Colégio dos Padres Jesuítas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Colégio dos Padres Jesuítas foi um educandário católico do Rio de Janeiro colonial, pertencente à Companhia de Jesus. Em 1567, quando da expulsão definitiva dos franceses da região da Baía de Guanabara, o arraial fundado em 1565 por Estácio de Sá no sopé do Morro Cara de Cão foi transferido para o alto do Morro do Castelo, cuja posição estratégica possibilitava um controle maior sobre o território. No novo arraial de São Sebastião do Rio de Janeiro, o Padre Manuel da Nóbrega, líder da primeira missão jesuítica a chegar à América, funda o Colégio dos Padres Jesuítas, voltado sobretudo para a catequese dos índios nativos.

Com a expulsão dos Jesuítas do Império Português pelo Marquês de Pombal em 1759, as instalações do colégio passam a abrigar o Hospital Militar da Corte.

Em 1922, para abrir espaço para a montagem da Exposição Comemorativa do Centenário da Independência do Brasil, o Morro do Castelo é arrasado e o antigo prédio do colégio e sua igreja foram demolidos. Os elementos remanescentes do antigo colégio do Morro do Castelo, estão hoje no Colégio Santo Inácio, no bairro de Botafogo, Zona Sul da cidade, instituição herdeira direta do legado jesuíta no Rio de Janeiro.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Colégio Santo Inácio

Ícone de esboço Este artigo sobre escolas ou colégios é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.