Cinderela (1950)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Cinderela (Disney))
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o filme de 1950. Para outros significados, veja Cinderela (desambiguação).
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde janeiro de 2012). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Cinderella
A Gata Borralheira[1][2] (PT)
Cinderela[3]
 (PT)
Cinderela[4][5] (BR)
Pôster original do filme.
 Estados Unidos
1950 •  cor •  75 min 
Direção Clyde Geronimi
Hamilton Luske
Wilfred Jackson
Produção Walt Disney
Roteiro Ken Anderson
Perce Pearce
Homer Brightman
Winston Hibler
Bill Peet
Erdman Penner
Harry Reeves
Joe Rinaldi
Ted Sears
Baseado em Cinderela
(versão de Charles Perrault)
Elenco Ilene Woods
Eleanor Audley
Verna Felton
Rhoda Williams
James MacDonald
Luis Van Rooten
Don Barclay
Mike Douglas
Lucille Bliss
Género filme de animação
filme de fantasia
Música Paul J. Smith
Oliver Wallace
Companhia(s) produtora(s) Walt Disney Pictures
Distribuição RKO Pictures
Lançamento Estados Unidos 4 de Março de 1950
Brasil 22 de Maio de 1950
Portugal 21 de Dezembro de 1950
Idioma língua inglesa
Orçamento US$ 2.9 milhões [6]
Receita US$ 263.6 milhões
Cronologia
Cinderella II: Dreams Come True
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Cinderela (em inglês: Cinderella) é um filme americano do gênero animação produzido pela Disney em 1950 e baseado no conto de fadas homônimo do autor Charles Perrault.

É o décimo-segundo longa-metragem de animação dos estúdios Disney e foi lançado nos cinemas em 15 de Fevereiro de 1950. O filme foi dirigido por Clyde Geronimi, Hamilton Luske e Wilfred Jackson e produzido por Walt Disney. Possui duas continuações: Cinderella II: Dreams Come True (2002) e Cinderella III: A Twist in Time (2007).

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Em um reino que aparenta ser a França, Cinderela é a única filha de um fidalgo enviuvado. Quando o fidalgo morre, Cinderela é deixada sob os cuidados de sua madrasta, Madame Tremaine. A madrasta, ao invés de cuidá-la como fosse sua própria filha, faz de Cinderela uma criada em sua própria casa. Suas próprias filhas, Anastásia e Drizella, por sua vez, são tratadas com todo o mimo e o luxo. Os anos passam e Cinderela se torna uma jovem bela e bondosa, mas ainda é subjugada pela madrasta e suas filhas. Seus únicos amigos são os animais: os ratinhos e os passarinhos, além do cachorro Bruno e um cavalo, Major. Porém, um dia, uma coisa boa acontece à Cinderela: a família é convidada para um baile no palácio. O Rei está preocupado com o futuro do príncipe e ordenou que todas as jovens solteiras comparecessem, para que o filho escolha sua noiva dentre elas.

Como a ordem é que todas as moças solteiras compareçam, Madame Tremaine se vê obrigada a deixar Cinderela ir, mas só se ela terminar todas as suas tarefas e tiver um vestido de acordo com a ocasião. Cinderela a agradece, esperançosa, mas mal sabe ela que a madrasta e as irmãs estão decididas a impedir que isso aconteça. Elas passam mais e mais tarefas para Cinderela, que se vê sem tempo para consertar um vestido que fora de sua mãe. Contudo, chegada a hora marcada para o baile, a jovem tem uma agradável surpresa: seus amigos, os ratinhos e os passarinhos, consertaram o vestido, usando coisas que as irmãs haviam jogado fora, como uma faixa e um colar. Cinderela, radiante, desce as escadas correndo antes que a família parta em sua carruagem. Mas sua felicidade dura pouco, pois a madrasta é fria e calculista: ela reconhece o colar de Drizella e faz um comentário aparentemente inocente sobre ele. As irmãs, enfurecidas, rasgam o vestido de Cinderela, que não pode mais ir ao baile.

A família vai ao baile, deixando Cinderela arrasada para trás. A jovem quase perde as esperanças em seus sonhos, mas sua Fada Madrinha aparece para ela. Com sua varinha de condão, ela transforma uma abóbora em uma carruagem, quatro ratinhos em cavalos brancos, o cavalo em um cocheiro e Bruno em um lacaio. Por fim, ela transforma os trapos de Cinderela em um vestido deslumbrante e lhe dá sapatinhos de cristal. Mas a fada avisa: a magia só dura até a meia-noite. Depois disso, tudo volta a ser como era antes. Cinderela vai ao baile e dança com o Príncipe Encantado, sem saber quem ele é. Nem a madrasta consegue reconhecer Cinderela em seu traje de baile, mas a acha familiar. O Príncipe e Cinderela se apaixonam, mas antes que ela possa dizer seu nome, o relógio começa a anunciar a meia-noite. Cinderela sai apressada do palácio, deixando para trás um dos sapatinho de cristal na escadaria. Os guardas reais tentam segui-la, mas o feitiço se desfaz. Cinderela e seus amigos pulam fora do caminho bem a tempo e os cavalos dos guardas passam por cima de uma simples abóbora. Um dos ratinhos, Jaq, nota que sobrou o outro pé do sapatinho de cristal e a jovem agradece à Fada Madrinha por tudo que fez por ela.

Na manhã seguinte, Cinderela e suas duas irmãs recebem uma notícia da madastra: o Rei ordenou que o sapatinho de cristal deixado para trás pela donzela misteriosa fosse testado em todas as moças do Reino. Cinderela percebe que o cavalheiro com quem tinha dançado na noite anterior fora o príncipe e, sonhadora, cantarola a canção da noite anterior. Mme Tremaine percebe que Cinderela é a donzela que o Príncipe Encantado procura e tranca a enteada no sotão. O Grão-Duque, encarregado de testar o sapatinho, chega à casa da família. Inutilmente, Anastasia e Drizella experimentam o sapatinho de cristal. Enquanto isso, dois ratinhos, Jaq e Tatá, resgatam a chave do bolso da madrasta e sobem para libertar Cinderela. O gato da madrasta, Lúcifer, que tenta pegar os ratinhos desde o início da história, quase os impede, mas é afugentado bravamente por Bruno.

Quando o Grão-Duque está prestes a partir, Cinderela aparece no topo das escadas e pede para experimentar o sapatinho. O Grão-Duque concorda, mas a madrasta, em uma última tentativa de impedir o final feliz da enteada, usa a bengala para fazer o lacaio que segurava o sapatinho tropeçar. O cristal se espatifa no chão e o Grão-Duque lamenta o fato, pensando que vai ser condenado à morte pelo Rei. No entanto, Cinderela tira o outro par do sapatinho do bolso do avental e ele cabe perfeitamente no seu pé. Cinderela se casa com o Príncipe Encantado e seus amigos se mudam para o palácio, onde são recebidos com todas as honrarias. O casal parte para sua lua de mel e se beijam, apaixonados.

Produção[editar | editar código-fonte]

Cinderela foi o primeiro recurso de animação da Disney, desde Bambi em 1942, por causa da 2º Guerra Mundial, a Disney tinha sido obrigada a produzir filmes para o exercito, e pra completar, as bilheterias iam de mal a pior, o que fez o estúdio fazer vários filmes-pacotes, (um longa metragem composto por diversos curtas, que estão ligados em um tema só, ou não) de baixos custo como Tempo de Melodia e Música, Maestro!. Para manter os custos de Cinderela baixo, a referencia em live-action dos personagens foi amplamente utilizado. De acordo com Dowel Iaryn, um dos animadores de direção do filme, 90% de Cinderela foi feito usando modelos de ação ao vivo. Helene Stanley (modelo de Cinderela em live-action) e Ilene Woods, (voz de Cinderela) foram a forte influencia para os trejeitos da personagem título.

Música[editar | editar código-fonte]

As canções de Cinderela foram compostas por Mack David, Jerry Livingston e Al Hoffman. Podemos destacar as canções "A Dream Is a Wish Your Heart Makes", "Bibbidi-Bobbidi-Boo", "So This Is Love", "Sing Sweet Nightingale", "The Work Song" e "Cinderella" que estão incluídas no filme.

A trilha sonora do filme foi lançada em 15 de Fevereiro de 1950 pela récem-criada gravadora Walt Disney Records. E foi re-lançada em 4 de Fevereiro de 1997 com canções digitalmente remasterizadas. A trilha sonora do filme foi relançada em 2012.

As canções do filme são:

  • "Cinderella" - The Jud Conlon Chorus, Marni Nixon
  • "A Dream is a Wish Your Heart Makes" - Cinderela
  • "Oh, Sing Sweet Nightingale" - Drizella, Cinderela
  • "The Work Song" - Ratinhos
  • "Bibbidi-Bobbidi-Boo" - Fada Madrinha
  • "So This Is Love" - Cinderela, Príncipe Encantado.
  • "So This Is Love (Reprise)" - Cinderela
  • " A Dream is a Wish Your Heart Makes (Reprise)" - The Jud Conlon Chorus

Sequências[editar | editar código-fonte]

O filme original de 1950 teve duas sequências lançadas em DVD: a primeira foi Cinderella II: Dreams Come True lançada em Fevereiro de 2002, e a segunda Cinderella III: A Twist in Time lançada em 2007.A Disney irá lançar em Março de 2015 uma versão em live-action da animação,com Lilly James no papel de Cinderela.

Principais prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Oscar 1951 (EUA)

Festival de Berlim 1951 e 1960 (Alemanha)

  • Indicado ao Urso de Ouro, em 1960.
  • Venceu na categoria de melhor musical e recebeu o Prêmio da Audiência, em 1951.[8]

Festival de Veneza 1950 (Itália)

Crítica[editar | editar código-fonte]

Cinderella tem aclamação por parte da crítica profissional. No Rotten Tomatoes o Tomatometer é de 97% em base de 30 críticas. Por parte da audiência do site a pontuação alcança 80%.[9]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Cinderela foi lançado no cinemas dos EUA em 15 de Fevereiro de 1950, e foi um sucesso de bilheterias. Foi re-lançado em 1957, 1965, 1973, 1981 e 1987; no Brasil foi lançado em 22 de Maio de 1950; em Portugal foi lançado em 21 de Dezembro do mesmo ano.

Na edição do filme em DVD no ano de 2005, ele passou por remasterização digital, em sua trilha sonora original de cinema e o som remixado com o novo 5.1 Disney Enhanced Home Theater Mix. E nos bônus contém um videoclip da música clássica A Dream Is a Wish Your Heart Makes, cantada pelo grupo musical do Disney Channel Circle of Stars.

Em 26 de Setembro de 2012 foi lançada a Edição Diamante do filme com bônus inéditos, que pela primeira vez foi lançado em Disney Blu-ray, com áudio original (inglês) em DTS-HD MA 7.1 e português Dolby Digital 5.1 e relançado em Disney DVD com áudio original (inglês) e português Dolby Digital 5.1.

No Brasil as continuações tiveram lançamentos individuais em DVD, nos respectivos anos de lançamento, assim como em Portugal. Já em Blu-Ray no Brasil o segundo e terceiros filmes foram lancados num Blu-Ray Conjunto, e em Portugal foram lancados blurays individuais dos dois filmes, lancados no Box “Trilogia da Cinderela” em 2012.

Referências

  1. A Gata Borralheira (em português) no CineCartaz (Portugal)
  2. A Gata Borralheira no SapoMag (Portugal)
  3. Cinderela no DVDPT (Portugal)
  4. Cinderela no CinePlayers (Brasil)
  5. Cinderela (em português) no AdoroCinema (Brasil)
  6. http://www.the-numbers.com/movies/1950/0CNDR.php
  7. «The 23rd Academy Awards - Oscar Legacy» (em inglês). Consultado em 29 de dezembro de 2013. 
  8. «1st Berlin International Film Festival: Prize Winners». berlinale.de 
  9. «Cinderella - Rotten Tomatoes» (em inglês). Consultado em 29 de dezembro de 2013. 
Precedido por
As Aventuras de Ichabod e Sr. Sapo
Lista de filmes de animação da Disney
1950
Sucedido por
Alice no País das Maravilhas