controle veneziano, os otomanos atacaram a Península de Karpas, pilhando e fazendo reféns para venda como escravos. Em 1539, a frota turca atacou e destruiu Limassol. Nesta situação, os venezianos fortificaram Famagusta, Nicósia e Cirênia.

Em 1570, uma escala total de assalto com 60.000 tropas otomanas trouxe a ilha sob domínio turco-otomano, apesar de forte resistência por parte dos habitantes de Nicósia e Famagusta. Cerca de 20.000 nicosianos foram condenados à morte, e todas as igrejas, edifícios públicos, e palácios foram saqueados.[2] A elite latina anterior foi destruída e a primeira mudança demográfica significativa desde a Antiguidade ocorreu quando os janízaros otomanos foram assentados na ilha.[3]

Os otomanos aboliram o sistema feudal anteriormente em vigor e aplicaram o sistema de millet para Chipre, em que os não-muçulmanos eram governados por suas próprias autoridades religiosas. Em uma inversão desde os tempos de domínio latino, o chefe da Igreja Ortodoxa de Chipre foi investido como líder da população grega de Chipre e atuou como mediador entre os cristão cipriotas gregos e as autoridades otomanas.[2] O Chipre sob o Império Otomano foi, por vezes, indiferente, às vezes opressivo, dependendo do temperamento dos sultões e das autoridades locais, e durante este período a ilha caiu em declínio econômico.[2]

Em 1828, o primeiro presidente da Grécia moderna Ioannis Kapodistrias, cujos antepassados maternos eram os cipriotas gregos,[4] [5] reivindicou a união de Chipre com a Grécia, e numerosas revoltas menores ocorreram.[6] A reação ao desgoverno otomano provocaram levantes por ambos os lados, pelos gregos e cipriotas turcos, embora nenhuma deles foi bem sucedido. Em 1872, a população da ilha havia subido para 144 mil composto por 44.000 muçulmanos e 100.000 cristãos.[7] Os séculos de negligência por parte dos turcos, a pobreza implacável da maioria das pessoas, e os cobradores de impostos sempre presente alimentaram o nacionalismo grego, e pelo século XIX, a idéia da Enosis (ou união) com a Grécia recém-independente estava firmemente enraizada entre cipriotas gregos.[2]

Na sequência da Guerra russo-turca de 1877-1878 e do Congresso de Berlim, Chipre foi arrendado ao Império Britânico, que de facto assumiu a sua administração em 1878 (embora, em termos de soberania, manteve-se um de jure território otomano até 1914, juntamente com o Egito e o Sudão) em troca de garantias que a Inglaterra iria usar a ilha como uma base para proteger o Império Otomano contra uma possível agressão russa. A ilha serviria a Grã-Bretanha como uma base militar fundamental em suas rotas coloniais.

Referências

  1. "{{{titulo}}}". 
  2. a b c d Cyprus – OTTOMAN RULE, U.S. Library of Congress
  3. Mallinson, William (30 June 2005). Cyprus: A Modern History I. B. Tauris [S.l.] p. 1. ISBN 978-1850435808. 
  4. Crawley C. W. (1957). Cambridge Historical Journal, 1957, vol. 13, no. 2, "John Capodistrias and the Greeks before 1821" Cambridge University Press [S.l.] p. 166. OCLC 478492658. …Capodistrias…his mother, Adamantine Gonemes, who came of a substantial Greek family in Epirus 
  5. Woodhouse, Christopher Montague (1973). Capodistria: the founder of Greek independence Oxford University Press [S.l.] pp. 4–5. OCLC 469359507. The family of Gonemis or Golemis, which originated in Cyprus, had moved to Crete when Cyprus fell in the 16th century; then to Epirus when Crete fell in the 17th, settling near Argyrokastro in modern Albania; and finally to Corfu. This Island when Cyprus fell in the 16th century; then to Epirus when Crete fell in the 17th, settling near Argyrokastro in modern Albania; and finally to Corfu. 
  6. William Mallinson, Bill Mallinson (2005). Cyprus: a modern history I.B.Tauris [S.l.] p. 10. ISBN 1850435804, 9781850435808 |isbn= incorrecto (Ajuda). In 1828, modern Greece’s first president, Count Kapodistria, called for union of Cyprus with Greece, and various minor uprising took place. 
  7. Osmanli Nufusu 1830–1914 by Kemal Karpat, ISBN 975-333-169-X and Die Völker des Osmanischen by Ritter zur Helle von Samo.
  • Cyprus under Ottoman Empire by Official Republic of Cyprus Web site
  • Foglietta, U. The sieges of Nicosia and Famagusta. London:Waterlow, 1903.
  • Gazioglu, Ahmet C. The Turks in Cyprus: A province of the Ottoman Empire (1571-1878). London: Rustem & Bro., 1990.
  • Jennings, Ronald C. Christians and Muslims in Ottoman Cyprus and the Mediterranean world, 1571-1640. New York: New York University Press, 1993.
  • Katsiaounis, Rolandos. Labour, society and politics in Cyprus during the second half of the nineteenth century. Nicosia: Cyprus Research Centre, 1996.
  • Koumoulides, John. Cyprus and the war of Greek Independence, 1821-1829. London: Zeno, 1974.
  • Kyrris, Costas, P. The Kanakaria documents, 1666-1850. Nicosia: Cyprus Research Center, 1978.
  • Luke, Harry. Cyprus under the Turks, 1571-1878. London: Hurst, 1969.(Reprint of 1921 edition.)
  • Mariti, Giovanni. Travels in the island of Cyprus. (C. D. Cobham translator). London: Zeno, 1971. (Reprint of 1909 edition.)
  • Michael, Michalis N.; Kappler, Matthias; Gavriel, Eftihios (eds.). Ottoman Cyprus. A Collection of Studies on History and Culture. Wiesbaden: Harrassowitz Verlag, 2009.
  • Papadopoullos, T. Social and historical data on population:1570-1881. Nicosia: Zavallis Press, 1965.
  • Proxenika egrafa tou 19o aionos. (Consular documents of the 19th century.) Nicosia: Cyprus Research Centre, 1980.
  • Ross, L. A journey to Cyprus. (February and March 1845). (C. D.Cobham translator). Nicosia: Government Printing House, 1910.
  • Salvator, Louis. Levkosia: The capital of Cyprus. London Trigraph,1983. (Reprint of 1881 edition.)
  • Sant Cassia, Paul. "Religion, politics and ethnicity in Cyprus during the Turkocratia(1571-1878)." Archives Europeennes de Sociologie, Tome XXVII, No. 1, 1986