Claribel Alegría

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Claribel Alegría
Alegría no 3º Festival Internacional de Poesia em Granada
Nome completo Clara Isabel Alegría Vides
Nascimento 12 de maio de 1924 (95 anos)
Estelí, Nicarágua
Morte 25 de janeiro de 2018 (93 anos)
Manágua, Nicarágua
Nacionalidade nicaraguense
salvadorenho(a)
Ocupação Poetisa
Jornalista

Clara Isabel Alegría Vides (Estelí, 12 de maio de 1924Manágua, 25 de janeiro de 2018), também conhecida como Claribel Alegría, foi uma poetisa, romancista e jornalista de literatura moderna da Nicarágua. Em 2006, recebeu o Prêmio Literário Internacional Neustadt.

Vida[editar | editar código-fonte]

Alegría nasceu em Estelí, na Nicarágua. Aos nove meses de idade, seu pai foi exilado devido à violação dos protestos de direitos humanos durante a ocupação da Nicarágua pelos Estados Unidos. Como resultado disso, Claribel cresceu em Santa Ana, um município de El Salvador, cuja é a origem de sua mãe. Claribel Alegría se considerava como nicaraguense-salvadorense.[1][2][3] Apesar da idade nova para escrever e ler, começou a compor poesias aos seis anos de idade e ditá-las para sua mãe, que as registrava posteriormente. Alegría citava "Cartas a um jovem poeta", obra de Rainer Maria Rilke, como um ímpeto para a sua habilidade poética.[4] Aos dezessete anos de idade, publicou seus primeiros poemas no Repertorio Americano, uma divisão cultural da América Central. Tempos depois, o educador mexicano José Vasconcelos organizou a educação final de Alegría em Hammond, Luisiana.[5] Em 1943, mudou-se para os Estados Unidos e em 1948 recebeu o diploma de bacharelado em artes em filosofia e letras na Universidade George Washington.[6] Alegría mantinha comprometimento com a resistência não-violenta. Mantinha uma relação fidedigna com a Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN), responsável pela derrubada de Anastasio Somoza Debayle do poder e pela tomada do controle do governo nicaraguense em 1979. Retornou à Nicarágua no ano de 1985 para ajudar na reconstrução do país. Anos depois, passou a viver em Manágua e veio a falecer em 23 de janeiro de 2018, aos 93 anos de idade.[7][8]

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Flores y Ascencio, Daniel (inverno de 2000). «Claribel Alegría». Bomb. New York: BOMB Magazine. Consultado em 1 de abril de 2017 
  2. Moreno, Víctor (1999). «Claribel Alegría». Busca biografías. Busca Biografías. Consultado em 14 de novembro de 2017 
  3. Úbeda, Luis Miguel (14 de novembro de 2017). «El ojo crítico entrevista a Claribel Alegría». Programa El Ojo Crítico RTVE. Madrid: Radio Televisión Española. Consultado em 14 de novembro de 2017 
  4. «Alegría, Claribel Joy: 1924—». www.encyclopedia.com. Consultado em 2 de outubro de 2015 
  5. Gale (2003). «Claribel Joy Alegría». Contemporary Hispanic Biography. Consultado em 30 de setembro de 2015 
  6. «Claribel Alegría bio» (PDF). World Literature Today. University of Oklahoma. Consultado em 24 de outubro de 2007. Arquivado do original (PDF) em 27 de fevereiro de 2008 
  7. «Claribel Alegría». Consultado em 5 de outubro de 2014 
  8. Muere la poeta nicaragüense Sofía Claribel Alegría (em castelhano)
  9. «Claribel Alegría - Biography». Encyclopædia Britannica. Consultado em 24 de março de 2018 
  10. Bunmi Ishola (30 de setembro de 2006). «Claribel Alegría wins Neustadt Prize». The Norman Transcript. Consultado em 2 de novembro de 2013. Arquivado do original em 4 de novembro de 2013 
  11. «Claribel Alegria: 2006 Neustadt International Prize Laureate.(special section)(Biography)». World Literature Today. 1 de maio de 2007. Consultado em 2 de novembro de 2013. Arquivado do original em 11 de Novembro de 2013 
  12. «Neustadt Prize». The Missouri Review. 16 de novembro de 2006. Consultado em 2 de novembro de 2013. Arquivado do original em 4 de novembro de 2013 
  13. «Claribel Alegría recibe Premio Reina Sofía de Poesía Iberoamericana». 14 de novembro de 2017. Consultado em 24 de março de 2018