Communio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Communio é uma revista teológica de carácter internacional, actualmente editada em 14 línguas e mais de 16 países: Alemanha, América do Norte, Argentina, Brasil, República Checa, Croácia, Eslovénia, Espanha, França, Holanda/Flandres, Hungria, Itália, Líbano (em língua árabe, actualmente suspensa), Polónia, Portugal e Ucrânia. Cada edição é adaptada ao povo ao qual se dirige, procurando sempre um esforço de inculturação. Cada número trata de um tema central, a que se podem juntar artigos de especial interesse para a época litúrgica, para a realidade nacional ou de premente actualidade. A sua Redacção é constituída por padres, religiosos e leigos, homens e mulheres, que pensam ser urgente estimular o diálogo entre a fé e a cultura.

A ideia de fundar uma revista nasceu de Hans Urs von Balthasar, que pretendia criar um órgão de diálogo entre a fé cristã e as questões actuais levantadas pelas culturas. Um primeiro projecto de elaborar um livro com esta finalidade fora abandonado, pois as culturas evoluem, presentemente, a ritmo tão vertiginoso que tornaria rapidamente obsoleta uma tal obra. Era, antes, necessário criar um órgão de diálogo permanente, que não apenas acompanhasse o evoluir constante dos problemas, mas tivesse também em conta as diferenças entre as diversas culturas, na Europa e nos outros continentes. De referir ainda a influência e colaboração do então teólogo alemão Joseph Ratzinger e actual Papa Bento XVI, e do francês Henri de Lubac, quando, no decorrer da primeira sessão da Comissão Teológica Internacional, em 1969, o projecto começou a tomar forma. Em 1972 surgiam as edições alemã – com o concurso de Albert Görres, Hans Meier e Karl Lehmann –, e a italiana dirigida por Giuseppe Ruggieri. Num tempo em que a importância da eclesiologia de Comunhão nos documentos do concílio Vaticano II, mal tinha sido descoberta pelos teólogos, a palavra communio surgiu, já então, como a mais adequada para designar o projecto que a nova revista queria servir.

A edição portuguesa iniciou-se em 1984, fazendo parte da primeira Direcção, Manuel Isidro Alves, Henrique de Noronha Galvão e José Eduardo Borges de Pinho. Desde então é editada pela Associação de Teologia e Cultura Cristã, entre cujos sócios fundadores se encontram o Cardeal Patriarca D. António Ribeiro, o Bispo do Porto, D. António Ferreira Gomes, Carlos Baptista da Silva, Fernando Dias Agudo, Luís de Oliveira Ramos e Maria de Lurdes Belchior. Contou com o apoio particular do Bispo de Coimbra, D. João Alves, e o aconselhamento jurídico do Prof. Doutor Germano Marques da Silva.

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]