Ciclo do Cacau

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Ciclo do Cacau foi um período da história econômica do Brasil em que o país era o segundo maior produtor mundial de cacau.[1][2]

História[editar | editar código-fonte]

O Cacau não é da maneira que conhecemos hoje através do chocolate, primeiramente com ele era feita uma bebida de sabor amargo e apimentado. Podemos ver hoje chocolate com pimenta, para aproximar ao sabor de antigamente. A Amazônia é considerada o berço do fruto, ainda assim, a floresta é pouco explorada e de tempos em tempos um "novo" cacau é descoberto.

Produção[editar | editar código-fonte]

Pelo rio Amazonas, passou para o Pará e percorreu pela Bahia, onde foi mais favorável com 95% da produção no Brasil. Atualmente, esses dois estados com maior produção de Cacau no Brasil enfrentam momentos opostos. A Bahia sofre com a queda na produção, enquanto no Pará, o crescimento vem sendo gradativo.

Hoje[editar | editar código-fonte]

Hoje, o Brasil encontra-se na 5ª posição dos maiores produtores mundiais do mundo, atrás da Costa do Marfim, Gana, Indonésia, Nigéria.

Beneficiamento[editar | editar código-fonte]

O beneficiamento é importante para o determinar a qualidade e o sabor do chocolate, é preciso ser feito em comunidades com água encanada e luz elétrica. Esse processo envolve encontrar os cacaueiros, colher e quebrar os frutos, extrair as amêndoas envoltas na polpa branca, fermentá-las por sete dias e secá-las por mais cinco. Logo após, é preciso esmagá-la para fazer o chocolate.

Legislação[editar | editar código-fonte]

Pela Legislação Brasileira, há regiões da Amazônia declaradas como reserva extrativista, ou seja, ninguém pode ir para lá e pegar o cacau.

Referências

  1. Luiza Olivett; Diego Badaró, "Floresta, Cacau E Chocolate", p. 97, Senac São Paulo, 2016
  2. Schmidt, Flávio Luis / Efraim, Priscilla, "Pré-Processamento de Frutas, Hortaliças, Café, Cacau e Cana de Açúcar", p. 113, Elsevier - Campus, 2014