Colecalciferol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Colecalciferol
Alerta sobre risco à saúde
Cholecalciferol.svg Cholecalciferol-vitamin-D3-from-xtal-3D-sticks.png
Nome IUPAC (3β,5Z,7E)-9,10-secocholesta-
5,7,10(19)-trien-3-ol
Outros nomes vitamina , 7-dehidrocolesterol ativado.
Identificadores
Número CAS 67-97-0
Número EINECS 200-673-2
ChemSpider 9058792
SMILES
InChI
1/C27H44O/c1-19(2)8-6-9-21(4)25-15-16-26-22
(10-7-17-27(25,26)5)12-13-23-18-24(28)14-11
-20(23)3/h12-13,19,21,24-26,28H,3,6-11,14-18
H2,1-2,4-5H3/b22-12+,23-13-/t21-,24+,25-,26?,
27-/m1/s1
Propriedades
Fórmula molecular
Massa molar 384.64 g/mol
Aparência Branco, cristais em forma de agulha
Ponto de fusão

83–86 °C

Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Colecalciferol, também denominado vitamina D3, é um tipo de vitamina D produzido pela pele quando exposta ao sol, estando também presente em alguns alimentos e disponível como suplemento alimentar.[1] É usado no tratamento e prevenção de deficiência de vitamina D e doenças associadas, como o raquitismo.[2][3] É também usado no tratamento de hipofosfatemia familiar, hipoparatiroidismo que esteja a causar hipocalcemia e síndrome de Fanconi.[3][4] Os suplementos de vitamina D podem não ser eficazes em pessoas com doenças renais graves.[5] É geralmente administrado por via oral.[4]

Em doses excessivas pode causar vómitos, obstipação, fraqueza, confusão[6] e pedras nos rins.[5] Em doses superiores a 40 000 IU (1000 μg) por dia pode causar hipercalcemia.[7] Em doses normais de 800–2000 IU por dia é seguro durante a gravidez.[6]

O colecalciferol é produzido na pele em resultado da exposição à radiação ultravioleta.[8] É convertido no fígado em calcifediol (25-hidroxivitamina D), que é depois convertido no rim em calcitriol (1,25-dihidroxivitamina D).[8] Um dos seus efeitos é aumentar a absorção de cálcio pelos intestinos.[6] Pode ainda ser encontrado em alimentos como peixe, fígado de vaca, ovos e queijo.[9][10] Em alguns países, alguns alimentos podem ser enriquecidos com colecalciferol, como o leite, sumos de fruta, iogurte e margarina.[9][10]

O colecalciferol foi descrito pela primeira vez em 1936.[11] Faz parte da Lista de Medicamentos Essenciais da Organização Mundial de Saúde, uma lista com os medicamentos mais seguros e eficazes imprescindíveis num sistema de saúde.[12] O colecalciferol está disponível como medicamento genérico.[4] O colecalciferol é também usado em doses muito mais elevadas para matar roedores.[13][14]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Coulston AM, Boushey C, Ferruzzi M (2013). Nutrition in the Prevention and Treatment of Disease. [S.l.]: Academic Press. p. 818. ISBN 9780123918840. Consultado em 29 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 30 de dezembro de 2016 
  2. British national formulary : BNF 69 69 ed. [S.l.]: British Medical Association. 2015. pp. 703–704. ISBN 9780857111562 
  3. a b World Health Organization (2009). Stuart MC, Kouimtzi M, Hill SR, eds. WHO Model Formulary 2008. [S.l.]: World Health Organization. ISBN 9789241547659. hdl:10665/44053 
  4. a b c Hamilton R (2015). Tarascon Pocket Pharmacopoeia 2015 Deluxe Lab-Coat Edition. [S.l.]: Jones & Bartlett Learning. p. 231. ISBN 9781284057560 
  5. a b «Aviticol 1 000 IU Capsules - Summary of Product Characteristics (SPC) - (eMC)». www.medicines.org.uk. Consultado em 29 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 30 de dezembro de 2016 
  6. a b c «Cholecalciferol (Professional Patient Advice) - Drugs.com». www.drugs.com. Consultado em 29 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 30 de dezembro de 2016 
  7. Vieth R (maio de 1999). «Vitamin D supplementation, 25-hydroxyvitamin D concentrations, and safety» (PDF). The American Journal of Clinical Nutrition. 69 (5): 842–56. PMID 10232622. doi:10.1093/ajcn/69.5.842 
  8. a b Norman AW (agosto de 2008). «From vitamin D to hormone D: fundamentals of the vitamin D endocrine system essential for good health». The American Journal of Clinical Nutrition. 88 (2): 491S–499S. PMID 18689389. doi:10.1093/ajcn/88.2.491S 
  9. a b «Office of Dietary Supplements - Vitamin D». ods.od.nih.gov. 11 de fevereiro de 2016. Consultado em 30 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 31 de dezembro de 2016 
  10. a b Institute of Medicine (US) Committee to Review Dietary Reference Intakes for Vitamin D and, Calcium; Ross, AC; Taylor, CL; Yaktine, AL; Del Valle, HB (2011). (PDF). PMID 21796828. doi:10.17226/13050 https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK56070/pdf/Bookshelf_NBK56070.pdf  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  11. Fischer J, Ganellin CR (2006). Analogue-based Drug Discovery (em inglês). [S.l.]: John Wiley & Sons. p. 451. ISBN 9783527607495. Consultado em 29 de dezembro de 2016. Cópia arquivada em 30 de dezembro de 2016 
  12. World Health Organization (2019). World Health Organization model list of essential medicines: 21st list 2019. Geneva: World Health Organization. hdl:10665/325771. WHO/MVP/EMP/IAU/2019.06. License: CC BY-NC-SA 3.0 IGO 
  13. «Merck Veterinary Manual - Rodenticide Poisoning: Introduction». Cópia arquivada em 17 de janeiro de 2007 
  14. Rizor, Suzanne E.; Arjo, Wendy M.; Bulkin, Stephan; Nolte, Dale L. Efficacy of Cholecalciferol Baits for Pocket Gopher Control and Possible Effects on Non-Target Rodents in Pacific Northwest Forests. Vertebrate Pest Conference (2006). USDA. Consultado em 27 de agosto de 2019. Cópia arquivada em 14 de setembro de 2012. 0.15% cholecalciferol bait appears to have application for pocket gopher control.' Cholecalciferol can be a single high-dose toxicant or a cumulative multiple low-dose toxicant. 
Ícone de esboço Este artigo sobre Bioquímica é um esboço relacionado ao Projeto Química. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.