Colisão com Nibiru

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
V838 Monocerotis, uma estrela variável acompanhada por um eco de luz, foi erroneamente retratada como um objeto planetário se aproximando em rota de colisão com a Terra.[1]

A Colisão com Nibiru é um suposto encontro desastroso entre a Terra e um grande objeto planetário, que certos grupos acreditam que vai ter lugar no início do século 21. Acreditando que este evento será o fim do mundo, geralmente se referem a esse objeto como Planeta X ou Nibiru . A ideia de que um objeto do tamanho de um planeta irá colidir ou intimamente passar pela Terra em um futuro próximo não é suportado por qualquer prova científica e foi rejeitada como pseudociência e boatos pela internet por astrônomos e cientistas planetários.[2][3]

A ideia foi apresentada pela primeira vez em 1995 por Nancy Lieder,[4][5] fundadora do site ZetaTalk. Lieder se descreve como uma contatada com a capacidade de receber mensagens de extraterrestres do sistema estelar Zeta Reticuli através de um implante em seu cérebro. Ela afirma que foi escolhida para prevenir a humanidade de que o objeto iria varrer o interior do Sistema Solar, em Maio de 2003 (embora essa data foi posteriormente adiada), fazendo com que a Terra sofra uma mudança do pólo físico que iria destruir a maior parte da humanidade.[6] A previsão posteriormente espalhou-se para além do site de Lieder e foi abraçada por numerosos grupos apocalípticos da internet, a maioria dos quais ligados ao evento Fenômeno 2012. Desde 2012, a colisão com Nibiru tem frequentemente aparecido na mídia popular; geralmente ligados a notícias de objetos astronômicos como o C/2012 S1, Planeta Nove ou o exoplaneta OGLE-2016-BLG-1190Lb (https://ciberia.com.br/descoberto-objecto-misterioso-no-coracao-da-galaxia-demasiado-grande-para-ser-um-planeta-28478). Embora o nome "Nibiru" é derivado das obras do antigo escritor astronauta Zecharia Sitchin e suas interpretações de babilônico e da mitologia suméria, ele negou qualquer ligação entre seu trabalho e as várias reivindicações de um apocalipse.

Origem[editar | editar código-fonte]

Nancy Lieder

A ideia de colisão de Nibiru originou-se com Nancy Lieder, uma mulher de Wisconsin, que alega que quando menina, ela foi contactada por extraterrestres cinzas chamados Zetas, que implantou um dispositivo de comunicação em seu cérebro. Em 1995, ela fundou o site ZetaTalk para disseminar suas idéias.[7] Lieder recebeu pela primeira vez a atenção do público de grupo de notícias da Internet, durante a preparação para o periélio de Hale-Bopp em 1997. Ela afirmou, alegando ter falado com os Zetas,[8] que "O cometa Hale-Bopp não existe. É uma fraude, cometida por aqueles que têm grandes massas quiescentes até que seja tarde demais. Hale-Bopp é nada mais do que uma estrela distante, e não há nada mais perto à fazer do que apenas desenha-lo".[9]  Ela alegou que a história de Hale-Bopp foi criada para distrair as pessoas da chegada iminente de um grande objeto planetário,"Planeta X", que logo passaria pela Terra e destruir a civilização.[9] Após o periélio de Hale-Bopp ter se revelado como um dos cometas mais brilhantes e um dos maiores cometas observados do século passado,[10] Lieder removeu as duas primeiras frases de sua declaração inicial, embora elas ainda podem ser encontradas nos arquivos do Google.[9] Suas reivindicações, eventualmente, aparece no New York Times.[11]

Lieder descreveu o Planeta X como aproximadamente quatro vezes o tamanho da Terra, e disse que sua maior aproximação ocorreria em 27 de maio de 2003, resultando a rotação terrestre cessando por exatamente 5,9 dias terrestres. Isso seria seguido por uma desestabilização do pólo da Terra em uma mudança de pólos (Uma mudança física do pólo, com o pólo da Terra fisicamente em movimento, em vez de uma inversão geomagnética) causada pela atração magnética entre o núcleo da Terra e do magnetismo que passa pelo planeta. Este, por sua vez iria perturbar núcleo magnético da Terra e levar ao deslocamento posterior da crosta Terrestre.[12]

Depois de Lieder, a primeira pessoa que propagou sua ideia do "Planeta X", foi Mark Hazlewood, um ex-membro da comunidade ZetaTalk, que em 2001 publicou um livro intitulado Blindsided: Planet X Passes in 2003. Lieder viria a acusá-lo de ser um vigarista.[13] Um culto japonês chamado "Wave Laboratory Pana", que bloquearam estradas e rios com panos brancos para se proteger de ataques eletromagnéticos, também advertiu que o mundo acabaria maio de 2003, após a aproximação de um décimo planeta.[14]

Cerca de uma semana antes da supostamente chegada do Planeta X, em maio de 2003, Lieder apareceu na rádio KROQ-FM em Los Angeles, e aconselhou os ouvintes a sacrificar seus animais de estimação em antecipação ao evento, como ela havia feito. Isto levou a Fortean Times a concluir que ela tinha matado seu cão para salvá-lo de mais sofrimento durante o deslocamento polar.[15] Mais tarde, em uma entrevista em 2004, ela disse que tinha sacrificado seu cão, porque ele estava agindo de forma agressiva.[16] Após a data de 2003 ter passado sem incidentes, Lieder disse que era apenas uma "mentira branca ... para enganar o establishment."[17] Ela se recusou a divulgar a data verdade, dizendo que se assim fizesse, daria a quem está no poder, tempo suficiente para declarar a lei marcial e aprisionar as pessoas das cidades durante o deslocamento, levando à morte.[18] Embora Lieder não tenha especificado uma nova data para a volta do objeto, muitos grupos assumiram sua idéia e citou suas próprias datas. Uma data frequentemente citada era 21 de dezembro de 2012. Esta data tinha muitas associações apocalípticas, como foi o fim de um ciclo (baktun) na contagem de tempo no calendário maia. Vários escritores publicaram livros que ligam a colisão em 2012.[19] Apesar dessa data ter passado, muitos sites ainda afirmam que Nibiru/Planeta X está a caminho da Terra.[20]

Em 2012, Lieder afirmou que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, inutilmente tentou anunciar a presença de Nibiru perto do sol.[21] Depois de 2012, ela afirmou que vários líderes mundiais tinham a intenção de anunciar a presença de Nibiru perto do sol em 20 de outubro de 2014. Duas semanas depois da suposta data do anúncio, ela alegou que não ocorreu por causa do temor dos estados.[22] Uma nova data de colisão foi prevista para 23 de Setembro de 2017.

Rejeição científica[editar | editar código-fonte]

Astrônomos rejeitam a ideia de Nibiru, e fizeram esforços para informar ao público de que não há nenhuma ameaça para a Terra.[23] Eles apontam que tal objeto tão perto da Terra seria facilmente visível a olho nu. Um planeta como Nibiru criaria efeitos visíveis nas órbitas dos planetas exteriores.[24] Alguns são contra isso, afirmando que o objeto foi escondido atrás do Sol durante vários anos, mas isso seria geometricamente impossível.[25]

Referências

  1. «Pictures: 2012 Doomsday Myths Debunked». National Geographic News. 6 de Novembro de 2009. Consultado em 25 de julho de 2016 
  2. Govert Schilling. The Hunt For Planet X: New Worlds and the Fate of Pluto. [S.l.]: Copernicus Books. p. 111. ISBN 0-387-77804-7 
  3. «Beyond 2012: Why the World Didn't End». NASA. Consultado em 25 de julho de 2016 
  4. Marcelo Gleiser (2012). «A Guarantee: The World Will Not End On Friday». National Public Radio. Consultado em 25 de julho de 2016 
  5. «Scientists reject impending Nibiru-Earth collision». NASA. Consultado em 25 de julho de 2016 
  6. Nancy Lieder. «Nancy Lieder's biography». zetatalk.com. Consultado em 25 de julho de 2016 
  7. Nancy Lieder (2009). «zetatalk». Consultado em 25 de julho de 2016 
  8. Nancy Lieder (1995). «ZetaTalk Hale-Bopp». Consultado em 25 de julho de 2016 
  9. a b c Phil Plait. «The Planet X Saga: Nancy Lieder». badastronomy.com. Consultado em 25 de julho de 2016 
  10. Kidger, M.R.; Hurst, G; James, N. (2004). «The Visual Light Curve Of C/1995 O1 (Hale-Bopp) From Discovery To Late 1997». Earth, Moon, and Planets. 78 (1–3): 169–177. Bibcode:1997EM&P...78..169K. doi:10.1023/A:1006228113533 
  11. George Johnson (28 de março de 1997). «Comets Breed Fear, Fascination and websites». The New York Times. Consultado em 25 de julho de 2016 
  12. Nancy Lieder. «Pole Shift Date of May 27, 2003». zetatalk.com. Consultado em 25 de julho de 2016 
  13. «Mark Hazlewood Scam». Zetatalk. Consultado em 25 de julho de 2016 
  14. Steve Herman (2003). «Pana Wave Cult Raises Concern Among Japanese Authorities». Voice of America. Consultado em 25 de julho de 2016 
  15. Mark Pilkington (2003). «Planet Waves». Fortean Times. Consultado em 25 de julho de 2016. Arquivado do original em 5 de outubro de 2014 
  16. «Wake Up USA interview». 2004 
  17. «Pole Shift in 2003 Date». zetatalk. 2003. Consultado em 25 de julho de 2016 
  18. «ZetaTalk: White Lie». zetatalk.com. 2003. Consultado em 25 de julho de 2016 
  19. David Morrison. «Update on the Nibiru 2012 'Doomsday'». Skeptical Inquirer. Consultado em 25 de julho de 2016 
  20. David Dickenson (2013). «"Debunking Comet ISON Conspiracy Theories (No, ISON is Not Nibiru)"». Universe Today. Consultado em 25 de julho de 2016 
  21. Nancy Lieder (2012). «ZetaTalk Newsletter». Consultado em 25 de julho de 2016 
  22. Nancy Lieder (2014). «ZetaTalk Newsletter». Consultado em 25 de julho de 2016 
  23. Richard A. Kerr (19 de agosto de 2011). «Into the Stretch for Science's Point Man on Doomsday». Science. 333 (6045): 928–9. Bibcode:2011Sci...333..928K. PMID 21852465. doi:10.1126/science.333.6045.928 
  24. Phil Plait (2003). «The Planet X Saga: Science». badastronomy.com. Consultado em 25 de julho de 2016  (this page relates to the initial supposed 2003 arrival, but holds just as well for 2012)
  25. David Morrison. «Update on the Nibiru 2012 "Doomsday"». Skeptical Inquirer. Consultado em 25 de julho de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]