Classe Niterói

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Classe Niterói
Fragata Constituição (F-42)
Origem    Bandeira do país de origem
Nome Classe Niterói
Construtor(es) Vosper Thornycroft
Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro
Lançamento 1975
Unidade inicial F Niterói (1976)
Unidade final F União (1980)
Em serviço 1976 -
Operadores Naval Jack of Brazil.svg Brasil
Características gerais
Tipo Fragata
Deslocamento 3.200 Ton. (padrão) e 3.800 Ton. (carregado)
Comprimento 129,20 m
Boca 13,50 m
Calado 5,50 m
Propulsão CODOG (Combinação Diesel ou Gás), Com 2x turbinas a gás Rolls-Royce, Olympus TM-3B com 28.000hp cada, 4x motores MTU 16V956 TB91 com 3.940hp cada, acoplados a dois eixos.
Velocidade 30 nós
Autonomia 5 300 a 17 nós
Sensores Sistema de combate SICONTA Mk.2
Contramedidas electrônicas Omnisys ET/SLQ-1A
Radar de pesquisa aérea SELEX Sistemi RAN 20S (2D) alcance médio de 117km
Radar diretor de tiro SELEX Sistemi RTN-30X com alcance médio de 39Km
Sonares EDO Corp. 997(F) / Pesquisa activa/ataque
Armamento Mísseis antinavio MM-40 EXOCET Block I
Sistema de lançamento Albatros para mísseis ALENIA-Marconi Aspide-2000
1 canhão Vickers Mk 8 mod.0 4,5 polegadas (115 mm) com alcance de 22 Km
2 canhões antiaéreo BAE Systems Bofors Trinity Mk 3
lançadores para torpedos Mk-46.
Aeronaves Um helicóptero Westland AH-11A Super Lynx ou UH-12/13 Esquilo
Tripulação/Equipagem 217
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros significados de Niterói, veja Niterói (desambiguação).

A classe Niterói é uma classe de fragatas da Marinha do Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

No alvorecer da década de 1970 a Marinha do Brasil abriu uma concorrência internacional para uma nova série de navios, destinada a substituir unidades mais antigas, de origem americana, construídas durante a Segunda Guerra Mundial.

Foi especificado que esses novos navios deveriam possuir grande autonomia operacional e ser capazes de manter velocidades que os habilitassem à escolta de comboios rápidos, assim como, quando necessário, desenvolver altas velocidades.

A concorrência foi vencida pela empresa britânica Vosper Thornycroft com o projeto da Vosper Mk10, de 3 500 toneladas, concebida como uma plataforma multifuncional com alguma ênfase em guerra anti-submarina. Foram assim construídas seis unidades, as quatro primeiras nos estaleiros da Vosper e os dois últimos no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro (AMRJ).

A autorização para a construção foi dada pelo governo brasileiro em setembro de 1970, como parte do Programa de Renovação e Ampliação de Meios Flutuantes da Marinha. As novas fragatas entraram em serviço entre 1976 e 1980, e passaram por extenso programa de modernização iniciado em 1997, chamado ModFrag, realizado no Arsenal de Marinha.

Vosper Mk 10[editar | editar código-fonte]

Vosper Mk 10 é a designação britânica do projeto das fragatas classe Niterói da Marinha do Brasil. O estaleiro britânico Vosper Thornycroft, ao longo das décadas de 1960 e 1970, projetou e construiu uma série de corvetas/fragatas. O projeto MK 10 foi a evolução definitiva e mais avançada dessa linha de unidades navais de combate.

Evolução do Projeto[editar | editar código-fonte]

O projeto inicial, conhecido como Mk 1, resultou numa corveta com 500 t de deslocamento. Duas unidades foram construídas para a Marinha de Gana em 1964/1965 e outra para a Líbia em 1966. Posteriormente veio a Mk 3, um pouco maior (660 t), com duas unidades entregues à Marinha da Nigéria em 1972. Nesta mesma época a Marinha do Irã recebeu as quatro unidades da classe MK 5, conhecidas naquele país como classe Saam (de 1540 t). A evolução do projeto Mk 5 levou ao desenvolvimento do projeto Mk 7, legeiramente maior que seu antecessor (uma única unidade encomendada pela Líbia). Duas unidades Mk 9 ainda foram projetadas para a Marinha da Nigéria. Lançadas em 1980 e 1981, estas duas unidades eram bem menores (780 t), mas fortemente armadas.

O maior sucesso comercial da família de projetos da Vosper foi a classe Tipo 21 ou Amazon. Oito unidades foram construídas para a Marinha Real Britânica sendo que sete navios participaram da Guerra das Malvinas e dois foram afundados. O projeto Mk 10 deriva muito das fragatas Tipo 21.

Lista de navios Marinha do Brasil[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Classe Niterói



Ícone de esboço Este artigo sobre a Marinha do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.