Christiane Martel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Christiane Martel
Nome completo Christiane Magnani
Data de nascimento 18 de janeiro de 1932 (87 anos)
Local de nascimento Paris, França
Nacionalidade francesa
Altura 1,67 m
Cor do cabelo preto
Cor dos olhos azul
Títulos Miss Universo 1953
Cônjuge Ronnie Marengo (1954-1955)

Miguel Aleman Velasco (1961-atual)

Christiane Martel (nome de batismo: Christiane Magnani) (Paris, 18 de janeiro de 1932) é uma ex-atriz e rainha da beleza francesa, eleita Miss Universo 1953, a segunda edição do concurso, em Long Beach, Califórnia, Estados Unidos.

Infância[editar | editar código-fonte]

Menina tranquila e disciplinada, apesar de um pouco travessa, quando vivia na casa de seus avós, durante a II Guerra Mundial, recebeu um corte próximo ao olho esquerdo enquanto tentava dar um susto em seu tio, que cortava madeira no jardim da casa. A cicatriz que ficou, tornou-se imperceptiva com o tempo e não a impediu de vencer o concurso anos depois.[1]

Miss[editar | editar código-fonte]

Sua carreira na beleza começou quando pediu para ser inscrita no concurso "Menina Mais Bonita de Châtellerault", cidade onde vivia, e saiu vitoriosa. Depois disso, participou e venceu vários concursos seguidos, incluindo o da província de Vienne, onde se localiza a cidade e o de 'Garota Italiana Mais Bonita da França', por causa de seu sobrenome de batismo, italiano.

As vitórias neste concursos locais a levaram a ser convidada a participar do Miss Cinemond Pageant, um concurso à parte do Miss França, mas que dava à vencedora o direito de participar do Miss Universo, então recém-criado nos Estados Unidos. Seu pai, George Magnani, a registrou no concurso mas trocou seu sobrenome por Martel, receoso de que pudesse haver futuros problemas para ele com o sobrenome italiano, já que viviam na França do pós-guerra. Com esse nome ela participou do concurso, em Paris, e venceu novamente, sendo eleita Miss Cinemonde 1953, aos 19 anos.[1]

Ganhando o direito de representar a França no Miss Universo, ela ouviu de seu pai o conselho de que "não alimente falsas esperanças, você não está indo para vencer, só para participar" e lhe respondeu de volta com um "não se preocupe, eu vou para a America e em quinze dias estarei de volta". Só voltaria à França meses depois, com a coroa de Miss Universo na cabeça.[1]

Em Long Beach, Martel venceu o concurso concorrendo com 26 misses de todo o mundo, sendo até hoje considerada uma das melhores de todos os tempos, pela elegância, graça e carisma pessoal que a acompanhavam.[1] Ela, entretanto, não foi coroada por sua antecessora, Armi Kuusela, que, casou e abandonou o título antes do término do período de reinado. Martel foi coroada pela atriz Julia Adams.

Cinema[editar | editar código-fonte]

Sua vitória nos EUA causou grande alegria na França e a transformou numa celebridade, sendo bastante requisitada para capas de revista, publicidade, entrevistas não apenas no país mas em toda a Europa e nos Estados Unidos. Isso a levou a uma carreira cinematográfica na Itália e no México, onde nos anos seguintes participou de 32 filmes, alguns deles ao lado de Cantinflas, Silvia Pinal e Maria Félix. Seu último filme foi em 1962.[1]

Vida posterior[editar | editar código-fonte]

Apesar de não ter planos de viver definitivamente no México, em 1961 ela casou-se com o empresário mexicano Miguel Aleman Velasco, filho do ex-presidente do país Miguel Alemán Valdés e estabeleceu-se definitivamente ali, construindo uma família e tendo cinco filhos. Foi o segundo casamento de Christiane, que em janeiro de 1954 havia se casado com um americano herdeiro de uma grande cadeia de lojas de departamentos e se divorciado no ano seguinte.[2] Em 1998, tornou-se a primeira-dama do estado de Veracruz, depois que seu segundo marido foi eleito governador do estado.[1]

Hoje ela pertence à alta sociedade mexicana e dedica sua vida à filantropia, ajudando à população mais pobre da região em que vive. Continua visitando frequentemente seu país natal, onde é homenageada em programas de televisão, já foi convidada de honra do Miss França e jurada do Miss Universo por duas vezes. Em 1979, na edição realizada na Cidade do México, ela foi a primeira MU a receber o Miss Universe Distinquished Achievement Award, um prêmio especial de distinção concedido a pessoas envolvidas com o concurso através dos anos.[3]

Referências

  1. a b c d e f «Christiane Martel, Miss Universe 1953 (France)». El Anecdotario. Consultado em 3 de julho de 2011. Arquivado do original em 7 de setembro de 2011 
  2. «Christiane Martel Profile». glamourgirlsofthesilverscreen.com. Consultado em 3 de julho de 2011 
  3. «When the World Meets the Universe». missosology.org. Consultado em 16 de julho de 2011 [ligação inativa]


Precedido por
Armi Kuusela
Miss Universo
1953
Sucedido por
Miriam Stevenson