Cláudio Nucci

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2016). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Claudio José Moore Nucci, mais conhecido como Claudio Nucci (Jundiaí, 9 de junho de 1956), é cantor, compositor, violonista e produtor musical brasileiro.

Integrou o grupo Boca Livre na primeira formação oficial do grupo - sendo Zé Renato, Maurício Maestro e David Tygel os outros integrantes - tendo participado do primeiro LP do grupo, com 11 faixas - homônimo - lançado em 1979 de forma independente, com grande sucesso de execução na mídia e vendas (mais de 100.000 cópias).

Claudio Nucci iniciou a carreira solo na Emi-Odeon/Emi Music, onde lançaria um compacto simples ("Quero Quero" – parceria com Mauro Assumpção – e "Acontecência" – parceria com Juca Filho – são as faixas, que obtiveram sucesso imediato nas execuções em rádio e TV, tendo sido incluídas em trilhas de novelas: Quero Quero em Olhai os Lírios do Campo, Acontecência em Brilhante e, mais tarde, em Coração de Estudante e depois, seus três primeiros álbuns formato LP: Claudio Nucci (1981); Volta e Vai (1983); e Melhor de Três (1984).

Em 1985 gravou o disco Pelo Sim Pelo Não (CBS/Sony Music) em duo com Zé Renato (com quem voltaria a trabalhar após sua saída do Boca Livre) embalado pelos sucessos das músicas "Pelo Sim Pelo Não" e "A Hora e a Vez" presentes na trilha-sonora da novela Roque Santeiro da Rede Globo.

Participou de diversos projetos músicas feitas por encomenda para novelas (Helena, em parceria com Cacaso para a novela Helena; "Ciranda do Sassá" para a novela O Salvador da Pátria), participações em compilações temáticas como os SongBooks de Dorival Caymmi, Ary Barroso, Tom Jobim, Chico Buarque, Djavan, além de participar como intérprete convidado de Edu Lobo, Guinga e Sergio Mendes, entre outros.

Fundou a Banda ZIL em 1988 e lançou um álbum ao lado de Zé Renato, Ricardo Silveira, Zé Nogueira, Marcos Ariel, João Baptista e Jurim Moreira (e que atualmente está de volta à cena musical)

Em 1995 gravou o CD Ê Boi (com músicas temáticas e folclóricas sobre o animal e a natureza que o cerca, incluindo desde sucessos como outras canções menos conhecidas: "Correnteza" de Luiz Bonfá e Tom Jobim, "O Menino da Porteira" - sucesso na voz de Sérgio Reis - "Vide, Vida Marvada" de Rolando Boldrin, "Boiadeiro" - sucesso na voz de Luiz Gonzaga, dentre outras) com o grupo vocal Nós e Voz lançado pela gravadora independente Atração Fonográfica. Voltou aos discos de carreira com o CD Casa da Lua Cheia (independente, 1999) que inclui canções nunca gravadas anteriormente por ele como "Sapato Velho" (gravado pelo Roupa Nova) e "Meu Silêncio" (gravado por Nana Caymmi, regravações de sucessos do Boca Livre e outros (como "Alegre Menina" de Dori Caymmi feita originalmente para a trilha sonora da novela Gabriela tendo Djavan como intérprete da 1ª versão) e inéditas também de sua autoria.

Em 2004 lançou pela gravadora independente Lua Music o álbum Ao Mestre com Carinho, somente com músicas de autoria de Dorival Caymmi, em comemoração aos 90 anos do mestre baiano.

Mais uma vez como integrante do Boca Livre (substituindo Zé Renato na formação do grupo à época, entre 2000 e 2003) fez parte do vitorioso projeto "Mundo", de Rubén Blades, que obteve o Grammy e com ele fez algumas turnês pela América Central e América do Norte.

Voltou a lançar álbuns de carreira, tais como: "Noel, Nelson & Nucci", pelo selo "Sentrinho", em homenagem a Noel Rosa e Nelson Cavaquinho, em 2011 e em 2004, numa homenagem ao Centenário de Dorival Caymmi, o álbum independente "Claudio Nucci Revisita Caymmi". Em 2016 iniciou uma série de EPs em homenagem a seus letristas mais assíduos como parceiros nas obras. A série se chama "Viva o Letrista" e foi lançado por distribuição digital. O primeiro EP da série é dedicado a Luiz Fernando Gonçalves (autor, entre outras obras, de "Velho Companheiro", título original de "Meu Silêncio", já citada).


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.