Clemente Tadeu Nascimento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Clemente Nascimento
Informação geral
Nome completo Clemente Tadeu Nascimento
Nascimento 12 de maio de 1963
Local de nascimento São Paulo
Brasil
Nacionalidade  Brasil
Gênero(s) punk rock
rock
Ocupação(ões) músico, produtor, guitarrista
Instrumento(s) guitarra elétrica
vocal
Período em atividade 1978-Atual
Outras ocupações apresentador
Afiliação(ões) Restos de Nada, Condutores de Cadáver, Inocentes, Plebe Rude, A Fantástica Banda Sem Nome
Página oficial www.instagram.com/clementetadeu

Clemente Tadeu Nascimento (São Paulo, 12 de maio de 1963) é um DJ, produtor, músico (cantor e guitarrista), apresentador e ator brasileiro,[1] considerado um dos pioneiros do punk rock no Brasil.

Em 1981, fundou a banda Inocentes, na qual atua até hoje e, em paralelo, também toca na banda Plebe Rude, além de sua carreira solo. É diretor artístico da produtora Showlivre, apresentando também o programa da produtora, Estúdio Showlivre.

Sempre foi um ativista na música, já trabalhou como diretor artístico do extinto programa Musikaos, na TV Cultura, apresentado por Gastão Moreira.

De 6 de agosto de 2014 até fim de 2019, apresentou na Rádio Kiss FM o programa Filhos da Pátria, voltado às bandas de rock nacionais.[2][3]

Desde 2015, é apresentador recorrente do canal do Youtube Kazagastão - KZG, onde participa do quadro "Heavy Lero" em parceria com o ex-VJ da MTV Gastão Moreira.[4]

Em 2016 publica o livro "Meninos em Fúria - E o som que mudou a música para sempre", escrito junto de Marcelo Rubens Paiva, baseado nas memórias dos autores sobre experiencias vividas no movimento punk dos anos 80.[5]

Carreira Musical[editar | editar código-fonte]

Restos do Nada (1978-1979;1987)[editar | editar código-fonte]

É onde Iniciou sua carreira musical em 1978, como baixista da banda que é considerada a primeira banda punk do Brasil. O grupo surgiu na Vila Carolina, em São Paulo, do encontro entre Clemente e o guitarrista Douglas Viscaino (que vinha do Organus). A banda fez alguns shows na nascente cena punk paulistana do final dos anos setenta e começo dos oitenta, mas divergência ideológicas acabaram por separar o quarteto original.[6]

Em 1987, a banda se reúne para enfim gravar em disco as composições do Restos de Nada. A banda assinou com a Devil Discos, entrou em estúdio e saiu de lá com o disco homônimo, "Restos de Nada".

Condutores de Cadáver (1979-1980)[editar | editar código-fonte]

Em 1979 entrou para a banda N.A.I. (Nós Acorrentados do Inferno), a qual sugeriu a mudança de nome para Condutores de Cadáver.[6] Ficou até o encerramento da banda, em 1980.

Inocentes (1981-Atual)[editar | editar código-fonte]

É um dos fundadores da banda, onde começou como baixista em 1981 e só em 1984 assumiu a guitarra e a voz.[7]

É um dos principais compositores da banda, responsável por músicas como “Pânico em SP” e “Pátria Amada”.

Plebe Rude (2004-Atual)[editar | editar código-fonte]

Clemente ingressou na banda brasiliense Plebe Rude no show realizado no Circo Voador (RJ), no dia 27 de novembro de 2004.

Com a banda, gravou os discos “R ao Contrário” (2006), "Rachando Concreto: Ao Vivo em Brasília" (CD e DVD) (2011) e “Nação Daltônica” (2014).

Jack & Fancy (2009)[editar | editar código-fonte]

É um duo formado com Sandra Coutinho, da banda As Mercenárias.[8]

Clemente & A Fantástica Banda Sem Nome (2016-Atual)[editar | editar código-fonte]

É seu projeto solo, no qual toca acompanhado de Joe Gomes (ex-Pitty) no baixo, Johnny Monster (Daniel Belleza e Corações em Fúria) na guitarra e Rodrigo Cerqueira (ex-Skuba/Firebug) na bateria.[9]

Em 2016, lançou um álbum solo intitulado "Antes que seja tarde", creditado como Clemente & A Fantástica Banda sem Nome.[10]

Em 18 de janeiro de 2021 lançou o single "Sobre trilhos", composição própria e gravada com a participação de Wagner Bernardes.[11]

Referências

  1. Clemente Tadeu Nascimento Inocentes
  2. "Gastão Moreira e Clemente Nascimento lançam programas de entrevistas e com casos do rock"
  3. «Kiss FM: Filhos da Pátria sai da grade de programação da emissora». whiplash.net. Consultado em 25 de março de 2021 
  4. «Kazagastão: muito mais do que um canal». Whiplash.net. Consultado em 16 de setembro de 2018 
  5. G1, Do; Paulo, em São (28 de outubro de 2016). «'Meninos em fúria': leia trecho do livro que fala sobre punk no Brasil». Pop & Arte. Consultado em 25 de março de 2021 
  6. a b link, Gerar; Facebook; Twitter; Pinterest; E-mail; aplicativos, Outros. «Prateleira do Cadão: Restos de Nada, pioneiros do punk brazuca». Consultado em 25 de março de 2021 
  7. «Clemente Tadeu Nascimento | Inocentes». Consultado em 25 de março de 2021 
  8. Semana, Redação Guia da. «Jack & Fancy - Astronete». Guia da Semana. Consultado em 25 de março de 2021 
  9. «Sobre Trilhos, by Clemente & A Fantástica Banda Sem Nome». Clemente & A Fantástica Banda Sem Nome. Consultado em 25 de março de 2021 
  10. «Já além do punk, Clemente segue em frente no disco 'Antes que seja tarde' | G1 Música Blog do Mauro Ferreira». Mauro Ferreira. Consultado em 25 de março de 2021 
  11. Ferreira, Mauro. «Clemente segue o trilho do rock em single derivado de campanha para ferroviários». G1. Consultado em 11 de fevereiro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre punk rock é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.