Saltar para o conteúdo

Cloreto de ouro(I)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Cloreto de ouro(I)
Alerta sobre risco à saúde
Nome IUPAC Cloreto de ouro (I)
Outros nomes Cloreto auroso
Identificadores
Número CAS 10294-29-8
Propriedades
Fórmula molecular AuCl
Massa molar 232,423 g/mol
Aparência Sólido amarelo
Densidade 8,25 g/cm3, sólido
Ponto de fusão

170 °C

Ponto de ebulição

Decompõe

Solubilidade em água Pouco solúvel
Solubilidade Solúvel em HCl, HBr e solventes orgânicos
Susceptibilidade magnética −67,0·10−6 cm3/mol
Riscos associados
NFPA 704
0
2
0
 
Compostos relacionados
Outros aniões/ânions Fluoreto de ouro (I)
Brometo de ouro (I)
Outros catiões/cátions Cloreto de ouro (III)
Cloreto de prata
Cloreto de platina (II)
Cloreto de mercúrio (II)
Página de dados suplementares
Estrutura e propriedades n, εr, etc.
Dados termodinâmicos Phase behaviour
Solid, liquid, gas
Dados espectrais UV, IV, RMN, EM
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Cloreto de ouro (I) ou cloreto auroso é um composto químico com a fórmula AuCl.

Obtenção[editar | editar código-fonte]

O cloreto auroso monocristalino pode ser obtido através da sublimação do Au2Cl6, que se deposita sob a forma de cristais de AuCl em temperaturas próximas a 250 °C sob pressão de 1 atm. Para preparação de vapor de Au2Cl6 é necessário aquecer ouro em pó a 235 °C em atmosfera de cloro molecular. O produto final obtido deve ser armazenado sob resfriamento.

                              

As condições reacionais estritas se devem ao equilíbrio termodinâmico ouro-cloro, que apresenta pelo menos quatro reações paralelas que são deslocadas de acordo com as condições reacionais, coexistindo diferentes substâncias de acordo com esses parâmetros.[1]

Propriedades[editar | editar código-fonte]

O cloreto auroso possui geometria molecular tetraédrica com íons cloreto e ouro alternados na estrutura em forma de zig-zague, com angulação de 92° . É metaestável à temperatura ambiente, se decompondo através da reação de desproporcionamento que forma ouro metálico e Au2Cl6 sólido.[1] É corrosivo à pele e às mucosas, além de ser sensibilizante.[2]

Referências

  1. a b Janssen, E. M. W.; Folmer, J. C. W.; Wiegers, G. A. (1 de outubro de 1974). «The preparation and crystal structure of gold monochloride, AuCl». Journal of the Less Common Metals (em inglês) (1): 71–76. ISSN 0022-5088. doi:10.1016/0022-5088(74)90204-5. Consultado em 25 de janeiro de 2021 
  2. PubChem. «Gold monochloride». pubchem.ncbi.nlm.nih.gov (em inglês). Consultado em 25 de janeiro de 2021