Clóvis Moura

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Clóvis Moura
Nascimento 1925
Amarante
Morte 23 de dezembro de 2003
São Paulo
Cidadania Brasil
Ocupação jornalista, escritor, sociólogo
Prêmios

Clóvis Steiger de Assis Moura (Amarante, 10 de julho de 1925São Paulo, 23 de dezembro de 2003), mais conhecido como Clóvis Moura, foi um sociólogo, jornalista, historiador e escritor brasileiro. Nasceu na cidade de Amarante, no Piauí. No livro Argila da Memória, Clóvis Moura fala da sua infância no interior, do Rio Parnaíba e de mitos do folclore piauiense, como a lenda do Cabeça de Cuia. É influenciado pelo marxismo, tendo desenvolvido a Sociologia da Práxis Negra. Clóvis Moura questionou a visão de Gilberto Freyre sobre a passividade do negro no Brasil, destacando a resistência à escravidão dos quilombos. Em suas pesquisas tratou da rebelião dos escravos e da formação dos quilombos. Apoiando-se na teoria de Marx, analisou a luta de classes no sistema escravista. Para Clóvis Moura, a sociedade escravista brasileira era subdividida em duas classes antagônicas: os senhores de escravos (classe dominante) e os escravos (classe dominada). Os escravos produziam os bens materiais e as riquezas enquanto os senhores de escravos detinham a propriedade e os meios de produção. Após a abolição, os escravos, apesar de terem produzido as riquezas que alicerçaram a economia brasileira, não tiveram direito à propriedade.

Iniciou sua militância pelo Partido Comunista Brasileiro em 1945 e, em 1962, na cisão do partido, migrou para o PCdoB. Destacou-se pela militância pioneira no movimento negro brasileiro. Colaborou com artigos para jornais da Bahia e de São Paulo.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Rebeliões da senzala: quilombos, insurreições, guerrilhas (1959)
  • Argila da Memória (1962)
  • O Negro: de Bom Escravo a Mau Cidadão? (1977) 
  • A sociologia posta em questão (1978)
  • Diário da Guerrilha do Araguaia (1979)
  • Os Quilombos e a Rebelião Negra (1981)
  • Brasil: as raízes do protesto negro (1981)
  • Sociologia do Negro Brasileiro (1988)
  • As injustiças de Clio: o negro na historiografia brasileira (1990)
  • Dialética Radical do Brasil Negro (1994)
  • Dicionário da escravidão negra no Brasil (2004)

Referência bibliográfica[editar | editar código-fonte]

MESQUITA, Érika, Clóvis Moura: uma visão critica da historia social brasileira, Dissertação de Mestrado IFCH/UNICAMP, Campinas, 2002.

OLIVEIRA, Fábio Nogueira. Clóvis Moura e a sociologia da práxis negra. Dissertação. Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Direito da Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2009.

PACHECO, Diego Ricardo. Clóvis Moura e Florestan Fernandes: O protesto escravo na derrocada do sistema escravista nas obras Rebeliões da senzala e Brancos e negros em São Paulo. Monografia, São Paulo, 2015.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre sociologia ou um sociólogo é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.