Clóvis Moura

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Clóvis Steiger de Assis Moura (Amarante, 1925São Paulo, dezembro de 2003), mais conhecido como Clóvis Moura, foi um sociólogo, jornalista, historiador e escritor brasileiro. Nasceu na cidade de Amarante, no Piauí. No livro Argila da Memória, Clóvis Moura fala da sua infância no interior, do Rio Parnaíba e de mitos do folclore piauiense, como a lenda do Cabeça de Cuia. É influenciado pelo marxismo, tendo desenvolvido a Sociologia da Práxis Negra. Clóvis Moura questionou a visão de Gilberto Freyre sobre a passividade do negro no Brasil, destacando a resistência à escravidão dos quilombos. Em suas pesquisas tratou da rebelião dos escravos e da formação dos quilombos. Apoiando-se na teoria de Marx, analisou a luta de classes no sistema escravista. Para Clóvis Moura, a sociedade escravista brasileira era subdividida em duas classes antagônicas: os senhores de escravos (classe dominante) e os escravos (classe dominada). Os escravos produziam os bens materiais e as riquezas enquanto os senhores de escravos detinham a propriedade e os meios de produção. Após a abolição, os escravos, apesar de terem produzido as riquezas que alicerçaram a economia brasileira, não tiveram direito à propriedade.

Militou pelo Partido Comunista Brasileiro e, em 1962, na cisão do partido, migrou para o PCdoB. Destacou-se pela militância pioneira no movimento negro brasileiro. Colaborou com artigos para jornais da Bahia e de São Paulo.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Rebeliões da senzala: quilombos, insurreições, guerrilhas (1959)
  • Argila da Memória (1962)
  • O Negro: de Bom Escravo a Mau Cidadão?(1977) 
  • A sociologia posta em questão (1978)
  • Diário da Guerrilha do Araguaia (1979)
  • Os Quilombos e a Rebelião Negra (1981)
  • Brasil: as raízes do protesto negro (1981)
  • As injustiças de Clio: o negro na historiografia brasileira (1990)
  • Dicionário da escravidão negra no Brasil (2004)
  • Sociologia do Negro Brasileiro (1988)

Referência bibliográfica[editar | editar código-fonte]

MESQUITA, Érika, Clóvis Moura: uma visão critica da historia social brasileira, Dissertação de Mestrado IFCH/UNICAMP, Campinas, 2002.

OLIVEIRA, Fábio Nogueira. Clóvis Moura e a sociologia da práxis negra. Dissertação. Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Direito da Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2009.

PACHECO, Diego Ricardo. Clóvis Moura e Florestan Fernandes: O protesto escravo na derrocada do sistema escravista nas obras Rebeliões da senzala e Brancos e negros em São Paulo. Monografia, São Paulo, 2015.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.