Comida caseira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Sopa de galinha, um alimento clássico comum, típico de várias culturas

Comida caseira (ou comida de conforto) é um alimento que fornece um valor nostálgico ou sentimental a alguém (geralmente relacionado ao lar),[1] e pode ser caracterizado por alto teor calórico, alto nível de carboidrato ou pela simplicidade na preparação.[2] Tal sentimento nostálgico pode ser específico para um indivíduo ou pode se aplicar a uma cultura inteira.[3]

Definição[editar | editar código-fonte]

O termo "comida de conforto" (do inglês "comfort food") pode ser encontrado pelo menos desde 1966, quando o Palm Beach Post o usou em uma história: "Os adultos, quando estão sob intenso estresse emocional, recorrem ao que poderia ser chamado de 'comida de conforto' - comida associada à segurança de infância, como o ovo escalfado da mãe ou a famosa sopa de galinha ".[4] Acredita-se que sejam um ótimo mecanismo de enfrentamento para sentimentos negativos que acalmam rapidamente.  

Estudos psicológicos[editar | editar código-fonte]

Consumir alimentos ricos em energia, com alto teor calórico, gorduras, sal ou açúcar, como sorvete, chocolate ou batata frita, pode acionar o sistema de recompensa no cérebro humano, que proporciona um prazer distinto ou temporariamente uma sensação de elevação e relaxamento emocional.[5][6] Quando as condições psicológicas estão presentes, as pessoas costumam usar comida de conforto para se tratar. Aqueles com emoções negativas tendem a ingerir alimentos não saudáveis, em um esforço para experimentar a gratificação instantânea que o acompanha, mesmo que seja de curta duração.[7]

Um estudo dividiu as identificações de alimentos reconfortantes de estudantes universitários em quatro categorias (alimentos nostálgicos, alimentos indulgentes, alimentos de conveniência e alimentos físicos para conforto), com ênfase especial na seleção deliberada de alimentos específicos para modificar o humor ou o efeito e as indicações de que O uso médico-terapêutico de determinados alimentos pode, em última análise, ser uma questão de alteração de humor.[8]

A identificação de itens específicos como comida caseira pode ser idiossincrática, embora os padrões sejam detectáveis. Em um estudo das preferências norte-americanas, "os homens preferiram comidas quentes, saudáveis e relacionadas à refeição (como bifes, caçarolas e sopas), enquanto as mulheres preferiram alimentos confortáveis que eram mais relacionados a lanches (como chocolate e sorvete). Além disso, as pessoas mais jovens preferiram mais comidas relacionadas ao lanche em comparação com aquelas com mais de 55 anos de idade. " O estudo também revelou fortes conexões entre o consumo de alimentos confortáveis e sentimentos de culpa .[9] Um artigo, "O mito da comida reconfortante", afirmou que os homens tendem a escolher esses tipos de alimentos salgados, porque os lembram de serem "mimados" ou estragados, enquanto as mulheres escolhem alimentos relacionados a lanches porque estão associados a baixas quantidades de trabalho e menos "limpeza". Também sugeriu que as mulheres são mais propensas a buscar alimentos não saudáveis em períodos de estresse devido a uma mentalidade mais consciente do peso.

O consumo de alimentos de conforto é visto como uma resposta ao estresse emocional e, consequentemente, como um dos principais contribuintes para a epidemia de obesidade nos Estados Unidos .[10] A provocação de respostas hormonais específicas que levam seletivamente a aumentos de gordura abdominal é vista como uma forma de automedicação .[11]

Estudos posteriores sugerem que o consumo de comida caseira é acionado nos homens por emoções positivas e negativas nas mulheres.[12] O efeito do estresse é particularmente pronunciado entre as mulheres em idade universitária, com apenas 33% relatando escolhas alimentares saudáveis durante períodos de estresse emocional.[13] Para as mulheres especificamente, esses padrões psicológicos podem ser pouco adaptativos.[14]

Um uso terapêutico desses achados inclui oferecer alimentos confortáveis ou bebidas " happy hour " a pacientes geriátricos anoréticos, cuja saúde e qualidade de vida diminuem com a ingestão oral reduzida.[15]

Por região[editar | editar código-fonte]

Uma lista parcial por região de alimentos confortáveis em todo o mundo.

Afeganistão[editar | editar código-fonte]

Os alimentos de conforto no Afeganistão são:

  • Aushak – stuffed dumplings and sauce
  • Bolani – filled flatbread[16]
  • Borani Banjan or Borani-e-Banjan – baked eggplant with yogurt sauce
  • Borani Kadoo or Borani-e-Kado – sweet and savory braised pumpkin with yogurt sauce[17]
  • Chainaki – lamb stew
  • Chalaw or Challow – steamed rice with spices
  • Kabuli palaw or Qabuli Palu – steamed rice with raisins, carrots, and lamb[17]
  • Karahai – meat cooked in a traditional karahi pot
  • Kebab – grilled skewered meat[16]
  • Korma Gosht or Qorma-e-Gosht – braised meat[18]
  • Mantu – meat-stuffed dumpling[16][18]
  • Naan – flatbread[17]
  • Sabzi Palu – spinach (sabzi) with spices
  • Sher Berinj – rice pudding[19]

Austrália e Nova Zelândia[editar | editar código-fonte]

A Pavlova guarnecido com frutas e creme

Os alimentos reconfortantes na Austrália e na Nova Zelândia podem incluir:

Grã-Bretanha[editar | editar código-fonte]

Bangers and mash é um alimento de conforto britânico .[25]

Os alimentos de conforto britânicos incluem:

Canadá[editar | editar código-fonte]

Um prato de poutine clássico em um restaurante de Montreal .

França[editar | editar código-fonte]

Uma madeleine . Madeleine de Proust é uma expressão francesa que se refere especificamente à descrição de comida caseira de Marcel Proust em In Search of Lost Time .

Hong Kong[editar | editar código-fonte]

Subcontinente indiano[editar | editar código-fonte]

Indonésia[editar | editar código-fonte]

Bubur ayam ( mingau de galinha) é um alimento de conforto da Indonésia .

Alguns alimentos populares indonésios são considerados alimentos de conforto, geralmente servidos quentes ou quentes e com uma textura macia ou saborosa. A maioria deles é rica em carboidratos ou gordura, como mingau, arroz frito e macarrão com alto teor de carboidratos; enquanto almôndegas e carnes no espeto grelhadas contêm quantidades justas de gordura e sal. Alimentos de conforto geralmente são o tipo de alimento que fornece sentimentos nostálgicos, como costumam ser chamados masakan rumahan (comida caseira) ou masakan ibu (pratos da mãe). Na Indonésia, acredita-se que a textura quente e macia do bubur ayam ajude as pessoas a se recuperarem durante a convalescença .[53] Sayur sop ou sup ayam é uma sopa de galinha indonésia que costumava ser procurada durante a gripe . A sopa quente contém pedaços de frango, pedaços de batata, cenoura e feijão verde comum servido no caldo de galinha.[54]

Alguns alimentos de conforto indonésios são alimentos indonésios tradicionais e outros são derivados de influências chinesas . Para alguns indonésios, especialmente aqueles que estão no exterior, o comfort food também pode ser uma determinada marca ou tipo de macarrão instantâneo indonésio, como o Indomie Mi goreng .[55] Os alimentos de conforto indonésios incluem:

Itália[editar | editar código-fonte]

Japão[editar | editar código-fonte]

Filipinas[editar | editar código-fonte]

Adobo de porco

Polônia[editar | editar código-fonte]

Pierogi cozido no vapor, com cebola frita por cima

Alguns alimentos de conforto poloneses incluem:

Porto Rico[editar | editar código-fonte]

Arroz con pollo : frango com arroz

Alguns alimentos de conforto porto-riquenho incluem:

Rússia[editar | editar código-fonte]

Os alimentos de conforto russos podem incluir, mas não estão limitados a:

Espanha[editar | editar código-fonte]

Taiwan[editar | editar código-fonte]

Macarrão dan zai

Peru[editar | editar código-fonte]

Mantı, com iogurte e molho de pimenta vermelha

Em turco, comida confortável é mais próxima do em turco: Anne yemeği , "prato da mãe", especialmente em termos de sensação nostálgica, ou em turco: Ev yemeği , "prato caseiro". Alguns alimentos de conforto turcos são:

Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Macarrão e queijo é um alimento de conforto americano .[98]

Os alimentos de conforto americanos podem incluir os seguintes alimentos:

Veja também[editar | editar código-fonte]

Portal:Alimentos

Referências

  1. "Comfort Food." (definition). Merriam-webster.com. Accessed July 2011.
  2. «Comfort food». WordNet 3.1 
  3. Rufus, Anneli. «How comfort foods work like Prozac». Gilt Taste  ()
  4. a b The Atlantic https://www.theatlantic.com/health/archive/2015/04/why-comfort-food-comforts/389613/  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  5. Heshmat, Shahram. «5 Reasons Why We Crave Comfort Foods». Psychology Today (em inglês) 
  6. «Engineering comfort foods». American Demographics: 66–7 
  7. «The Science behind Comfort Food - Desert Hope». Desert Hope 
  8. «Comfort Foods: An Exploratory Journey into the Social and Emotional Significance of Food». Food and Foodways. 13: 273–97. 2005. doi:10.1080/07409710500334509 
  9. «Exploring comfort food preferences across age and gender». Physiology & Behavior. 79: 739–47. 2003. PMID 12954417. doi:10.1016/S0031-9384(03)00203-8 
  10. «Chronic stress and obesity: A new view of 'comfort food'». Proceedings of the National Academy of Sciences. 100: 11696–701. 2003. JSTOR 3147854. PMC 208820Acessível livremente. PMID 12975524. doi:10.1073/pnas.1934666100 
  11. «Chronic stress and comfort foods: Self-medication and abdominal obesity». Brain, Behavior, and Immunity. 19: 275–80. 2005. PMID 15944067. doi:10.1016/j.bbi.2004.11.004 
  12. «Affect asymmetry and comfort food consumption». Physiology & Behavior. 86: 559–67. 2005. CiteSeerX 10.1.1.424.1134Acessível livremente. PMID 16209880. doi:10.1016/j.physbeh.2005.08.023 
  13. «Stress influences appetite and comfort food preferences in college women». Nutrition Research. 26: 118–23. 2006. doi:10.1016/j.nutres.2005.11.010 
  14. «Weakened biological signals: Highly-developed eating schemas amongst women are associated with maladaptive patterns of comfort food consumption». Physiology & Behavior. 94: 384–92. 2008. PMID 18325547. doi:10.1016/j.physbeh.2008.02.005 
  15. «Feeding the anorectic client: Comfort foods and happy hour». Geriatric Nursing. 19: 192–4. 1998. PMID 9866509. doi:10.1016/S0197-4572(98)90153-7 
  16. a b c Ibrahim, Mariam (4 de julho de 2013). «Dining Out: Afghan Chopan Kebab House offers comfort food». Edmonton Journal 
  17. a b c Baer, Adam (13 de setembro de 2012). «Afghan Comfort Cuisine». Men’s Journal. American Media Inc. 
  18. a b Mishan, Ligaya (29 de novembro de 2018). «At Nansense, Afghan Comfort Comes From an Unlikely Place: a Former Mail Truck». The New York Times 
  19. Darlene (30 de abril de 2014). «Sheer Birinj – Afghan Rice Pudding». International Cuisine 
  20. a b c d e f g h i «Australian Comfort Food Recipes». Food.com. Consultado em 29 de junho de 2013. Arquivado do original em 18 de janeiro de 2013 
  21. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t «Ultimate Comfort Food». ninemsn Food. ninemsn. Arquivado do original em 4 de abril de 2013 
  22. Romero, Jo (27 de setembro de 2012). «Comfort foods from around the world». Yahoo! Lifestyle UK. Yahoo!. Arquivado do original em 26 de outubro de 2013 
  23. Marks, Kathy (6 de dezembro de 2003). «Adelaide's 'pie floater' fights losing battle in fast food war». The Independent 
  24. a b c d e f g h i j k l «33 comfort foods from around the world». MSN. Microsoft Corporation. Consultado em 12 de setembro de 2017. Arquivado do original em 12 de setembro de 2017 
  25. Barnett, Louise (6 de outubro de 2009). «Bacon butty is our favourite naughty snack». Sunday Express. Consultado em 13 de agosto de 2017 
  26. a b c d e f g h i j k l m n o p «British comfort food to make your mouth water». The Daily Telegraph. London. 22 de março de 2013 
  27. a b c d e f g h i j k l m Avis-Riordan, Katie (27 de outubro de 2017). «The 20 most comforting foods, according to Brits: Many of the choices remind people of their childhoods». Country Living. Hearst Magazines UK. Consultado em 11 de abril de 2018 
  28. a b c d e f g h i j k l m n o p «Best ever British comfort food recipes». Olive Magazine 
  29. a b c d e f g h i j k l m n o «Comfort food recipes». BBC Good Food. BBC 
  30. a b c Jaffrey, Madhur; Tom Kitchin, Nigel Slater, Tomos Parry, and Clare Smyth (6 de outubro de 2015). «20 best comfort food recipes: part 2». The Guardian. Consultado em 12 de setembro de 2017 
  31. Higgins, Lilly (26 de setembro de 2014). «Give Me Five: Who can resist the comfort of egg and chips?». The Irish Times. The Irish Times DAC. Consultado em 11 de abril de 2018 
  32. Carrier, Rhonda (2009). Frommer's London with Kids. [S.l.]: John Wiley & Sons. 101 páginas. ISBN 978-0470593097 
  33. Symon, Michael. «Beer Battered Fish 'n' Chips with Mushy Peas». The Chew. American Broadcasting Company (ABC). Consultado em 12 de setembro de 2017 
  34. Kerridge, Tom; April Bloomfield, Simon Hopkinson, Tim Hughes, Sam and Sam Clark (24 de fevereiro de 2014). «20 best comfort food recipes: part 1». The Guardian. Consultado em 21 de julho de 2015 
  35. «Stottie cake - the taste of home». Shields Gazette. 2017 Johnston Publishing Ltd. 12 de janeiro de 2011 
  36. (Journalist), Dent, Karen (2016). The North Yorkshire Cook Book : a celebration of the amazing food & drink on our doorstep, featuring over 40 stunning recipes. Sheffield: [s.n.] ISBN 978-1910863121. OCLC 964356602 
  37. a b c «Canadian Comfort Food: A collection of uniquely Canadian Cuisine». Historica Canada (The Canadian Encyclopedia ). Consultado em 10 de maio de 2016 
  38. a b c d e f g h Kelsey, Sarah (20 de outubro de 2011). «Canadian Comfort Food: The Bad-For-Us Foods We Can't Resist». HuffPost Canada. The Huffington Post Canada. Consultado em 6 de janeiro de 2018 
  39. a b c d e f g Duncan, Lindsay (14 de junho de 2017). «22 Foods You Can Only Get In Canada». Forkly. Concourse Media. Consultado em 6 de janeiro de 2018 
  40. a b c d e f The Canadian Living Test Kitchen. «15 recipes for the ultimate comfort food». Canadian Living. Consultado em 10 de maio de 2016 
  41. «Cashew and tofu merge for creamy vegan cheesecake: Cookbook author and food blogger Sam Turnbull says recipe tastes just like traditional cheesecake». CBC News Ottawa. Canadian Broadcasting Corporation/Radio-Canada. 25 de outubro de 2017. Consultado em 6 de janeiro de 2018 
  42. Abraham, Lois (13 de março de 2016). «'Homegrown' cookbook a labour of love and salute to Canada's producers». Ottawa Citizen. Toronto: Postmedia Network Inc. Consultado em 10 de maio de 2016 
  43. a b c d e Wilson-Smith, Meghan. «Top Spots for 14 Wintry Canadian Comfort Food Favourites». WHERE Canada. St. Joseph Media Inc. Consultado em 10 de maio de 2016 
  44. a b c d e f g h McLean, Dorothy Cummings (14 de janeiro de 2016). «Anglo-Canadian Comfort Food». The Historical House. Consultado em 10 de maio de 2016 
  45. Rose, Nick (24 de abril de 2017). «How Chop Suey and Ginger Beef Helped Canada Discover Itself». Munchies. VICE Media LLC. Consultado em 6 de janeiro de 2018 
  46. a b c d e f Kelsey, Sarah (20 de outubro de 2011). «Canadian Comfort Food: The Bad-For-Us Foods We Can't Resist». HuffPost Living. The Huffington Post Canada 
  47. a b Ruiz Leotaud, Valentina (28 de abril de 2016). «Comfort food now caters to Canadian locavores». National Observer. Consultado em 10 de maio de 2016 
  48. Food Network Canada Editors (30 de setembro de 2015). «Top 10 Things to Add to Your Mac 'n' Cheese». Food Network Canada. Corus Entertainment Inc. Consultado em 10 de maio de 2016 
  49. a b c Davis, Hilary (1 de agosto de 2014). French Comfort Food. [S.l.]: Gibbs Smith. p. Table of Contents. ISBN 978-1423636984 
  50. Walhout, Hannah (22 de março de 2017). «Pot-au-Feu: The Ultimate French Comfort Food». Food & Wine. Consultado em 30 de janeiro de 2018 
  51. Nuzhat (2009). Nuzhat Classic Recipes. [S.l.]: AuthorHouse. pp. 1, 2. ISBN 978-1438940328 
  52. a b c d e Fitria Rahmadianti. «Comfort Food, Makanan Yang Bikin Nyaman dan Kangen». Detik Food (em Indonesian) 
  53. a b Christina Andhika Setyanti. «Alasan Sup Ayam Jadi Makanan Paling Dicari Saat Flu». CNN Indonesia (em Indonesian) 
  54. a b nava-k. «Maggi goreng mamak». Petitchef 
  55. «My Comfort Food – Mie Jamur Pangsit Bakso». Indonesia Eats. 8 de agosto de 2007. Consultado em 12 de setembro de 2015 
  56. Kinanti Pinta Karana (18 de novembro de 2010). «Comfort Food Helps Indonesian Maid Recover». Jakarta Globe. Globe Media Group. Arquivado do original em 21 de novembro de 2010 
  57. a b c De Launey, Guy (10 de novembro de 2010). «Barack Obama's Indonesia charm offensive». BBC News. Jakarta. Consultado em 12 de setembro de 2015 
  58. Olivier, Jamie (2014). «Gorgeous gado-gado: An Indonesian mega salad». Jamie's Comfort Food. [S.l.]: Michael Joseph. ISBN 978-0718159535 
  59. VL. «Nasi Tim Warisan» (em Indonesian). Femina. Consultado em 2 de setembro de 2014 
  60. «Indonesian Steamed Rice with Chicken/Nasi Tim Ayam». What to Cook Today?. Consultado em 2 de setembro de 2014 
  61. «Indonesia - Soto Ayam at Malioboro Country». Chowhound. Consultado em 12 de setembro de 2015 
  62. Lempert, Phil (2 de dezembro de 2008). «Italian comfort food: Ricotta gnocchi». TODAY 
  63. Carlos, Angela (27 de outubro de 2015). «This is the Ultimate Italian Comfort Food Recipe». The Daily Meal. tronc, Inc. Consultado em 2 de agosto de 2017 
  64. Brassinga, Angela. «7 Favorite Lasagna Recipes: These layered pasta dishes will satisfy your comfort food craving». Sunset. TIME Inc. Affluent Travel Group. Consultado em 2 de agosto de 2017 
  65. Sandoval, Eva (14 de agosto de 2012). «The world's greatest comfort foods». CNN. Consultado em 21 de julho de 2015 
  66. a b c d e Chavez, Amy (10 de março de 2015). «10 distinctly Japanese comfort foods». SoraNews24. Socio Corporation. Consultado em 12 de dezembro de 2017 
  67. Joe, Melinda; Marx, W. David; Wee, Darryl; Janette, Misha (12 de julho de 2017). «40 Japanese foods we can't live without». CNN. Cable News Network. Consultado em 12 de dezembro de 2017 
  68. a b c d e f g «Japanese Comfort Food». Japan Deluxe Tours. Japan Deluxe Tours, Inc. 30 de agosto de 2017. Consultado em 12 de dezembro de 2017 
  69. F&W editors (11 de janeiro de 2016). «9 Japanese Comfort Foods to Make Right Now». Food & Wine. TIME Inc. Consultado em 12 de dezembro de 2017 
  70. a b c Valentini, Marinel (17 de outubro de 2016). «Best Comfort Food Dishes From The Philippines». The Culture Trip. The Culture Trip Ltd. Consultado em 13 de outubro de 2017 
  71. a b c d Kryza, Andy (20 de janeiro de 2014). «Filipino Food for Beginners: The 7 Dishes You Need to Know». ThrillList. Group Nine Media Inc. Consultado em 13 de outubro de 2017 
  72. Harrison, Melissa (11 de maio de 2014). «24 Delicious Filipino Foods You Need In Your Life». BuzzFeed. Consultado em 13 de outubro de 2017 
  73. a b c d e f g Galvez, Jane (30 de julho de 2016). «12 Best Filipino Comfort Food For The Rainy Days». Philihappy. Consultado em 13 de outubro de 2017 
  74. a b c d Ang Pinaka Staff; Ces Vitan (23 de agosto de 2012). «Top 10 Best Rainy Day Comfort Foods on 'Ang Pinaka'». GMA News Online. GMA Network. Consultado em 13 de outubro de 2017 
  75. a b c Pineda, Maida; Lopez-Quimpo, Candice (24 de maio de 2016). «50 dishes that define the Philippines». CNN Travel. CNN. Consultado em 13 de outubro de 2017 
  76. Tayag, Claude (29 de julho de 2012). «26 top Filipino iconic dishes». The Philippine Star. Consultado em 13 de outubro de 2017 
  77. «Sinampalukang Manok Recipe». Panlasang Pinoy. Consultado em 13 de abril de 2019 
  78. «Sinampalukan: Filipino Chicken Soup». Serve With Rice. Consultado em 13 de abril de 2019 
  79. «Creamy Chicken Sopas (Filipino Chicken Macaroni Soup)». Manila Spoon. Consultado em 16 de dezembro de 2018 
  80. «Chicken Noodle Soup (Sopas) – Filipino version». Foxy Folksy. Consultado em 16 de dezembro de 2018 
  81. Ardis, Susan (7 de novembro de 2012). «Pierogies: Comfort food, Polish style». The State 
  82. Scatts (17 de janeiro de 2011). «What Is Polish "Comfort Food"?». Polandian. Wordpress 
  83. Izlar, Camille (14 de fevereiro de 2013). «Polish Comfort Food: Best Way to Stay Warm». Steve Dolinsky 
  84. a b c d Russell, Michael (12 de março de 2015). «Boriken brings Puerto Rican comfort food to Beaverton (and beyond)». The Oregonian. Consultado em 8 de abril de 2015 
  85. a b c d e Edwards, Melanie (29 de maio de 2012). «5 Traditional Puerto Rican Foods I Wish My Daughter Ate». Fox News Latino. Consultado em 8 de abril de 2015 
  86. a b c d e f g Olmsted, Larry (18 de outubro de 2012). «Great American Bites: Classic Puerto Rican comfort food at El Jibarito». USA Today. Consultado em 8 de abril de 2015 
  87. a b c Speakerman, Meghan Ruth (17 de setembro de 2012). «Puerto Rican Inspiration». Austin Chronicle. Consultado em 8 de abril de 2015 
  88. a b c Acker, Kerry (24 de janeiro de 2013). «Spanish Comfort Food Favorites». Epicurious. Condé Nast. Consultado em 3 de abril de 2019 
  89. «Traditional Spanish Comfort Food at Home: Cocido Madrileño Recipe». Devour Madrid. Devour Tours. 8 de novembro de 2018. Consultado em 3 de abril de 2019 
  90. «Behind the Bite: Tortilla de Patatas». Devour Madrid. Devour Tours. 19 de novembro de 2018. Consultado em 3 de abril de 2019 
  91. «10 Classic Taiwanese Dishes». LA Weekly. 2012. Consultado em 21 de julho de 2014 
  92. a b «45 Taiwanese foods we can't live without». CNN. 2014. Consultado em 21 de julho de 2014 
  93. a b «Tasty snacks go well with TaiwanFest fun». The Georgia Straight. 2008. Consultado em 21 de julho de 2014. Arquivado do original em 28 de julho de 2014 
  94. a b «Taiwan's Top Winter Comfort Foods». The Wall Street Journal. 2013. Consultado em 21 de julho de 2014 
  95. «The ultimate comfort food: manti, or turkish dumplings». LA Weekly. 2011. Consultado em 9 de fevereiro de 2014 
  96. «Manti: A Food Without Borders». The Atlantic. 2009. Consultado em 9 de fevereiro de 2014 
  97. a b c «American food: the 50 greatest dishes». CNN Travel 
  98. Bretherton, C. (2013). Pies: Sweet and Savory. [S.l.]: DK Publishing. p. 218. ISBN 978-1-4654-1243-0. Consultado em 1 de outubro de 2015 
  99. a b c d e f g h i j k l m n Stoley, Emma (20 de janeiro de 2012). «America's Best Comfort Foods». Travel+Leisure (Time Inc.). Consultado em 21 de julho de 2015 
  100. a b c d e f g h i Brown, Alton. «America's Best: Top 10 Comfort Foods». Food Network. Consultado em 21 de julho de 2015 
  101. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t «101 Best Comfort Food Classics». Southern Living. TIME Inc. Lifestyle Group. Consultado em 5 de abril de 2016 
  102. Slotnik, Daniel E. (26 de maio de 2012). «What's Your Comfort Food?». The New York Times 
  103. Fiduccia, K.; Rowinski, K. (2013). The Ultimate Guide to Making Chili: Easy and Delicious Recipes to Spice Up Your Diet. [S.l.]: Skyhorse Pub. p. 118. ISBN 978-1-62087-189-8 
  104. Karina Martinez-Carter (14 de fevereiro de 2014). «As American as peanut butter». Pacific Standard. Consultado em 6 de dezembro de 2017 
  105. Joseph, Scott (3 de setembro de 1993). «Pot Roast, Comfort Food Great, Goes With Comfortable Wine». Orlando Sentinel. Consultado em 21 de julho de 2015. Arquivado do original em 21 de julho de 2015  ()
  106. «Comfort and Company». Food Network. Consultado em 21 de julho de 2015 
  107. «Chefs' Comfort Food Cook-Off». Southern Living. TIME Inc. Lifestyle Group. Consultado em 5 de agosto de 2015 
  108. Gardens, B.H. (2011). The Ultimate Casseroles Book: More than 400 Heartwarming Dishes from Dips to Desserts. Col: Better Homes and Gardens Ultimate. [S.l.]: Houghton Mifflin Harcourt. p. 83. ISBN 978-0-544-18850-1. Consultado em 3 de julho de 2016 
  109. «Ultimate Comfort Food». cookingchanneltv.com 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]