Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Colégio Aplicação)


Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação
CEPAE
Informação
Localização Goiânia,
Tipo de instituição pública
Fundação 1966 (55 anos)
Abertura 1968 (53 anos)
Cursos oferecidos educação infantil, ensino fundamental, ensino médio, Mestrado em Ensino na Educação Básica
Diretor(a) Alcir Horácio da Silva
Número de estudantes 800, dos quais:
80 na educação infantil
300 no ensino fundamental I
240 no ensino fundamental II
180 no ensino médio
Quadras 3
Página oficial
cepae.ufg.br

O Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação (CEPAE) é uma unidade acadêmica da Universidade Federal de Goiás (UFG), localizada no câmpus Samambaia, na Regional Goiânia, que oferta educação básica em todos os níveis, além de cursos de pós-graduação lato e stricto sensu. É um dos colégios de aplicação existentes em universidades federais, no Brasil.

Visão Geral[editar | editar código-fonte]

O ingresso na educação básica é realizado por meio de sorteio universal, regulado por edital publicado anualmente.

De acordo com seu regimento[1], o CEPAE tem as seguintes finalidades:

  • Realizar experiências pedagógicas, mediante projetos de ensino, pesquisa e extensão próprios e/ou integrados às Unidades Acadêmicas ou Unidades Acadêmicas Especiais da UFG;
  • Ser o principal campo de estágio e práticas de ensino para os cursos de Licenciatura e áreas afins da UFG;
  • Promover a Educação Básica, com o objetivo declarado de obter maior envolvimento, solidariedade e compromisso de todos os segmentos da comunidade escolar e da sociedade com a democratização e qualidade de ensino;
  • Possibilitar a oferta de disciplinas de Núcleo Livre, conforme as normas da UFG, visando colaborar com a formação de estudantes de graduação da UFG;
  • Ministrar cursos e/ou participar efetivamente de projetos voltados para a qualificação de docentes da Educação Básica da rede de ensino público e particular do Estado de Goiás;
  • Proporcionar a oportunidade de formação continuada em ensino na Educação Básica a licenciados e profissionais atuantes na Educação Básica, oferecendo cursos de pós-graduação lato sensu e stricto sensu;
  • Contribuir para a elaboração e acompanhamento de políticas públicas para a Educação Básica do Estado de Goiás e do país.

História do colégio[editar | editar código-fonte]

O Colégio de Aplicação foi criado em 12 de março de 1966, e suas atividades tiveram início em março de 1968, no prédio da Faculdade de Educação/UFG. No bojo da Reforma Universitária ocorrida em 1968, o Colégio de Aplicação foi agregado à Faculdade de Educação constituindo-se em órgão suplementar[2].

À época tinha como objetivos: Constituir-se em laboratório experimental de técnicas e processos didáticos, visando ao aprimoramento da metodologia de ensino; Constituir-se em escola experimental para novos cursos previstos na legislação vigente, bem como para cursos com currículos, métodos e períodos escolares próprios, ajustando-se estes, para fins de validade, às exigências legais; Servir como campo de estágio supervisionado para a Licenciatura e para as habilitações do curso de Pedagogia; O corpo docente do então, Colégio de Aplicação/FE/UFG era constituído por professores da carreira de 1.º e 2.º graus, existindo professores da Faculdade de Educação que também atuavam neste nível de ensino.

A partir de 1981, fruto de uma reivindicação de greve, os professores de 1º e 2º graus foram reclassificados para a carreira de magistério superior. Atualmente é o único colégio de aplicação do país com professores na mencionada carreira, sendo os professores dos demais colégios pertencentes à carreira do Magistério de Educação Básica, Técnica e Tecnológica (EBTT).

Em 1982 foi criado do Departamento de Estudos Aplicados à Educação da Faculdade de Educação/UFG, composto pelos membros do Colégio de Aplicação, funcionando desta forma até março de 1994, quando foi criado o Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação (CEPAE), através da portaria n.º 0063, do Magnífico Reitor.

Em 2012, foi criado o Programa de Mestrado Profissional em Ensino na Educação Básica (PPGEEB) que tem o intuito de qualificar professores do Ensino Básico, levando-os a investigar o cotidiano de sala de aula, as demandas teórico-metodológicas que envolvem o ensino-aprendizagem, bem como refletir e propor intervenções sobre essa prática pedagógica. Nesse sentido, os professores tornam-se pesquisadores em sala de aula, estabelecendo relações críticas que fomentem a melhoria da educação básica no Estado de Goiás e adjacências[3].

Educação especial e inclusiva[editar | editar código-fonte]

O projeto de Educação Inclusiva do CEPAE/SINACE/UFG tem por objetivo assegurar aos educandos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento, altas habilidades/ superdotação, transtornos funcionais específicos e outras necessidades educacionais, uma educação que promova o desempenho escolar e social por meio de um trabalho didático inclusivo, com metodologias diversificadas e uma mediação pedagógica que respeite as singularidades de cada um, sem qualquer distinção.

O projeto está vinculado ao Sistema Integrado de Núcleos de Acessibilidade da UFG que se propõe a viabilizar uma educação superior inclusiva aos estudantes com deficiência física, visual, auditiva e intelectual, por meio da eliminação/minimização de barreiras atitudinais, arquitetônicas, pedagógicas, informacionais e comunicacionais.

O atendimento educacional especializado no CEPAE é articulado pela Comissão de Educação Inclusiva que busca promover ações educativas inclusivas em todas as modalidades de ensino do CEPAE, com orientações ao corpo docente, discente, monitores, estagiários e bolsistas que acompanham os estudantes no seu desempenho escolar.

Revista Polyphonía[editar | editar código-fonte]

A Revista Polyphonia, antigamente denominada Solta a Voz, é uma publicação semestral do CEPAE/UFG, cujo propósito é divulgar trabalhos relacionados à Educação Básica. Organizada em três seções, a Revista traz um dossiê composto de trabalhos que discutem determinado tema, na forma de artigos, resenhas e entrevistas, além de um conjunto diversificado de artigos[3].

Referências

  1. «RESOLUÇÃO - CONSUNI Nº 32/2014» (PDF). Universidade Federal de Goiás. 29 de agosto de 2014. Consultado em 15 de abril de 2020 
  2. Varizo, Zaira da Cunha Melo (2010). «De Colégio de Aplicação a Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada à Educação: uma trajetória». Polyphonía. Consultado em 14 de abril de 2020 
  3. a b «Projeto Político-Pedagógico do CEPAE/UFG» (PDF). Consultado em 16 de abril de 2020