Choloepus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma caixa taxonómicaCholoepus[1]
Ocorrência: Oligoceno até Recente 35–0 Ma
Choloepus didactylus

Choloepus didactylus
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Superordem: Xenarthra
Ordem: Pilosa
Subordem: Folivora
Família: Megalonychidae
Género: Choloepus
Linnaeus, 1758
Espécies
Choloepus didactylus

Choloepus hoffmanni

Choloepus é um gênero de mamífero, sendo o único representante vivente da família Megalonychidae, e conhecidos por serem as preguiças-de-dois-dedos. A denominação preguiça-de-dois-artelhos que, por vezes, é utilizada para o grupo é, no entanto, enganosa, já que elas têm dois dedos apenas nas patas dianteiras e nas patas traseiras, três artelhos. A família compreende, além de uma série de espécies extintas, duas espécies viventes, a preguiça-real (Choloepus didactylus) e a preguiça-de-hoffmann (Choloepus hoffmanni).

Descrição[editar | editar código-fonte]

O corpo da preguiça-de-dois dedos está perfeitamente adaptado ao comportamento de andar pendurada em galhos. Seu pelo, ao contrário da maioria dos mamíferos, nasce na barriga em direção às costas para permitir um melhor escoamento da água da chuva. Sua cor varia entre amarelado e marrom acinzentado, sendo a cabeça mais clara que o restante do corpo, mas pode apresentar um tom esverdeado em função das algas que podem ser encontradas no seu pelo. Os membros são, ao contrário da preguiça-de-três-dedos, aproximadamente do mesmo comprimento, nas patas dianteiras encontram-se dois dedos e nas traseiras, três artelhos e todas terminam em garras. Não apresentam cauda e o pescoço possui menos vértebras do que a preguiça-de-três-dedos (6 ou 7). Os crânios desses animais são curtos e relativamente redondos, as orelhas não são visíveis externamente. Não possuem os dentes incisivos e caninos, têm apenas 10 molares na mandíbula superior e 8 ou 10 na mandíbula inferior. Os respectivos molares frontais são maiores, como caninos, e separados do restante dos molares por uma lacuna (diastema). A preguiça-de-dois-dedos atinge um comprimento cabeça-corpo de 54 a 75 cm e um peso médio de 6 kg.

Distribuição[editar | editar código-fonte]

A preguiça-de-dois-dedos vive nas florestas tropicais úmidas da América Central e do Sul, sua área de distribuição se estende da Nicarágua até o Brasil.

Comportamento[editar | editar código-fonte]

A preguiça-de-dois-dedos passa quase toda a sua vida pendurada em galhos, seu estilo de vida é orientado para a economia de energia devido ao baixo valor nutricional da sua alimentação. No entanto, comparada à preguiça-de- três-dedos, é menos exigente no que diz respeito à sua alimentação e, por isso, é considerada "mais rápida" que suas parentes. Até mesmo o sono, a alimentação, o acasalamento e o parto acontecem enquanto pendurada nos galhos; a preguiça-de-dois-dedos deixa os galhos apenas para ir para uma outra árvore ou para defecar (o que é necessário, em função de sua baixa taxa metabólica, apenas uma vez por semana). Nas árvores pode cobrir uma distância de 40 metros diariamente, no chão é extremamente impotente e arrasta seu corpo com os membros. No entanto, pode nadar muito bem. Esses animais passam cerca de 15 horas por dia dormindo, seus períodos de atividade se concentram nas horas noturnas. São animais predominantemente solitários, mas, às vezes, é possível encontrar várias fêmeas juntas em uma árvore. Com suas garras dianteiras e dentes podem se defender contra predadores, no entanto, elas contam, preferivelmente, com sua camuflagem.

Alimentação[editar | editar código-fonte]

A preguiça-de-dois-dedos é menos exigente do que a preguiça-de-três-dedos, ela consome frutas, folhas e brotos. Ocasionalmente também come insetos e outros pequenos animais.

Reprodução[editar | editar código-fonte]

O acasalamento da preguiça-de-dois-dedos também acontece enquanto penduradas de cabeça para baixo nos galhos. Após cerca de seis meses de gestação, nasce um único filhote. Esse tem em torno de 25 cm de comprimento e pesa aproximadamente 300g, ele passa as primeiras semanas de vida agarrado à barriga da mãe, com cinco meses consome alimento sólido pela primeira vez. Ele só se torna totalmente independente por volta dos dois anos. As fêmeas atingem a maturidade sexual por volta dos três anos e os machos com quatro ou cinco anos. A expectativa de vida desses animais na natureza é de cerca de 20 anos, em cativeiro até 40 anos.

Sistemática[editar | editar código-fonte]

Espécies atuais[editar | editar código-fonte]

O gênero é dividido em duas espécies viventes: A preguiça-real ou unau (Choloepus didactylus) tem sete vértebras cervicais e está limitada ao norte da América do Sul. A preguiça-de-Hoffmann (Choloepus hoffmanni) tem, em contrapartida, seis vértebras cervicais e ocupa uma área maior (da América Central até o Brasil).

Parentes extintos[editar | editar código-fonte]

As diferentes famílias de preguiças não são divididas conforme sua forma de vida (habitat arborícola ou terrícola), mas de acordo com os critérios morfológicos como a forma da cabeça e dos dentes e o número de garras. Por isso, a preguiça-de-dois-dedos é parente mais próximas de algumas preguiças gigantes terrícolas extintas do que da, também arborícola, preguiça-de-três-dedos. A preguiça-de-dois-dedos forma, com espécies extintas, como Megalonix e alguns representantes das Grandes Antilhas, a família Megalonychidae.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Gardner, A.L.. Order Pilosa. In: Wilson, D.E.;Reeder, D.M. (eds.). Mammal Species of the World. 3 ed. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 2005. 101–102 p. ISBN 978-0-8018-8221-0 OCLC 62265494

Weblinks[editar | editar código-fonte]