Christian Fittipaldi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Christian Fittipaldi
Christian Fittipaldi participa de uma prova de Stock Car.
Informações pessoais
Nacionalidade  brasileiro
Nascimento 18 de janeiro de 1971 (45 anos)
São Paulo São Paulo
Registros na Fórmula 1
Temporadas 19921994
Equipes Minardi, Arrows
GPs disputados 43 (40 largadas)
Títulos 0
Vitórias 0
Pódios 0
Pontos 12
Pole positions 0
Voltas mais rápidas 0
Primeiro GP GP da África do Sul de 1992
Último GP GP da Austrália de 1994

Christian Fittipaldi (São Paulo, 18 de janeiro de 1971), filho de Wilson Fittipaldi Júnior e sobrinho de Emerson Fittipaldi, é o único piloto brasileiro que já disputou provas da Formula 1, Champ Car e NASCAR Winston Cup, três das principais categorias do automobilismo mundial.

Christian foi diversas vezes campeão de Kart, vencedor de campeonatos como a Fórmula 3 Sul-americana e Fórmula 3000 Internacional.

Ele participou em 43 Grandes Prêmios de Fórmula 1 com as equipes e correu pelas equipes Minardi e Arrows da Fórmula 1(pontuando 5 vezes). Em seguida foi quinto lugar na CART(br:Fórmula Indy) em 1996 e 2002, conseguindo duas vitórias(Road America e California Speedway), bem como um segundo lugar nas 500 milhas de Indianápolis em 1995. Neste ano, Fittipaldi correu algumas provas da NASCAR Winston Cup, chegando a largar da sétima posição na etapa de Michigan.

Destacou-se também nas categorias de corridas de resistência(protótipos), venceu a Rolex 24 at Daytona(24 Horas de Daytona) em 2004 e em 2014, 12 horas de Sebring de 2015, 6 horas de Watkins Glen. Ele ganhou o título de pilotos da United SportsCar Championship em 2014 e 2015 e sétimo no campeonato da Rolex Sports Car Series de 2013.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Ele foi segundo em Fórmula Ford brasileira em 1988. Então terminou em terceiro lugar no Fórmula 3 Sul-americana em 1989 e em 1990 ganhou o título na Fórmula 3 Sul-americana e quarto lugar na Fórmula 3 Britânica.

Em 1991, o brasileiro estabeleceu-se na Europa para correr na categoria de monopostos da Fórmula 3000, onde ele teve duas vitórias e sete pódios em dez corridas para o campeonato contra Alessandro Zanardi. Mais tarde, foi terceiro no Grande Prêmio de Macau de Fórmula 3.

Monopostos[editar | editar código-fonte]

Automobilismo europeu

Após ser campeão de Fórmula 3000 em 1991, Christian foi convidado pela Minardi para fazer testes, deixando os membros da equipe impressionados e marcou seu primeiro ponto com um sexto lugar no penúltimo GP da temporada, no Japão. Em 1993 conquistou o quarto lugar no primeiro GP do ano, na África do Sul, mas apesar dos avanços, desentendeu-se com a direção da equipe e foi dispensado quando faltavam dois GPs para o fim da temporada. Em 1994 Christian teve uma nova chance correndo pela Arrows, conquistou dois quartos lugares mas desistiu da Fórmula 1 e mudou-se para os Estados Unidos.

Automobilismo americano

Nos Estados Unidos, Christian disputou corridas da CART(Brasil:Fórmula Indy) fez sua estréia nos monopostos americanos em 1995, com a equipe Walker. Naquele ano, ele obteve o segundo lugar das 500 milhas de Indianápolis atrás de Jacques Villeneuve, onde ele recebeu o título de melhor estreante do prêmio da corrida(Rookie of the Year). Em 1996 ele se juntou correndo para Newman/Haas, que ficou em quinto no campeonato com três pódios. Quando sua carreira parecia decolar, Christian quebrou as pernas na 2ª etapa da temporada de 1997 da CART (no Grande Prêmio de Surfers Paradise, na Austrália) durante a corrida, e teve um acidente sério durante um treino em circuito oval, que lhe rendeu um coágulo sério no cérebro, do qual ele se recuperou.

Mesmo com este revés, a primeira vitória de Christian Fittipaldi viria na corrida de Road America de 1999. Apesar de não ter vencido até aquele momento, foi considerado já candidato do campeonato, para corridas de sua consistência nas chegadas. Com um total de cinco pódios, terminou em sétimo na tabela geral.

Em 2000 ele venceu pela segunda vez, neste caso em Fontana. Ele também conseguiu dois terceiros lugares.

Em 2001 apareceu no filme Driven, que tinha monopostos da CART como produzido por Renny Harlin e escrito por Neal Tabashcnick e Sylvester Stallone.

O ciclo de Fittipaldi na Newman-Haas terminaria em 2002. Neste ano alcançado três segundos e dois terceiros, embora não triunfasse em qualquer data e foi o quinto no campeonato. Depois que deixou de competir na CART acumulou um saldo de duas vitórias, 20 pódios e uma pole position.

NASCAR[editar | editar código-fonte]

Com sua carreira na Indy em risco, Fittipaldi voltou-se para a NASCAR. Durante 2001 e 2002, ele tinha três entradas na NASCAR Busch Series. Apesar de não atingir grandes resultados, ele conseguiu chamar a atenção de Richard Petty para se correr pela equipe, que estreou em Phoenix International Raceway.

Em 2003, participou pela primeira vez nas 500 milhas de Daytona, em uma corrida de teste com a equipe de Andy Petree. Então disputou 14 corridas com a Petty.

Corridas de Resistência[editar | editar código-fonte]

Após deixar a Petty Enterprises, Fittipaldi co-pilotou o carro vencedor das 24 Horas de Daytona em 2004 e correu pela Stock Car Brasil em 2005. Atualmente ele pilota um dos carros da equipe brasileira da A1 Grand Prix. Depois Fittipaldi co-dirigiu o carro vencedor durante as 24 Horas de Daytona e reapareceu na Grand-Am após vencer uma corrida em Phoenix e anunciou que ele tinha assinado com a nova equipe de Eddie Cheever para 2006.

Ele co-dirigiu um Saleen S7R (com Terry Borcheller e Johnny Mowlem) nas 24 Horas de Le Mans 2006 e terminou em sexto na classe e em décimo-primeiro no geral.

Ele voltou para carros esportivos em tempo integral em 2008, dirigindo o protótipo Acura LMP2 pela Andretti Green Racing na American Le Mans Series.[1] , mas foi retirado depois da quarta corrida da temporada de 2008.

Ele então mudou-se para conduzir o #16 Pontiac Coyote para Cheever Racing na Rolex Sports Car Series.

O piloto foi convidado para executar o 24 horas de Daytona de 2011 com um Porsche-Riley de Action Express Racing, resultando o terceiro geral com Max Papis e João Barbosa entre outros. Em 2012 ele participou novamente esta corrida com a Action Express, neste caso a bordo de um Chevrolet Corvette DP, com que terminou em quinto.

O brasileiro tornou-se no piloto regular de Action Express para a temporada de 2013 da Rolex Sports Car Series. Ele conseguiu duas vitórias em Mid-Ohio e as 6 horas de Watkins Glen, dois segundos lugares, um quarto lugar e um quinto lugar, principalmente com Barbosa. Assim, ele foi o sétimo no campeonato de pilotos na classe de protótipos Daytona.

Ele ganhou o Rolex 24 at Daytona em 2014 na Action Express Corvette DP com João Barbosa e Sebastien Bourdais.

E em 2015, torna-se bicampeão da United SportsCar Championship.

Todos os Resultados de Christian Fittipaldi na Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

(legenda)

Ano Nome Oficial da Equipe Chassis Motor Pneus 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 Pts Pos
1994 Footwork Ford Footwork FA15 Ford HB V8 G BRA
Ret
PAC
SMR
13º
MON
Ret
ESP
Ret
CAN
DSQ
FRA
GBR
ALE
HUN
14º
BEL
Ret
ITA
Ret
POR
EUR
18º
JAP
AUS
6 15º
1993 Minardi Team Minardi M193 Ford HB V8 G AFS
BRA
Ret
EUR
SMR
Ret
ESP
MON
CAN
FRA
GBR
12º
ALE
11º
HUN
Ret
BEL
Ret
ITA
POR
5 14º
1992 Minardi Team Minardi M191B Lamborghini V12 G AFS
Ret
MEX
Ret
BRA
Ret
ESP
11º
1 18º
Minardi M192 SMR
Ret
MON
CAN
13º
FRA
NQ
BEL
NQ
ITA
NQ
POR
12º
JAP
AUS

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Christian Fittipaldi