Cidade dos Homens

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura filme brasileiro de 2007, veja Cidade dos Homens (filme).
Cidade dos Homens
Informação geral
Formato Série
Gênero Drama
Duração 30 minutos
Criador(es) Fernando Meirelles
Kátia Lund
Baseado em Episódio Palace II, da série Brava Gente
Desenvolvedor(es) Guel Arraes
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es)
Roteirista(s)
Elenco Darlan Cunha
Douglas Silva
Localização Rio de Janeiro
Exibição
Emissora de televisão original Rede Globo
Transmissão original 15 de outubro de 2002 - 16 de dezembro de 2005 /
17 - 20 de janeiro de 2017
N.º de temporadas 5
N.º de episódios 23

Cidade dos Homens é uma série de televisão coproduzida pela O2 Filmes e Rede Globo, sendo exibida durante quatro temporadas, entre 15 de outubro de 2002 e 16 de dezembro de 2005. Contou com roteiros de César Charlone, Claudio Galperim, Eduardo Tripa, Elena Suarez, Fernando Meirelles, George Moura, Guel Arraes, Jorge Furtado, Kátia Lund, Leandro Saraiva, Melanie Dimantas, Newton Cannito, Paulo Lins, Paulo Morelli, Pedro Morelli, Regina Casé e Rosa Amanda Strausz. A direção de cada episódio ficou a cargo de diversos diretores, como Adriano Goldman, Cao Hamburger, César Charlone, Eduardo Tripa, Fernando Meirelles, Kátia Lund, Paulo Lins, Paulo Morelli, Pedro Morelli, Phillippe Barcinski, Regina Casé e Roberto Moreira.[1]

A série acompanha dois protagonistas, Acerola (Douglas Silva) e Laranjinha (Darlan Cunha), que vivenciam dilemas próprios da adolescência, tanto os universais quanto aqueles relativos aos problemas específicos nas comunidades carentes do Rio de Janeiro. São temas recorrentes o contraste entre ricos e pobres, a problemática do poder paralelo estabelecido pelo tráfico de drogas, a violência urbana, dificuldades financeiras e a cultura das favelas.[2]

Produção[editar | editar código-fonte]

Durante a pré-produção das filmagens de Cidade de Deus, Fernando Meirelles foi convidado por Guel Arraes a dirigir um episódio da série Brava Gente. Inicialmente Meirelles recusou, porém mais tarde mudou de ideia, com a condição de que desenvolvesse uma história ligada aos fragmentos da obra de Paulo Lins e com jovens da oficina de atores. Em 28 de dezembro de 2000 foi ao ar o episódio especial de fim de ano, Palace II, adaptado por Bráulio Mantovani com direção de Meirelles e Kátia Lund, ao qual se tornou parte do curta-metragem homônimo, considerado um ensaio para o longa-metragem que Meirelles dirigiu no ano seguinte e estreou em 2002.[3][4][5] Com o sucesso do filme, surge a ideia de realizar uma série derivada tendo como protagonistas dois jovens da comunidade.[6][7] Em 2007, é lançado um longa metragem homônimo retratando os protagonistas com os desafios da maioridade.[8]

Laranjinha e Acerola são personagens criados por Bráulio Mantovani. Uólace é um nome criado por Rosa Amanda Strausz.

Elenco da série[editar | editar código-fonte]

Protagonistas[editar | editar código-fonte]

Participações[editar | editar código-fonte]

Elenco de Palace II, episódio de Brava Gente[editar | editar código-fonte]

Episódios[editar | editar código-fonte]

1ª Temporada [9][editar | editar código-fonte]

Regina Casé co-dirigiu e atuou no 4° episódio da 1ª temporada.

2ª Temporada[editar | editar código-fonte]

3ª Temporada[editar | editar código-fonte]

4ª Temporada[editar | editar código-fonte]

Minissérie[editar | editar código-fonte]

Em julho de 2016, é anunciado o retorno da história no formato de minissérie. A trama acompanha a vida de Acerola e Laranjinha 12 anos depois, sendo pais de dois meninos, em que Laranjinha descobre que seu filho Davi (Luan Pessoa) tem um problema grave no coração. A situação se complica quando Clayton (Carlos Eduardo Jay), filho de Acerola, rouba dinheiro de um traficante: Laranjinha quer pagar a cirurgia do filho, e Acerola teme gastar o dinheiro sujo.[10][11][12][13]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Cidade dos Homens - Memória Globo». Memória Globo. Consultado em 17 de janeiro de 2017 
  2. Danilo Scaldaferri ( "CINE Cachoeira / UFRB" ). «CIDADE DOS HOMENS: A DRAMATURGIA EM FORMA DE JAZZ». Cópia arquivada desde o original em 10/05/2016. Consultado em 10 de maio de 2016 
  3. «Diretor adapta "Cidade de Deus", de Paulo Lins». Folha Online. 23 de janeiro de 2001. Consultado em 17 de janeiro de 2017 
  4. «Cidade dos Homens - Memória Globo». Memória Globo. Consultado em 17 de janeiro de 2017 
  5. Nilson Xavier. «Teledramaturgia - Cidade dos Homens». Teledramaturgia. Consultado em 17 de janeiro de 2017 
  6. «Globo lança minissérie com dois personagens de "Cidade de Deus"». Folha Online. 4 de outubro de 2002. Consultado em 17 de janeiro e 2017 
  7. Fernanda Dannemann (13 de outubro de 2002). «Quem te viu e quem tê vê». F5 - televisão. Consultado em 17 de janeiro de 2017 
  8. Carla Meneghini (30 de agosto de 2007). «'Cidade dos homens' vira filme, mas sem surpresas». F5 - televisão. Consultado em 17 de janeiro de 2017 
  9. " Filmow - A sua rede social de filmes e séries ". «Cidade dos Homens (1ª Temporada)». Cópia arquivada desde o original em 12/03/2015. Consultado em 10 de maio de 2016 
  10. Lígia Mesquita (17 de julho de 2016). «"Cidade dos Homens" retorna como minissérie na Globo em 2017». RD1. Consultado em 17 de janeiro de 2017 
  11. Fernanda Lopes (17 de janeiro de 2016). «Cidade dos Homens volta com drama infantil e material requentado». UOL. Notícias da TV. Consultado em 17 de janeiro de 2017 
  12. Nilton Carauta (20 de outubro de 2016). «Laranjinha e Acerola voltam 12 anos mais velhos na sequência da série 'Cidade dos Homens'». Extra. Consultado em 17 de janeiro de 2017 
  13. Natalia Castro (1 de janeiro de 2017). «Laranjinha e Acerola voltam em novos episódios de 'Cidade dos homens'». O Globo. Consultado em 17 de janeiro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]