Chiquinho Brandão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Chiquinho Brandão
Nome completo Francisco de Paula Brandão Bisneto
Nascimento 20 de abril de 1952
Jaú, SP
Morte 4 de junho de 1991 (39 anos)
Rio de Janeiro, RJ
IMDb: (inglês)

Francisco de Paula Brandão Bisneto, ou Chiquinho Brandão (Jaú, 20 de abril de 1952 - Rio de Janeiro, 4 de junho de 1991), foi um ator e músico brasileiro[1] .

Na adolescência, mudou-se para a cidade do Rio de Janeiro e por vários anos participou do programa infantil Bambalalão da TV Cultura de São Paulo onde fazia o papel do cientista louco chamado Professor Parapopó. Também manipulava e dublava os bonecos João Balão e Bambaleão, este último, no programa Bambaleão e Silvana.

Em 1980, participou da turne "Saudades do Brasil", de Elis Regina, como flautista, e entre 1982 e 1984 participou do Grupo Ornitorrinco, sob a direção de Cacá Rosset, período no qual trabalhou na montagem de "Mahagonny Songspiel", de Bertold Brecht e Kurt Weil. Também trabalhou em "O Amigo da Onça", dirigido por Paulo Betti, em 1988.

No cinema, trabalhou com vários diretores, entre eles os cineastas Walter Rogério, André Klotzel, Aloysio Raulino e Alain Fresnot. Ganhou o prêmio de melhor ator no Festival de Brasília em 1990, pelo filme "Beijo 2348/72" dirigido por Walter Rogério.

Atuou em novelas como: "Bebê a Bordo" e "Top Model", nas minisséries "Riacho Doce" e "O Sorriso do Lagarto".

O ator faleceu em um acidente automobilístico na Lagoa Rodrigo de Freitas ao retornar de gravações da minissérie "O Sorriso do Lagarto". Na trama ele era o personagem Chico Bagre e foi substituído por seu primo Stephan Nercessian.

Em sua homenagem, o Teatro Casa da Gávea possui a "Sala Chiquinho Brandão".

Carreira[editar | editar código-fonte]

No cinema[editar | editar código-fonte]

Na televisão[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Famosos que partiram cedo demais Portal Bol - acessado em 21 de abril de 2015
Precedido por
Angel Palomero
por O Mentiroso
Troféu Candango de Melhor Ator
por Beijo 2348/72

1990
Sucedido por
Hugo Carvana
por Vai Trabalhar, Vagabundo II