Combo Rangers

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Combo Rangers
Combo Rangers.jpeg
Os personagens principais a partir da fase Revolution: (em cima) Tati, Luke e Lisa, (em baixo) Ken, Fox e Kiko
País de origem  Brasil
Editora(s) Editora JBC, Panini Comics
Formato de publicação Formatinho (JBC)[1]
Formato Econômico "15x24,5 cm" (Panini)[2]
Formato Americano (JBC e Panini)[3][4]
Encadernação panfleto
Lançada em 1998
Gênero(s) aventura, humor, super sentai
Autor(es) Fábio Yabu
Periodicidade em produção
Site oficial Combo Rangers

Combo Rangers é uma série de webcomics brasileira no estilo mangá criada em 1998 pelo autor Fábio Yabu.[5] É claramente baseado em séries de Super Sentai, tendo começado inicialmente como uma paródia as séries super sentais como Changeman e Power Rangers e outras franquias distintas[6], mas com o tempo foi desenvolvendo histórias mais sérias (embora sem perder a veia cômica) sobre cinco crianças que são convocadas pelo super-herói aposentado Poderoso Combo para serem heróis que defenderiam o mundo de alienígenas. Com o passar do tempo foi entrando na série mais aliados e inimigos. A série ganhou versões impressas pelas editoras JBC e Panini Comics, as revistas foram publicadas entre entre os anos 2000[7] e 2004[8].

A série ganhou o Troféu HQ Mix três vezes, e durou três temporadas: Combo Rangers (1998-1999), Combo Rangers Zero (1999-2000) e Combo Rangers Revolution (2000-2001) mais outras duas impressas pelas editoras JBC e Pannini que foram lançadas em 2002 e 2003 respectivamente, porém após algum tempo foi cancelada juntamente com as edições disponíveis online. Em 2012, o autor anuncia três álbuns lançados através de financiamento coletivo[9], além do retorno do site republicando as antigas histórias.Em 2015, teve suas histórias disponibilizadas no serviço de assinatura de quadrinhos digitais Social Comics.[10]

Sinopse das temporadas[editar | editar código-fonte]

Combo Rangers (Fase Bolinha)[editar | editar código-fonte]

A série se passa na Cidade City (City é cidade em inglês). Onde cinco crianças de nove anos: Fox, Tati, Lisa, Kenji e Kiko estavam jogando vídeo-game até serem convocados através da televisão pelo super-herói aposentado Poderoso Combo para serem o grupo de heróis super sentai “Combo Rangers” e defenderem a Terra dos alienígenas do Império Deskarga, liderados por General Monte. No decorrer do tempo eles travam várias lutas contra monstros até se encontrarem com um misterioso Combo Ranger Branco que possuía um uniforme que estava sendo produzidos por Tio Combo e logo eles descobrem que ele se chamava Luke e veio do futuro para salvá-los de um perigo que mudaria toda a história e o planeta. No final o Império Deskaga é derrotado por um grupo de vilões similares aos Combo Rangers chamados Guerreiros Cristal, e logo então eles travam uma batalha com Luke se sacrificando por Lisa fazendo seu papel na história. Daí os guerreiros viram um robô gigante que é destruído pelos Combo Rangers todos juntos que acabam morrendo, mas o desejo do coração de Lisa os faz ressuscitarem se esquecendo de suas aventuras e voltando a terem uma vida normal.

Combo Rangers Zero[editar | editar código-fonte]

Após sete meses um cientista chamado Doutor Delírio planejava roubar forças de medo das pessoas com seus monstros e sua ajudante Fabi para seu Grande Mestre. Numa luta no shopping Tio Combo pede para o grupo (atualmente com 11 anos) se transformar e em seguida todos acabam se lembrando do passado e ganhando novos uniformes evoluídos. Com o passar do tempo eles se encontram com Maya uma menina que era ligada com o Luke do futuro que ao se infiltrar no computador do Tio Combo entra na equipe. Ao mesmo tempo Dr. Delírio usa as energias pegas para fazer um Combo Ranger Negro que na verdade era o Luke do presente que havia morrido há algum tempo atrás. Todos tentam salvar Luke, mas acabam perdendo seus poderes. Fox, Tati, Lisa, Kenji e Kiko decidem procurar o Mago Syros no planeta Toobaine que lhes dão novos poderes e uniformes. Maya acaba descobrindo ser a filha perdida do Dr. Delírio e Luke acaba ganhando novos poderes também. No final é revelado que o Grande Mestre era o lado maligno de Tio Combo: Proteus que se libertou com a culpa guardada de Combo ao ver seus aprendizes sofrendo. Todos os Combo Rangers e super-heróis travam uma batalha contra Proteus, mas não conseguem derrotá-lo pelo fato de ele ter conseguido muito poder durante o tempo, mas Tio Combo consegue fazê-lo desaparecer quando Maya o convence a não carregar a culpa de todo o sofrimento causado aos Combo Rangers.

Combo Rangers Revolution[editar | editar código-fonte]

Tempos depois da luta conta o Grande Mestre os Combo Rangers passam e o grupo passou a ter uma vida normal até surgir Cardman, um inimigo que queria roubar toda a beleza da Terra junto de seu ajudante Deck. Com o passar do tempo eles vão se confrontando e inclusive Luke acaba ganhando poderes de cura e telepatia. No final o mundo foi previsto para ser destruído pelo pai de Spectroseven e todos os heróis buscam um meio de salvá-lo até descobrirem que todas as catástrofes que ocorriam no planeta eram causadas por um alienígena gigante que ficou adormecido milhões de anos debaixo da Terra enquanto que os Go Go Riders reaparecem para matar os Combo Rangers apenas para ajudar seu mestre Mago Syros. Não se sabe como a temporada se conclui, pois seus últimos episódios não foram divulgados pelo criador.

Fases impressas (JBC e Pannini)[editar | editar código-fonte]

Continuando as aventuras dos Combo Rangers estas duas temporadas apresentam histórias únicas sem sagas como as temporadas anteriores em que os heróis enfretavam impérios de vilões. Na primeira fase JBC as histórias passaram a ser mais sérias que as demais já lançadas embora que o humor ainda existisse, porém pouco. Os principais vilões dessa primeira parte foram Super Macacaloiro, Irmãos Traiçoeiros, Marvin Maluco e o recente Anti-Combo. Além disso na mesma teve a participação especial de Dani, o Combo Ranger Laranja honorário que fora criado por um fã por meio de um concurso.

Na segunda fase Pannini as histórias voltam a ficarem mais leves tendo uma trama mais definida. Logo no começo da temporada Fox sai temporariamente da equipe para treinamento com o Homem-Reflexo sendo acompanhado de Tati fazendo-os serem substituídos pelos heróis Pacificador e Garota Arco-Íris (Camila) na equipe. Durante seu treinamento Fox é escolhido pela Estrela Defensora para se tornar o novo herói guardião, porém acaba a perdendo para o vilão Chefão que a usa para prender acabar com todos os heróis do planeta. Fabi retorna e com a ajuda do Dr. Delírio e Homem-Equilíbrio (ex Homem-Reflexo) atraem várias pessoas para ajudarem a deter o vilão entre elas Sara e Davi (este último também criado por um fã por meio de um concurso).

Trilogia Somos (JBC)[editar | editar código-fonte]

Nesta fase é apresentado um universo alternativo dos Combo Rangers no qual quase todo mundo no planeta tem poderes. Vários personagens tiveram a sua origem modificada, como por exemplo, o General Monte, que agora é o diretor da escola. O principal vilão é o Satan Boss. Que conta com o Luke e Deck como seus generais. Os três volumes da coleção são: Combo Rangers - Somos Heróis, Combo Rangers - Somos Humanos e Combo Rangers - Somos Iguais[11].

Produção[editar | editar código-fonte]

Versões online[editar | editar código-fonte]

A série original era centralizada mais no humor do que na ação pelo fato de que a série era uma paródia de séries Super sentai, tal qual os Power Rangers, mas com o passar do tempo foi ficando mais séria. Nele os personagens possuíam um estilo Super deformed (que se aparenta com caricaturas) e os personagens possuíam uniformes similares ao dos Power Rangers com seus capacetes do formato de bolinhas e por isso muitos fãs da série a chamam de Fase Bolinha. Foi feita em flash para o site UOL com algumas cenas animadas e com música como a Transformação e as Lutas. Mais tarde foi lançada Combo Rangers Zero, a continuação da primeira série. Ainda continua mostrando humor, mas as histórias continuam ficando cada vez sérias. Nele os Combo Rangers crescem e mudam de uniformes ainda similares aos dos Power Rangers, mas com um zero no meio do corpo sendo que no meio da série eles ganham uniformes novos com óculos ao invés de capacetes. Também foi feita em flash para o site UOL e também contava com algumas cenas animadas e com música como a Transformação e inclusive animação computadorizada. Após seu término veio a fase Combo Rangers Revolution. As histórias agora são mais sérias tendo poucas cenas de humor e paródia. Os personagens continuam com o mesmo uniforme ganhado no centro de Combo Rangers Zero. Os três primeiros capítulos foram primeiro vendidos em forma de revista pela JBC e depois feitos em animação flash para internet com vozes feitas por Fábio Lucindo (Fox), Thiago Longo (Kiko), Angélica Santos (Kenji), Marli Bortoletto (Tati e Irmã Gêmea da Professora de Geografia), Fátima Noya (Lisa), Gabriel Noya (Luke), Marcelo Campos (Tio Combo), Gilberto Baroli (Cardman) e Márcio Araújo (Deck) sendo que o resto da série foi feita em quadrinhos também feitos por flash com algumas cenas animadas. Acabou terminando incompleta com apenas 14 capítulos, com seu capítulo final faltando o que causou um grande desgosto entre os fãs.

Versões impresas[editar | editar código-fonte]

Primeira edição impressa dos Combo Rangers, lançada em outubro de 2001 pela JBC

Em Outubro de 2000, Combo Rangers ganharam a Minissérie Combo Rangers Revolution pela Editora JBC[7], no seguinte, a mesma editora, publica uma série mensal, publicada até 2002 e foi cancelada na edição 12. Em 2003, ganha uma nova revista pela Panini Comics[12]. Nesse mesmo ano, a produção de internet foi interrompida, a revista ainda seria publicada pela Panini até 2004, quando foi cancelada na edição 10[8]. Em 2004 Yabu decidiu parar de escrever os quadrinhos para se concentrar apenas no seu livro "Princesas do Mar" (que em breve se tornaria um desenho animado). O livro foi um sucesso e portanto Yabu lançou duas continuações. Depois de algum tempo fora do ar, o site voltou a reprisar os capítulos das duas primeiras temporadas, e foi abandonado em 2005. Em Dezembro de 2012, Yabu anunciou um projeto de financiamento coletivo no site Catarse para publicar três álbuns de Combo Rangers, caso consigam ser financiados, os álbuns serão distribuídos pela Editora JBC e lançados durante a Bienal do Livro do Rio de Janeiro de 2013[9]. Em Janeiro de 2013, quase duas semanas depois do início da campanha, o autor conseguiu meta de R$40.000,00, segundo o autor, os três albuns serão anuais[13]. Os álbuns terão roteiros de Yabu e arte de Michel Borges, que chegou a participar da revista publicada pela Panini, na trama, os Combo Rangers enfrentarão um novo inimigo, o autor diz que durante o desenrolar da história, contará o que aconteceu com os heróis desde o fim das publicações[14]. No final do mês de janeiro, através da página oficial no facebook, o autor divulgou o novo character design dos heróis e o nome do vilão Satan Boss, o nome é uma paródia ao vilão da série Jaspion, Satan Goss[15]

Personagens[editar | editar código-fonte]

Combo Rangers[editar | editar código-fonte]

São os protagonistas centrais da série. Uma equipe de super-heróis multi-coloridos criados pelo Poderoso Combo (a quem eles chamam de Tio Combo) logo após se aposentar de suas batalhas. Seus integrantes são Fox (vermelho), Tati (rosa), Lisa (amarela), Ken (azul), Kiko (verde) e mais adiante Luke (branco). No começo os Combo Rangers são caracterizados usando capacetes e possuindo robôs gigantes chamados Combotrons que quando unidos formam o poderoso MegaCombotron, uma paródia ao MegaZord dos Power Rangers. Na fase Zero os Combo Rangers prosseguem com o mesmo visual sofrendo algumas poucas alterações, porém mais pro meio da mesma eles ganham novos poderes passando a usar óculos no lugar de capacetes. Além disso nesta temporada tem a inclusão de Maya como ajudante dos Combo Rangers, sem contar a rápida transformação de Luke no Combo Ranger Negro. Desde então a equipe passa a ser composta pelos mesmos integrantes até os últimos capítulos impressos quando Tati sai da equipe para ter uma vida normal e é substituída por Sara que se torna a nova Combo Ranger Rosa.

Vilões[editar | editar código-fonte]

Na primeira temporada nos são apresentados como vilões principais o Império Deskarga, um império alienígena liderado pelo General Monte que tenta dominar a Terra com seu exército de monstros e que também possuem como soldados a raça dos Homens de Quatro Olhos. Na mesma temporada também aparecem outros vilões como Bestah (um chefe vampiro) e Carolho, um servo do General Monte que no decorrer da história se funde com um gorila alienígena se tornando no Macacarolho, passando desde então a sofrer outras evoluções até atingir durante a fase Zero sua forma definitiva, o Super Macacaloiro (cujo visual é uma paródia dos Super Saiyajins de Dragon Ball). Na fase Zero nos é apresentado o Grande Mestre que com a ajuda do Dr. Delírio (forma maligna do Dr. Cooper) e sua filha adotiva Fabi tentam sugar as energias das pessoas usando monstros e soldados numa forma similar ao Império Deskarga. Além disso também aparecem os Kururuseijins que agem como vilões durante a visita dos personagens em Yabusei. No final da mesma temporada é revelado que Grande Mestre é um clone maligno do Tio Combo chamado Proteus. Na fase Revolution aparecem o vilão Cardman e seu servo Deck que tentam dominar a Terra com um exército de monstros vindo de cartas. Nas edições impressas aparecem vilões variados, com destaque ao Chefão que se torna o vilão principal nas últimas edições da Panini.

Personagens auxiliares[editar | editar código-fonte]

Além dos Combo Rangers também existem outros personagem que servem como meros coadjuvantes tais como a Prof. de Geografia (posteriormente sua irmã gêmea), os pais dos Combo Rangers e outros heróis. O primeiro aliado dos Combo Rangers foi o Papai Noel que durante um especial de natal foi atropelado por Fox ficando inconsciente passando a ser "mordomo" deles durante alguns episódios. Também aparecem outros heróis como Spectroseven[6], Anel Verde, Garota Arco-Íris, Japonaro Kido, entre outros. Além disso alguns vilões menores como Pum, Fabi, Dr. Cooper (ex-Dr. Delírio) e Deck se tornam aliados dos Combo Rangers em algumas ocasiões.

Elementos da série[editar | editar código-fonte]

Habilidades[editar | editar código-fonte]

As batalhas dos Combo Rangers são baseadas em combates corpo a corpo geralmente com socos e chutes. Nos primeiros episódios suas técnicas de ataques eram caracterizadas por terem nomes e também por sempre terem um nível de dano chamado de Hit Combo que se variavam a partir da força do usuário. Com o tempo os Hit Combos vão sumindo e as técnicas vão deixando de terem nomes. Sempre para os Combo Rangers se transformarem é preciso ser dito "Tá na hora do Combo!", embora que após ganharem seus novos uniformes com o Mago Syros eles serem capazes de se transformarem sem precisar dizer essa frase. Em algumas ocasiões eles são vistos soltando poderes psíquicos e lasers a partir de suas mãos, mas sem muita importância. Embora eles sejam vistos voando no primeiro episódio o poder de voar só é oficializado após eles ganharem poderes com o Mago Syros. Suas forças e habilidades são muitas vezes sobre-humanas chegando a multiplicar a força várias vezes.

Cameos e Crossovers[editar | editar código-fonte]

Uma das coisas mais notáveis nas histórias dos Combo Rangers são as frequentes aparições de personagens da cultura popular aparecendo nas histórias geralmente como meros figurantes no fundo das cenas. Algumas paródias e citações conhecidas são animes como: Sailor Moon, Pokémon e Dragon Ball; desenhos animados como: Turma da Mônica, As Meninas Superpoderosas e Superamigos; live-actions como: Power Rangers, Ultraman e Jaspion; e vídeo-games como Street Fighter e Phantasy Star. Inclusive alguns personagens como Spectroseven, Anel Verde e Japonaro Kido são baseados em super-heróis da cultura popular.

Yabuverso[editar | editar código-fonte]

Yabuverso é o universo ficcional onde todas as histórias acontecem. O significado é um jogo de palavras com o nome do criador (Yabu) e Universo. Muitos nomes de locais e personagens são referências para muitos outros personagens de ficção a partir de outras séries. Yabuverso é muito semelhante ao universo onde os seres humanos de verdade e contrapartida Earh é idêntico (e também chamado Terra) exceto para a existência de super-heróis e super-vilões. Diferença notável outro é por exemplo a presença de apenas quatro dedos nas mãos humanas em vez de cinco. A Terra em Yabuverso é freqüentemente atacada por alienígenas e que é basicamente o onde os super-heróis entram em serviço. Alguns estrangeiros no entanto decidiu estabelecer-se na Terra e são ainda de trabalho e criar uma família embora isso seja considerado ilegal.

Planetas notáveis ​​e os locais[editar | editar código-fonte]

Cidade City

City significa "cidade" em Inglês. É uma cidade situada na Terra onde a maioria dos eventos da história acontecem. Todos os rangers vivem lá e assim lutam com a maior parte de seus inimigos. A cidade é muito grande, populosa e moderna. Esse é o lugar onde ASH, a Associação de Super-Heróis está sediada. No álbum de 2013, o nome da cidade é mudado para Cidade Nova.

Império Deskarga

É mencionado apenas na Fase Bolinha. O nome é um trocadilho com a palavra descarga (mas escrita com k) e uma relação direta ao império Desdark, antagonista do Super Sentai "Gigantes Guerreiros Goggle V". É um sistema planetário formado por 14 planetas que são nomeados para DS-1 DS-14. Cada planeta tem um papel diferente para o sistema. DS-1 é o centro de operações, DS-2 é responsável por todas as operações militares e assim por diante. DS-2 é o lugar onde Agamenon Monte Pereira (também conhecido como General Monte) nasceu.

Yabusei

Aparece a partir de Combo Rangers Zero. Outra palavra usando o sobre-nome do cartunista Yabu e o sufixo japonês -sei (vindo da palavra hoshi, significando "estrela", "corpo celeste"), como visto em outros planetas da série Dragon Ball, como Namek (Namekku-sei no original, adaptado como "Namekusei" no Brasil). O planeta é lar dos Yabuseijins, seres que possuem aparência similar à do criador Fábio Yabu. Yabuseijins notáveis ​​incluem Spectroseven, o guerreiro do amor e alter-ego do próprio Yabu na história, e Japonaro Kido, o soldado romântico, alter-ego de Kido.

Kururusei

É mencionado apenas em Combo Rangers Zero. É onde vivem os Kururuseijins, entre os quais o vilão Kururu. Os Kururuseijins são uma raça conquistadora que já havia dominado muitos planetas do Yabuverso, e queriam dominar Yabusei. Felizmente eles foram derrotados por Ken e Tati, que estavam trabalhando em conjunto com os Yabuseijins (um dos quais se tornaria Japonaro Kido no processo) para derrotar os Kururuseijins. Kururu lembra um pouco Impmon de Digimon Tamers (o que é uma coincidência, já que Tamers foi ao ar pela primeira vez no Japão em abril de 2001, após o fim da fase Zero), misturado com Freeza de Dragon Ball Z, e os Incas Venusianos de National Kid.

Toobaine

Toobaine nome é uma referência a uma famosa bebida brasileira macia chamada Tubaína. Esta é a terra do Mago Syros e seus discípulos, os Go Go Riders. Toobaine estava acostumado a viver em paz, até que a filha de Syros, Cristal, morreu. Daquele momento em diante, Syros isolou-se do mundo, e os Go Go Riders tiveram que defender o planeta sozinhos, até que Syros foi retirado de seu exílio pelos Combo Rangers.

Oreo

Um planeta extinto, terra natal de Deck. É um planeta um pouco mais evoluído que a Terra apresentada na série no qual viviam seres humanoides, diferentes dos terráqueos pela cor amplamente variada de seus cabelos e pelas habilidades inatas que possuem. Viviam em paz até serem atacado pelo exército da Grande Mão que se apossou de todos no planeta exceto Deck, que conseguiu escapar, vindo a se tornar o único sobrevivente do planeta antes de servir a Cardman.

Biriguisei

Outro planeta com um nome paródico, mas que desta vez utiliza o nome do município brasileiro Birigui. Biriguisei possui apenas 45 centímetros de diâmetro, mas milhões de habitantes. Foi salvo da destruição pelo cientista Hugo Hungria, que se fundiu com o planeta para se tornar o Homem-Planeta.

Planeta do Tio Combo

O planeta natal do Tio Combo presente na edição "Combo Rangers Revolution Nº: 2" (versão impressa). Não se sabe o seu nome, e como visto na edição em que aparece o planeta foi destruído logo quando o Tio Combo ainda era bebê sendo mandado pra fora dele antes da explosão se tornando o único sobrevivente (referência clara à origem do Superman, inclusive parodiada na origem do Spectroseven, pois Yabusei se manteve intacto). Aparentemente o planeta era povoado por humanos.

Merchandising[editar | editar código-fonte]

Apesar de sua grande popularidade nos quadrinhos e na internet no começo da década de 2000 os Combo Rangers não tiveram muita notoriedade em outra mídias. Em em Novembro de 2003, foi lançada uma coleção de bonecos fabricada pela Multibrink.[16] Em 2013 Yabu passou a roteirizar uma webcomis baseada no jogo online Elsword em parceria com a Level Up! Games para a página do jogo,[17] em novembro de 2014, o jogo ganha um pacote visual baseado em Combo Rangers.[18]

Referências

  1. «Lançamentos de Outubro de 2001». Universo HQ. Arquivado do original em 21 de junho de 2011 
  2. Érico Borgo (09 de Dezembro de 2002). «Combo Rangers de volta às bancas em janeiro». Omelete  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. press release (18 de maio de 2001). «Combo Rangers volta às bancas». Universo HQ. Arquivado do original em 3 de fevereiro de 2010 
  4. Sidney Gusman (8 de janeiro de 2004). «Combo Rangers 8 traz segunda parte da história Mundo sem Heróis». Universo HQ 
  5. «Site dos Combo Rangers retorna com novo visual e pelo UOL». Universo HQ. 30 de outubro de 2002. Consultado em 18 de maio de 2010  |coautores= requer |autor= (ajuda)
  6. a b Matheus Mossmann e Cleiton Campos (21 de janeiro de 2013). «Com a volta dos Combo Rangers, confira a entrevista de Fábio Yabu para a Herói em 2000!». Heroi.com.br 
  7. a b «Combo Rangers Revolution #1». Universo HQ. Consultado em 18 de maio de 2010  |coautores= requer |autor= (ajuda)
  8. a b «Combo Rangers será cancelado pela Panini». Universo HQ. 9 de fevereiro de 2004. Consultado em 18 de maio de 2010. Arquivado do original em 26 de maio de 2010  |coautores= requer |autor= (ajuda)
  9. a b Satsuki U (21 de dezembro de 2012). «A volta dos Combo Rangers!». Henshin!. Arquivado do original em 23 de dezembro de 2012 
  10. Social Comics anuncia parceria com o Instituto Ayrton Senna e outras novidades
  11. «Combo Rangers Graphic Novel». Mangás JBC. 16 de abril de 2019. Consultado em 16 de abril de 2019 
  12. Samir Naliato. «Combo Rangers # 1 (Panini Comics) - Revista mensal». Universo HQ 
  13. «Com a ajuda dos fãs, Combo Rangers retornam aos quadrinhos em 2013». R7. 5 de janeiro de 2012 
  14. Samir Naliato (14 de janeiro de 2013). «Editora JBC e Fábio Yabu planejam o retorno dos Combo Rangers». Universo HQ 
  15. Samir Naliato (28 de janeiro de 2013). «Fabio Yabu revela o novo visual dos Combo Rangers». Universo HQ 
  16. http://omelete.uol.com.br/games/veja-os-bonecos-dos-combo-rangers/
  17. «ELevel Up! anuncia mangá brasileiro de Elsword». Level Up! 
  18. Fellipe Camarossi (25 de Novembro de 2014). «O mangá brasileiro Combo Rangers invade o mundo de Elsword». Gameworld. Arquivado do original em 28 de novembro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]