Club Universidad de Chile

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Universidad de Chile
C.F. Universidad de Chile logo.png
Nome Club Universidad de Chile
Alcunhas La U
Ballet Azul
El Chuncho
El Bulla
Romántico Viajero
El León
Azules
Fundação 24 de maio de 1927 (88 anos)
Localização Santiago,  Chile
Mando de jogo em Estádio Nacional de Chile
Capacidade (mando) 78.000 pessoas
Presidente Chile Carlos Heller
Treinador Argentina Sebastián Beccacece
Patrocinador Chile Claro
Chile Homecenter Sodimac (Calção)
Material esportivo Alemanha Adidas
Competição Chile Campeonato Chileno (Clausura)
Flags of the Union of South American Nations.gif Copa Libertadores
Chile Copa Chile
Chile Campeonato Chileno (Apertura)
Chile 2015
Flags of the Union of South American Nations.gif 2015
Chile 2015-16
Chile 2015
A definir
Fase de grupos
A definir
A definir
Chile 2014
Flags of the Union of South American Nations.gif 2014
Chile2014-15
Chile 2014
12º lugar
Fase de grupos
Fase de grupos
Campeão
Website udechile.cl
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

O Club Universidad de Chile[1] é um clube chileno da cidade de Santiago. Fundado em 24 de maio de 1927, o time joga a primeira divisão da liga chilena de futebol. Sua torcida organizada (barra) mais atuante é conhecida popularmente como Los de Abajo.

História[editar | editar código-fonte]

Fundação[editar | editar código-fonte]

Em 24 de maio de 1927 foi formado o Club Deportivo Universitario, nascido da união dos clubes Náutico Universitario, Internado, Universitario de Atletismo e Federación Universitaria. Por consenso, os seus integrantes decidem adotar no escudo do novo clube uma coruja (que já era parte integrante do escudo do Náutico Universitario).

Origens[editar | editar código-fonte]

Na década de 1930, o Club Deportivo Universitario competia na série amadora da Associação de Santiago. Em 1936, ganhou o campeonato da série B, em 1937, voltou a ganhar o torneio e solicitou o ascenso à Primeira Divisão. Esse ano passou a se chamar Club Deportivo Universidad de Chile, já que os estudantes da Universidad Católica, que também militavam no Club Deportivo Universitario, se retiraram para formar o clube próprio àquela universidade, que não possuía equipe profissional.

Ambos solicitaram o ingresso na série profissional, mas os dirigentes estimaram que somente uma equipe universitária poderia ser promovida. Para definir qual dos clubes iria ascender, os dirigentes optaram por que as equipes jogassem uma partida com uma equipe profissional da primeira divisão.

Elenco da Universidad de Chile, em 8 de abril de 1938.

A Universidad Católica teve de enfrentar o Colo-Colo, perdendo por 6 a 2, enquanto a Universidad de Chile enfrentou o Audax Italiano, empatando por um gol no tempo regulamentar. Seguindo igualados na prorrogação, a partida teve de ser definida na "morte súbita" (gol de ouro), na qual o Audax Italiano converteu o gol do triunfo. "La U" definitivamente perdia o encontro por 2 a 1.

No entanto, a digna atuação da Universidad de Chile deixou os dirigentes da associação de futebol satisfeitos e estes aceitaram o ingresso da equipe azul na primeira divisão. Em 29 de maio de 1938, ocorria a estreia na Primeira Divisão, enfrentando no Campo de Sports de Ñuñoa o poderoso Club Deportivo Magallanes.

Balé Azul[editar | editar código-fonte]

Leonel Sánchez, jogando pela Universidad de Chile.

Durante a década de 1960, a Universidad de Chile alcançou seu apogeu no plano nacional e internacional com um elenco repleto de talentos, conquistando seis campeonatos entre 1959 e 1969 (incluindo um bicampeonato em 1964-65). Os meios de comunicação chamaram-na "Balé Azul", devido ao bom futebol mostrado em cada uma de suas partidas. Também cabe destacar que dentro da Seleção Chilena de Futebol, que alcançou o terceiro lugar na Copa do Mundo de 1962, mais da metade dos integrantes eram membros da Universidad de Chile.

Graças ao esplendor mostrado pelas figuras dentro da Copa do Mundo, a Universidad de Chile foi convidada para várias partidas no Velho Continente, onde chegou a derrotar ao campeão europeu, a Internazionale de Milão.

Do Balé à crise[editar | editar código-fonte]

Após a desaparição de grandes figuras do clube, somada a uma profunda crise econômica agravada ainda mais após a desvinculação da instituição com a universidade de Bello, o clube entrou em uma crise esportiva que teve seu ápice no ano de 1989 com o descenso para a Primeira B (também chamada de Segunda Divisão).

Após lutar vários anos consecutivos na liga de promoção, ocorreu o inevitável descenso ao empatar com o Cobresal e descer por diferença de gols. Durante o mesmo ano, iniciou-se uma separação no interior da barra oficial (o império azul), formando-se a atual barra "Los de Abajo". Durante sua breve estadia na segunda divisão, "La U" consegue o ascenso no mesmo ano após derrotar o Curicó Unido por 3 a 0.

Novamente em cima[editar | editar código-fonte]

Após a presidência do doutor René Orozco, a universidade volta a lutar pela ponta e consegue finalmente em 1994, com um plantel que se destacavam figuras como Marcelo Salas, Sérgio Vargas e Patrício Mardones, arrebatar o campeonato contra Universidad Católica. A partida definitiva, algumas rodadas antes do final foi selado após o único gol de Salas. Chegada a última rodada, a Universidad devia ao menos empatar contra o Cobresal. No meio do segundo tempo da partida, Cobresal vencia por 1 a 0, e o juiz marcou uma falta, ainda que duvidosa, foi pênalti que foi transformado em gol pelo meio campista Patrício Mardones.

Com esforço, foi mantida a equipe para 1995 e La "U" se sagrou bicampeão, após vencer o Deportes Temuco por 2 a 0, no Nacional. Este ano marcou a chegada do último grande 10 que se viu em la "U", o argentino Leonardo Rodriguez. E este campeonato foi novamente uma grande batalha com a Universidad Católica, que é novamente vice.

Em 1996, la "U" faz sua última grande campanha internacional. Na mão do argentino Miguel Angel Russo, la "U", em sua condição de Campeão Chileno, disputa a Taça Libertadores da América, onde após uma grande campanha consegue alcançar as semifinais do torneio, devido a arbitragem duvidosa, foi eliminada pela equipe argentina do River Plate. Esse ano, la "U" não fez uma grande campanha no Campeonato Chileno, ficando somente em 5º lugar.

Nos últimos anos, a Universidad de Chile voltou a alcançar um bicampeonato nacional durante 1999, ano em que La "U" consegue a façanha de 34 jogos invicto, e em 2000, sob o comando de César Vaccia, e com revelações como Rodrigo Tello, Alex von Schwedler, Jorge Guzmán, Sebastián Pardo junto aos valores consolidados como Sérgio Vargas, Leonardo Rodriguez, Johnny Herrera (que já jogou no Sport Club Corinthians Paulista), Pedro González, Cristián Castañeda, entre muitos outros.

Últimas glórias e Ressurreição[editar | editar código-fonte]

A Universidad do Chile conquistou, em 2004, o torneio Apertura do campeonato chileno, após definição por pênaltis contra o Cobreloa, com destaque para Johnny Herrera, Diego Rivarola e Sergio Gioino.

Depois disso, o clube viveu uma crise econômica que terminou por desencadear uma quebra da instituição, o que não impediu que a Universidad conseguisse chegar por duas vezes consecutivas a final do campeonato (2005-2006), contra Universidad Católica e Colo-Colo, respectivamente, nas primeiras finais da história dos torneios curtos contra os rivais históricos.

Em 2009, conquistou mais um título do torneio Apertura, ao derrotar o Unión Española por 1 a 0, na casa do adversário, tendo chegado às quartas-de-finais da Copa Sul-Americana, quando foi eliminada pelo Fluminense (2 a 2 e 0 a 1).

Em 2010 disputa a Copa Libertadores da América. Após eliminar o Flamengo nas quartas de final do torneio pelo critério de gols marcados fora (vitória de 3 a 2 fora de casa e derrota de 2 a 1 em casa), o time está nas semifinais onde enfrenta o Chivas. Na primeira partida no México, empate em 1 a 1. Mas a glória durou pouco e acabou sendo eliminada em casa pelo placar de 2 a 1.

A equipe da Universidad de Chile visita o Palácio de La Moneda, logo após conquistar a Copa Sul-Americana de 2011.

Em 2011, voltou a vencer o Torneio de Apertura ao derrotar o arquirrival Universidad Católica, na última partida, por 4 a 1.[2]

Nesse mesmo ano conseguiu conquistar seu primeiro título internacional na história, a Copa Sul-Americana, passando por Fénix e Nacional do Uruguai, Flamengo e Vasco da Gama, Arsenal de Sarandí da Argentina e Liga de Quito do Equador.

Em 29 de dezembro, a Universidad de Chile ganha o bicampeonato após o empate sem gols em Calama e a vitória de 3 a 0 sobre o Cobreloa na final do Torneio de Clausura, um novo recorde, conquistando pela primeira vez na história do futebol chileno a tríplice coroa, ao ser campeão do Torneio de Apertura, a Copa Sul-Americana e o Torneio de Clausura. Foi vice-campeão da Copa Suruga Bank de 2012.

Rivalidades[editar | editar código-fonte]

Seus grandes rivais são os times do Colo-Colo, com quem joga um clássico que passou a gerar alto interesse a partir dos anos 1950 no futebol chileno, e da Universidad Católica, com quem joga o tradicional Clássico Universitário, choque que já produziu 16 confrontos decisivos desde 1909.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Ídolo da história recente de La U, o goleiro Johnny Herrera teve participação decisiva nos títulos conquistados nos últimos anos, tais como, a Copa Sul-Americana de 2011, o Campeonato Apertura 2012, e a Copa Chile 2012-13
CONTINENTAIS
Competição Títulos Temporadas
Troféu Copa Sulamericana.png Copa Sul-Americana 1 2011Cscr-featured.png
NACIONAIS
Competição Títulos Temporadas
Chile Campeonato Chileno 17 1940, 1959, 1962, 1964, 1965, 1967, 1969, 1994, 1995, 1999, 2000, 2004–A, 2009–A, 2011–A, 2011–C, 2012–A, 2014–A
Chile Copa Chile 5 1979, 1998, 2000, 2012–13, 2014-15
Chile Supercopa Chile 1 2015
Chile Copa Francisco Candelori 1 1969
Chile Campeonato Chileno da 2ª Divisão 1 1989
Chile Metropolitano Amador 3 1934Cscr-featured.png, 1968, 1969
Chile Série B 2 1936, 1937

Legenda:

A (Apertura)
C (Clausura)

Distinções
Universidad de Chile ganhou a honra de usar o escudo do Chile nos anos 2004, 2009, 2011 e 2012.
Brasão para o campeão em sua camisa.

Cscr-featured.png Campeão Invicto

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Internacionais[editar | editar código-fonte]

Campanhas Internacionais
Competição Campanha Ano
Copa Libertadores da América Semifinal 1970, 1996, 2010, 2012
Recopa Sul-Americana Vice-campeão 2012
Copa Conmebol Semifinal 1994
Copa Suruga Bank Vice-campeão 2012

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Participações
Participações em 2016
Competição Temporadas Melhor campanha Estreia Última P Aumento R Baixa
Flags of the Union of South American Nations.gif Copa Libertadores da América 21 Semifinal (1970, 1996, 2010 e 2012) 1960 2016
Copa Sul-Americana 6 Campeão (2011) 2005 2013

Elenco e comissão técnica

Soccerball current event.svg Última atualização: 21 de fevereiro de 2016.[3]

Legenda
  • Capitão : Capitão
  • Lesionado : Jogador lesionado/contundido


Goleiros
Jogador
1 Chile Miguel Jiménez
12 Chile Nelson Espinoza
25 Chile Jhonny Herrera Capitão
Defensores
Jogador Pos.
2 Chile Benjamín Vidal Z
4 Chile Osvaldo González Z
14 Chile Nicolás Ramírez Z
18 Chile Gonzalo Jara Z
23 Chile Cristián Suárez Z
5 Uruguai Mathías Corujo LD
16 Argentina Matías Rodríguez LD
3 Argentina Fabián Monzón LE
17 Chile João Ortiz LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
6 Chile Sebastián Martínez V
13 Chile Diego González V
15 Chile Leonardo Valencia V
21 Chile Gonzalo Espinoza V
24 Uruguai Guzmán Pereira V
10 Argentina Luis Fariña M
20 Chile Fabián Carmona M
22 Argentina Gustavo Lorenzetti M
29 Chile Matías Parada M
30 Chile Yerko Leiva M
Atacantes
Jogador
7 Chile Francisco Castro
8 Chile Patricio Rubio
9 Chile Felipe Pinilla
11 Chile Sebastián Ubilla
19 Chile Gustavo Canales
Comissão técnica
Nome Pos.
Argentina Sebastián Beccacece T
Argentina Francisco Meneghini AS
Argentina Nicolás Diez AS
Argentina Marcelo Geralnik PF
Argentina Gustavo Flores TG

Transferências[editar código-fonte]

Torneio Clausura de 2016[editar código-fonte]

Legenda


Jogadores destacados[editar | editar código-fonte]

Farm-Fresh award star gold 2.png Jogadores que, no mundo, só jogaram pelo Club Universidad de Chile

Farm-Fresh award star silver 2.png Jogadores que, no Chile, só jogaram pelo Club Universidad de Chile

Farm-Fresh award star bronze 2.png Jogadores que, em Santiago, só jogaram pelo Club Universidad de Chile

Esta é uma lista de jogadores de destaque que já passaram pela Universidad de Chile:

Treinadores[editar | editar código-fonte]

Esses são os principais treinadores:

Uniformes[editar | editar código-fonte]

Uniformes dos jogadores[editar | editar código-fonte]

  • Uniforme principal: Camisa azul, calção e meias azuis;
  • Uniforme reserva: Camisa branca, calção branco e meias vermelhas.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo uniforme

Uniformes dos goleiros[editar | editar código-fonte]

  • Camisa preta, calção e meias pretas;
  • Camisa verde, calção e meias verdes;
  • Camisa vermelha, calção e meias vermelhas.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'

Uniformes anteriores[editar | editar código-fonte]

  • 2014
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2013
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2011-12
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2010-11
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro
  • 2008-10
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2007-08
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
  • 2006-07
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo

Sedes e estádios[editar | editar código-fonte]

Nacional[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Estádio Nacional de Chile
Acceso ao estádio pela Avenida Grecia.

O Estádio Nacional de Chile (oficialmente chamado de Estádio Jornalista Julio Martínez), que pertence ao Governo do Chile, é o local onde a Universidad de Chile manda suas partidas de futebol. Foi inaugurado em 3 de Dezembro de 1938 pelo Presidente da República Arturo Alessandri Palma, tem capacidade para 55.100 torcedores, localizado em Santiago, capital do Chile. O clube paga aproximadamente US$10 500 pelo aluguel do estádio por cada partida.

Santa Laura[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Estádio Santa Laura

Como estádio alternativo para as partidas locais, a Universidad de Chile utiliza o Estádio Santa Laura, situado na cidade de Santiago, Chile, e de propiedada da Unión Española.

Municipal Francisco Sánchez Rumoroso[editar | editar código-fonte]

Como terceira opção, o clube também utiliza o Estádio Municipal Francisco Sánchez Rumoroso, situado em Coquimbo, Chile, de propiedada municipal, alugado ao Coquimbo Unido.

Novo estádio[editar | editar código-fonte]

Em 2012, se esperava se que o clube construa um estádio de uso próprio na cidade de La Pintana, no sul de Santiago. Este novo estádio teria capacidade para 35.000 torcedores.

Centro Deportivo Azul[editar | editar código-fonte]

Em 2007, com a ajuda da concessionária e antes do término do contrato de empréstimo do Caracol Azul, antigo centro de treinamento da Universidad de Chile, a Azul Azul S.A. contemplou o seu plano de investimentos para construir um campo de treinamento de primeiro nível, tanto para a equipe profissional como para as categorias de base, baseado nas normas internacionais e nos complexos desportivos de clubes europeus como Real Madrid, Chelsea, Liverpool, Bayern de Munique, Ajax, PSV Eindhoven, Everton e da Real Federação Espanhola de Futebol, também baseado nos sul-americanos como São Paulo, Palmeiras, River Plate e da AFA. Assim, em 2009, a concessionária firmou um convênio com a ilustre prefeitura de La Cisterna consistindo em um contrato de arrendamento de um terreno de nove hectares, localizado neste município, para fins de construção deste complexo desportivo, com um investimento total que chegou perto de três milhões de pesos. O prazo da locação do terreno é de 28 anos, renovável por mais 15 anos. Em setembro de 2010, foi inaugurado o Centro Deportivo Azul com as presenças do presidente da Universidad de Chile, Federico Valdés, do presidente do Chile, Sebastián Piñera, do prefeito de La Cisterna e ex-presidentes e figuras relativas ao clube.

Torcida[editar | editar código-fonte]

Diversas pesquisas de opinião pública, classificam a LA "U" como a segunda maior torcida em todo o Chile. Em 2006, o centro de pesquisas Chilescopio fez uma enquente com 1.500 pessoas em todo o Chile, que colocou o clube com 26% da torcida nacional, no mesmo ano. No mesmo ano, o Diário La Tercera, também realizou uma pesquisa a Universidad de Chile com 28% das preferências.

Filiais[editar | editar código-fonte]

Universidad de Chile "B"[editar | editar código-fonte]

Em 1999, a Asociación Nacional de Fútbol Amateur (ANFA) instaurou a opção dos clubes profissionais colocarem um time Sub-23 na Terceira Divisão com o objetivo dos jogadores terem mais experiência e dar maior competitividade na categoria, com a única limitação de que esses times não poderiam disputar o título (e, portanto, subir para a Primera B). O clube aceitou as condições da ANFA, colocando um time Sub-23 na Terceira Divisão no ano de 2004, participando até 2006.

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Após o Apertura de 2006, o clube foi assumido por José Manuel Edwards, que tem o objetivo de saldar a dívida com os credores do clube, e com um projeto visível, a transformação da corporação em uma sociedade anônima, como aconteceu com o Colo-Colo, que está sob a gerência esportiva da Blanco y Negro S.A.
  • Na atualidade a sociedade anônima esta sendo dirigida por José Yuraszeck, ele e a administração de Azul Azul S.A. tomam as decisões esportivas e económicas do clube.

Referências

  1. [1]
  2. Olé Diario Deportivo (13 de junho de 2011). «Uhhhhh de Chile». Olé (em espanhol). ole.com.ar. Consultado em 7 de fevereiro de 2012. 
  3. «Elenco atual de Futebol» (em espanhol). Site oficial do Club Universidad de Chile. Consultado em 10 de janeiro de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Club Universidad de Chile