Civismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O termo civismo é uma palavra que provém do conceito de cidadão[1] e refere-se a atitudes e comportamentos que este tem, no dia a dia, que seja demonstrativo de respeito pelos valores da sociedade e pelas suas instituições[2]. Práticas essas assumidas como os deveres fundamentais para a vida coletiva, visando a preservar a sua harmonia e melhorar o bem-estar de todos[3].

Mais especificamente, o civismo consiste na dedicação pelo interesse público[4] e pelas políticas de um país. Da demonstração de interesse, fidelidade ou honra que se desenvolve pela pátria; patriotismo[5][6].

Questões do civismo[editar | editar código-fonte]

As questões do civismo, centram-se sobretudo ao nível das práticas quotidianas, nomeadamente na forma como os cidadãos contribuem ou não para melhorar o bem estar colectivo. Em três dimensões[7]:

  • a) Dimensão Ética. A atitude cívica é inseparável da ética, isto é, de uma acção norteada por princípios.
  • b) Dimensão normativa. Um comportamento cívico é frequentemente encarado como o respeito por um conjunto de regras de convivência que estão definidas na Lei, em posturas municipais, etc. Estas prescrições, fruto de consensos colectivos, mais não visam do que integrar os indivíduos numa organização social e evitar a conflitualidade nas suas relações.
  • c) Dimensão [[Identidade|Identitária. As sociedades, como as polis são anteriores aos próprios indivíduos que as constituem. Tem memórias, valores e heranças patrimoniais que importam preservar, sob pena de perderem aquilo que as diferencia e individualiza como tais. O civismo é em última instância uma atitude de defesa da própria cidade e da cultura que a mesma possui.

Referências

}

Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.