Christian Fürchtegott Gellert

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Christian Fürchtegott Gellert
Nascimento 4 de julho de 1715
Hainichen (Saxônia)
Morte 13 de dezembro de 1769 (54 anos)
Leipzig
Sepultamento Südfriedhof
Cidadania Alemanha
Irmão(s) Friedrich Leberecht Gellert
Alma mater
Ocupação poeta, professor universitário, autor de hinos, filósofo
Empregador Universidade de Leipzig
Obras destacadas Jesus lebt, mit ihm auch ich, Dies ist der Tag, den Gott gemacht, Die Ehre Gottes aus der Natur, The Prayeress, The Tender Sisters
Religião luteranismo

Christian Fürchtegott Gellert (Haunichen, 4 de julho de 1715Leipzig, 13 de dezembro de 1769) foi um escritor alemão do século XVIII. Gellert foi um dos principais representantes do iluminismo pietista.[1]

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

C. F. Gellerts sämmtliche Schriften. 1 (1775)

Ele escreveu a fim de elevar o caráter religioso e moral do povo, e para esse fim empregou uma linguagem que, embora às vezes prolixa, era sempre correta e clara. Assim, ele se tornou um dos autores alemães mais populares, e alguns de seus poemas gozaram de uma celebridade desproporcional ao seu valor literário.[2] Sua coleção de fábulas e histórias em verso de imenso sucesso, Fabeln und Erzählungen, publicada pela primeira vez em 1746, com uma segunda parte aparecendo em 1748, estabeleceu sua reputação literária.[3] Uma coleção comparativamente popular de poemas e hinos religiosos, Geistliche Oden und Lieder, apareceu em 1758.[4] Continha hinos como "Herr, stärke mich, dein Leiden zu bedenken", um hino da Paixão escrito ao som de "Herzliebster Jesu".

Nem um pouco da fama de Gellert se deve à época em que viveu e escreveu. A literatura alemã do período foi dominada pela escola de Gottsched. Um bando de jovens espirituosos, dos quais Gellert era um deles, resolveu se libertar do que era visto como as travas convencionais de tais pedantes e deu início a uma revolução que foi finalmente consumada por Schiller e Goethe.[5] Karl Philipp Moritz, no contexto de suas viagens pela Inglaterra em 1782, observou: "Entre nós, alemães ... não consigo pensar em nenhum nome de poeta além do de Gellert, que vem prontamente à mente das pessoas comuns [em Londres]".[6]

As fábulas, para as quais Gellert tomou La Fontaine como modelo, são simples e didáticas. Seus poemas religiosos foram adotados como hinos por católicos e protestantes. O mais conhecido de seus hinos é "Die Ehre Gottes aus der Natur" ("Os céus estão dizendo").[5] Gellert escreveu algumas comédias sentimentais: Die Betschwester (A irmã de oração, 1745), Die kranke Frau (A mulher doente, 1747), Das Los in der Lotterie (1748) e Die zärtlichen Schwestern (As Irmãs Afetuosas, 1747), a última das quais muito admirada.[7] Sua novela Leben der Schwedischen Gräfin von G. (1746), uma imitação fraca de Pamela de Samuel Richardson, é notável por ser a primeira tentativa alemã em um romance psicológico.

Além de dar palestras para grandes audiências sobre questões morais, Gellert mantinha uma ampla correspondência com estranhos e amigos, especialmente com aqueles que buscavam conselhos sobre questões morais.[8] Considerado por muitos correspondentes como um professor também de bom estilo de escrita, em 1751 ele publicou um volume de cartas modelo, junto com um ensaio sobre a escrita de cartas (Briefe, nebst einer praktischen Abhandlung von dem guten Geschmacke em Briefen).[8]

Referências

  1. Gilman, DC; Peck, HT; Colby, FM, eds. (1905). "Gellert, Christian Fürchtegott" . New International Encyclopedia (1ª ed.). Nova York: Dodd, Mead.
  2. Wölfel, Kurt, ed. (1964). «Gellert, Christian Fürchtegott». Neue Deutsche Biographie (NDB) (em alemão). 6. 1964. Berlim: Duncker & Humblot . pp. 174 et seq...
  3. Este artigo incorpora texto (em inglês) da Encyclopædia Britannica (11.ª edição), publicação em domínio público.
  4. "Geistliche Oden und Lieder", in Henry and Mary Garland (Eds.), The Oxford Companion to German Literature. 2nd ed. Oxford: Oxford University Press, 1986. p. 281.
  5. a b This article incorporates text from a publication now in the public domain: Baynes, T. S., ed. (1879). «Gellert, Christian Fürchtegott». Encyclopædia Britannica. 10 9th ed. New York: Charles Scribner's Sons 
  6. Carl Philip Moritz: Journeys of a German in England in 1782, tr. and ed. Reginald Nettel (New York, NY: Holt, Rinehart and Winston, Inc., 1965), p. 45.
  7. "Gellert, Christian Fürchtegott", in The Cambridge Guide to Theatre, ed. Martin Banham. Cambridge: Cambridge University Press, 1998. ISBN 0-521-43437-8. p.416.
  8. a b "Gellert, Christian Fürchtegot", in Henry and Mary Garland (Eds.), The Oxford Companion to German Literature. 2nd ed. Oxford: Oxford University Press, 1986. p. 282.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Christian Fürchtegott Gellert
Wikisource
A Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Christian Fürchtegott Gellert
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.