Cocatrice

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
DragonTransom.jpg

A cocatrice ou cocatriz é um criatura fantástica que, na maioria de suas descrições tem um corpo de um réptil alado com pernas e crista de galo e uma cobra na cauda. Em algumas versões, é dito que a cocatrice possui várias formas, sendo ou um réptil alado, ou uma quimera completa.

Desde a Grécia Antiga, o animal entrava na categoria de seres fantásticos e, na Idade Média, a imagem desse ser se confundiu com a de um basilisco, que antes era uma cobra gigante com uma coroa e uma pluma e depois passou a possuir duas retratações, a de serpente e a de uma criatura metade galinha, metade réptil, ambas possuindo a habilidade de transformar em pedra aquele que fixa o seu olhar ao dele.

Para a heráldica, a cocatrice é vista como um animal semelhante a um dragão com cabeça de galo.

Em Portugal a cocatrice se tornou uma personagem folclórica. Seu nome foi abreviado para coca, e seu papel é bastante semelhante ao Jack Lantern americano, ou à um bicho-papão. Nessa versão do mito, ela mantém seu visual meio réptil meio ave, mas tem algo de humano também, sendo considerada uma bruxa; aparência semelhante também à da cuca, no folclore brasileiro.

Origens[editar | editar código-fonte]

A cocatrice foi descrita pela primeira vez em sua forma atual no século XIV. O Oxford English Dictionary de uma derivação do francês antigo cocatris, pelo latim medieval calcatrix, uma tradução do grego Ichnéumon (Ιχνεύμων), que significa "mangusto", "rastreador", "icnêumone". No século XX a lenda foi baseada numa referência de Naturalis Historia, de Plínio, o Velho em que o Ichneumon aguarda até que o crocodilo abra suas mandíbulas para que o pássaro trochilus entre e limpe os seus dentes.[1][2] Uma descrição mais completa da cocatriz foi dada no século XV pelo viajante espanhol ao Egito, Pedro Tafur, que deixou mais claro que se referia ao crocodilo do Nilo.[3]

Segundo Alexander Neckam em seu livro De naturis rerum (c. 1180), a cocatrice foi produto de um ovo posto por um galo e chocado por um sapo, ou uma cobra (em outras versões) e seu nascimento poderia ser evitado lançando o ovo sobre a casa da família que o tem, caindo do outro lado da casa, sem deixar que o ovo a toque. Cocatriz tornou-se sinônimo de basilisco quando o basiliscus em De proprietatibus rerum de Bartolomeu da Inglaterra (c. 1260) foi traduzido por John Trevisa como "cocatrice" em 1397; entretanto, um basilisco é normalmente representado como uma serpente sem asas.[4]

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

Jogos[editar | editar código-fonte]

  • Em Legend of Mana a cocatriz aparece em alguns lugares como monstro em certas batalhas.
  • Em Valkyrie Profile aparece como um galo gigante que solta chamas que pode petrificar.
  • Em Super Ghouls 'N Ghosts aparece como chefe do primeiro estágio do jogo, podendo botar ovos para gerar filhotes ou esticar seu pescoço para ataques à distância.
  • Em Castlevania: Curse of Darkness é demonstrada como uma ave similar a uma galinha gigante capaz de petrificar com um sopro.
  • Em Castlevania: Aria of Sorrow ela aparece como uma ave com uma cobra na cauda e que pode petrificar.
  • Em Final Fantasy VIII aparece como uma ave/besta, geralmente nos cenários de florestas, perto da Garden Balamb.
  • Em Final Fantasy XII aparece em sua forma original, no deserto de Dalmasca.
  • Em Tactics Ogre a cocatrice aparece na sua forma original, em várias fases.
  • Em Persona 2: Eternal Punishment aparece como um inimigo fraco na forma de uma galinha avermelhada gigante.
  • Em The Witcher aparece na sua forma original, nos esgotos de Vizima.
  • Em The Witcher 3: Wild Hunt, cocatrices podem ser encontradas no mundo do game, que é retratado como uma espécie de serpe, pouco maior que um cavalo. Além dos basiliscos também podem ser encontradas serpes, grifos e basiliscos no game.
  • Em Dragon's Dogma aparece como uma criatura quadrúpede e alada que arrota um gás petrificante, parece um grifo com cabeça de galo e penas escuras

Séries de animação[editar | editar código-fonte]

  • Em Hércules a cocatriz mostra-se como uma galinha gigante.
  • No anime Digimon, Cockatrimon é retratado como uma cocatriz que não sabe voar, tem olhar petrificante e é capitão de um navio que se move nas areias do deserto do Digimundo.
  • Na série My Little Pony: Friendship is Magic aparece com nome de Basilisco e é domado por um pégaso.

Outros[editar | editar código-fonte]

  • No programa de criação de jogos RPG Maker XP a cocatriz aparece como uma ave, na aba "Inimigos".

Referências

  1. Naturalis Historia viii.37.90.
  2. Breiner 1979.
  3. Pedro Tafur, Andanças e viajes.
  4. Breiner 1979:35.