Comédia da Vida Privada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A Comédia da Vida Privada
Informação geral
Formato
Gênero Humor
Duração 45 minutos
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Guel Arraes
Elenco Marco Nanini
Pedro Cardoso
Fernanda Torres
Marieta Severo
Daniel Dantas
Giulia Gam
Diogo Vilela
Andréa Beltrão
Luiz Fernando Guimarães
Cláudia Abreu
Débora Bloch
Laura Cardoso
entre outros.
Exibição
Emissora de televisão original Rede Globo
Transmissão original 25 de abril de 199526 de agosto de 1997
N.º de temporadas 3
N.º de episódios 21 (lista de episódios)

A Comédia da Vida Privada é uma série de televisão brasileira transmitida pela Rede Globo entre 25 de abril de 1995 a 26 de agosto de 1997, totalizando 21 episódios. Era exibida na faixa da Terça Nobre, ou seja, sempre as terças-feiras, uma vez por mês, em três temporadas, no horário das 22h05, com duração de aproximadamente 45 minutos cada episódio[1][2].

Escrita por Jorge Furtado, Pedro Cardoso, Guel Arraes e Luis Fernando Verissimo, teve direção de artística de Jorge Furtado, Fernando Meirelles, Mauro Mendonça Filho, Guel Arraes e Roberto Talma; com direção de produção de Marcelo Paranhos e Carlos Henrique de Cerqueira Leite. Tinha como enredo histórias do cotidiano de pessoas da classe média brasileira.

Em junho de 2004, a série foi lançada em DVD pela Globo Vídeo[3].

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Antes da série, foi feito um episódio piloto exibido em 23 de agosto de 1994. Com o sucesso, tanto de audiência quanto de crítica, houve a continuidade do programa, sempre sob a direção geral de Guel Arraes.

O Programa[editar | editar código-fonte]

As histórias narradas eram baseadas em crônicas de Luis Fernando Verissimo publicadas na revista Domingo, no Jornal do Brasil, e no jornal gaúcho Zero Hora. Em 1994, estas crônicas tinham sido reunidas no livro Comédias da Vida Privada, que ficou meses nas listas dos mais vendidos.

A primeira temporada teve sete episódios a partir de 30 crônicas. Cada episódio juntava trechos de textos diferentes, adaptados para criar histórias simples, com poucos personagens e cenários. Nem todas tinham um enredo linear; com início, meio e fim. Muitas eram formadas por uma sequência de esquetes, que tinham em comum a proposta de fazer humor "com as coisas corriqueiras da vida". O foco era sempre a classe média urbana.

Segundo o diretor Guel Arraes, o programa exigia um cuidado prévio com o texto, que levava muito mais tempo para ser escrito que a média dos roteiros de novelas e seriados. Por outro lado, a gravação podia levar apenas dois dias. Para ele, a sofisticação estava no roteiro, não na produção. No início, quase todo o texto era adaptado das crônicas de Luis Fernando Verissimo e, depois, o próprio escritor passou a fazer novos textos exclusivamente para o programa. Na última temporada, porém, os argumentos eram originais, criados pela equipe de autores.

O elenco não era fixo, mas muitos atores eram escalados recorrentemente. Marco Nanini foi o que teve maior presença na série: participou de dez, dos 21, episódios. Atrás dele vem Pedro Cardoso, que esteve em sete. Outros atores que atuaram no Comédia foram: Fernanda Torres, Marieta Severo, Diogo Vilela, Giulia Gam, Daniel Dantas e Andréa Beltrão.

Muitos autores, atores e diretores começaram a trabalhar juntos a partir do programa. Além da parceria entre Guel Arraes com o roteirista Jorge Furtado (com quem faria Luna Caliente) e com os dramaturgos Adriana Falcão e João Falcão (com quem faria A Máquina), a série também marcou início da parceria do diretor com o ator Selton Mello, que se repetiria ainda em O Auto da Compadecida (1999) e Caramuru - A Invenção do Brasil (2001). Para o casal Falcão, foi o começo da relação com Marieta Severo e Andréa Beltrão, que levou à peça e ao filme A Dona da História.

A equipe do programa colaborava diretamente na composição dos personagens, dando sugestões e especulando sobre os gostos, o caráter, o temperamento, o estilo de vestir e outros detalhes de cada um. A apresentação dos textos era seguida de duas reuniões dinâmicas em grupo, a fim de que houvesse um compartilhamento seguido de uma junção de ideias, para trazer à tona as mesmas, já que o forte do programa era a representação da "vida privada".

A série recebeu alguns prêmios, entre eles: em dezembro de 1995, o Grande Prêmio da Crítica da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA); e no ano seguinte, foi eleita como o Melhor Programa de Séries e Seriados pela agência TV Press.

Um pacote com 13 episódios foi comercializado no exterior sob o nome em inglês A Comedy of Private Lives, em países como a República Tcheca, Eslováquia, Lituânia, Turquia, Chile, Canadá, França e Angola. Atualmente está sendo exibido na TV Globo Portugal e pela Globo Internacional.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator Participação
Marco Nanini 10 episódios
Pedro Cardoso 7 episódios
Fernanda Torres 5 episódios
Marieta Severo 4 episódios
Daniel Dantas 4 episódios
Giulia Gam 4 episódios
Diogo Vilela 4 episódios
Andréa Beltrão 4 episódios
Luiz Fernando Guimarães 3 episódios
Cláudia Abreu 3 episódios
Débora Bloch 3 episódios
Laura Cardoso 3 episódios
Ernani Moraes 2 episódios
Murilo Benício 2 episódios
Fernanda Montenegro 2 episódios
Paulo Betti 2 episódios
Louise Cardoso 2 episódios
Enrique Diaz 2 episódios
Patrícia Perrone 2 episódios
Bruno Garcia 2 episódios
Dirce Migliaccio 2 episódios
Luana Piovani 2 episódios
Selton Mello 2 episódios
Fábio Assunção 2 episódios
Sérgio Mamberti 2 episódios
Matheus Nachtergaele 2 episódios
Alexandre Borges 1 episódio
Cláudia Raia 1 episódio
Antônio Fagundes 1 episódio
Milla Christie 1 episódio
Eliane Giardini 1 episódio
Marisa Orth 1 episódio
Adriana Esteves 1 episódio
Marcos Palmeira 1 episódio
Alessandra Negrini 1 episódio
Betty Gofman 1 episódio
Rogério Cardoso 1 episódio
Tuca Andrada 1 episódio
Rodolfo Bottino 1 episódio
Bianca Byington 1 episódio
Malu Mader 1 episódio
Maria Luísa Mendonça 1 episódio
Rodrigo Santoro 1 episódio
Edson Celulari 1 episódio
Cecília Dassi 1 episódio
Sílvia Buarque 1 episódio
Carla Marins 1 episódio
Francisco Cuoco 1 episódio
Fernanda Lobo 1 episódio
José Vitor Castiel 1 episódio
Ary França 1 episódio

Episódios[editar | editar código-fonte]

Reprises[editar | editar código-fonte]

Foi reprisada pelo Canal Viva em três ocasiões: a partir de 18 de maio de 2010[4]; entre 21 de janeiro e 10 de junho de 2013, substituindo o Muvuca[5]; e entre 10 de junho e 28 de outubro de 2015[6].

Referências

  1. «"Comédia da Vida Privada" é um "TV Pirata" melhorado». Folha de S.Paulo. 30 de abril de 1995. Consultado em 29 de novembro de 2016 
  2. «'Brasil Legal' e 'Comédia' perdem espaço em 98». Folha Ilustrada. 13 de agosto de 1997. Consultado em 29 de novembro de 2016 
  3. «"Comédia da Vida Privada" chega ao DVD». Estadão. 7 de junho de 2004. Consultado em 29 de novembro de 2016 
  4. «Os bons tempos estão de volta no Canal Viva». Click RBS. 19 de maio de 2010. Consultado em 29 de novembro de 2016 
  5. «Canal Viva reprisará Comédia da vida privada». IG. 18 de janeiro de 2013. Consultado em 29 de novembro de 2016 
  6. «Sucesso nos anos 1990, A Comédia da Vida Privada volta a ser exibida no Canal Viva». Diário de Pernambuco. 9 de junho de 2015. Consultado em 29 de novembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Televisão no Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.