Comité monetário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde agosto de 2016).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

Um comité monetário ou fundo de estabilização cambial ou Currency Board (CB) é uma autoridade monetária a quem incumbe manter uma paridade cambial fixa em relação a uma moeda estrangeira.

O comité fica inibido de utilizar os instrumentos normalmente atribuídos a um banco central.

Para deixar mais claro o funcionamento de um Currency Board vamos exemplificar:

Primeiro tome nota do que são as Reservas Internacinais, essas reservas não são um dinheiro que é guardado num cofre, a reserva internacional é a quantidade de moeda internacional que existe no país. E que Base Monetária é a quantidade de moeda nacional.

Imagine que o Brasil vai instalar um CB em relação à Libra Esterlina (Libra) usada no Reino Unido. De cara podemos dizer que qualquer variação no real depende de uma variação da moeda estrangeira no país de origem.

Agora que temos a moeda para fixar a taxa vamos fazê-la.

O CB brasileiro faz a equiparação de: 1 Libra --- 2 Real

Tomando conta dos deveres do Banco Central o CB assume o controle das reservas internacionais e começa a opera-las com 12bi de Libras. Note que ainda não houve ação sobre a moeda nacional.

Sabendo da quantidade de Libras em reserva o CB para de imprimir Real. E agora passa a realizar troca de câmbios onde o dinheiro sempre passa pelo CB.

Digamos que você vai EXPORTAR uma mercadoria e seu comprador vai pagar 1mi de libras. Esse dinheiro entra nas reservas do Currency Board que agora possui 12bi e 1mi de libras. E agora imprime uma quantidade equivalente de real, nesse caso 2mi de reais. Você pode escolher ficar com as Libras ou ir trocar no Currency Board por reais. Como o CB faz a troca imediata você pode realizar escambo direto com outras pessoas já que as pessoas não irão perder com a troca.

Agora imagine que você vai IMPORTAR uma mercadoria e seu vendedor ainda receoso com a moeda nacional só aceite em Libras, você deve pagar 2bi de libras. Para isso você deve ir ao CB onde ela recolherá 4bi de reais, o preço equivalente, e aí repassará os 2bi de libras para o vendedor. mantendo assim uma relação estrita à quantidade de libras e de reais nas reservas.

Para resumir tudo isso, levando em conta a taxa aqui estabelecida, no sistema de Currency Board, para cada Libra injetada no Brasil o CB imprimi uma quantidade equivalente de reais, ou seja, para cada 1 libra que entra o CB imprimi 2 reais. E a operação inversa acontece quando para cada libra que é retirada das reservas o CB recolhe dois reais e repassa as libras para o destinatário estrangeiro. Dizemos assim que o princípio do CB é obedecido ortodoxamente.

Desse modo para que haja equilíbrio a base monetária deve ser inferior ou no máximo igual às reservas internacionais, isso por que caso seja menor é só imprimir mais notas para chegar ao equilíbrio. Em tese, como a quantidade de libras nas reservas internacionais é, por definição, igual ou superior à base monetária, é impossível haver qualquer ataque especulativo, pois seria impossível exaurir as reservas internacionais (a base monetária teria de ser toda mandada pra fora, algo por definição impossível). Essa é a principal atratividade do sistema: ele dá segurança aos investidores estrangeiros, que deixam de temer uma súbita desvalorização da moeda nacional, o que causaria enorme prejuízo para eles quando fossem repatriar seus lucros.

[1] [2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um banco ou instituição financeira é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1562
  2. http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1601