Coleção de armas africanas do Museu Nacional

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Armas africanas, em registro de 2015.

A Coleção de armas africanas do Museu Nacional é uma das coleções em exposição no Museu Nacional, no Rio de Janeiro. Reúne objetos de guerra, principalmente de guerra colonial, provenientes da África, como machados e lanças. Os objetos expostos na coleção estavam normalmente em exposição na Sala Kumbukumbu.[1][2]

São destaque da coleção armas de punho e propulsão, como um machado ceremonial coletado na região do Rio Zambeze, no século XIX. Essas armas indicam o controle da metalurgia, além de carregarem elementos simbólicos de poder e dominação. A maior parte dessas armas, numa mesma vitrine na sala do museu, é originária de povos bantos, no sul da África, do século XIX.[1][3]

Sobre a coleção foi dito:[1]

Os objetos expostos, colocados sob a categoria armas, nos convidam a pensar nestas peças como portadoras de histórias de poder no contexto de sociedades africanas: o poder do homem frente a outro homem, frente à terra ou a animais. [...] As “armas” – instrumentos de significação social e cultural – foram coletadas, confiscadas ou retiradas de seus povos originais durante a exploração europeia do continente africano, e sofreram um processo de ressignificação enquanto objetos que explicitam essa dominação. A arma do africano colonizado é reinventada pelo seu colonizador. Ela deixa de ser símbolo de bravura, coragem e resistência para se tornar uma representação da inferioridade do vencido; ela deixa de falar, para calar. Ela é calada. Passa a ser uma peça (“primitiva”) de contemplação, resultado da dominação hegemônica europeia.

Esta coleção foi destruída no incêndio de 2018 no Museu Nacional.[4]

Galeria[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Coleção de armas africanas do Museu Nacional

Referências

  1. a b c Conhecendo a exposição Kumbukumbu do Museu Nacional / Mariza de Carvalho Soares, Michele de Barcelos Agostinho, Rachel Correa Lima. -- Rio de Janeiro: Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2016. 152 p. : il. color, mapas, retrs. ; 21 cm. – (Série Livros Digital; 4) ISBN 978-85-7427-058-6.
  2. «A guerra colonial - Etnologia | Museu Nacional - UFRJ». www.museunacional.ufrj.br. Consultado em 30 de setembro de 2018 
  3. SOARES, Mariza de Carvalho e LIMA, Rachel Correa. “A Africana do Museu Nacional: história e museologia”. In: Camilla Agostini (org.) Objetos da escravidão. Abordagens da cultura material da escravidão e seu legado. Rio de Janeiro: Sette Letras. 2013.
  4. «Nos roubaram uma segunda vez: sobre as cinzas do Museu Nacional». Alma Preta